Sem controle

Um conto erótico de Julia x
Categoria: Heterossexual
Data: 06/02/2002 23:23:39
Nota 8.25
Assuntos: Heterossexual

Olá. Meu nome não interessa, sou loira, 1,70 de altura, 55 quilos bem distribuídos e com tudo no lugar. Tenho. 34 anos, uma filhinha linda de 4 anos, fui casada por 10 anos, estou separada faz 6 meses. O que vou contar aqui aconteceu realmente, há dois anos atrás. Meu marido me convidou para irmos a uma excursão do time de futebol da sua empresa a uma cidade à duas horas de distância de onde morávamos. Eu não queria ir, pois não gosto desses programas, ainda mais que ficaríamos dois dias acampados nesta cidade para que eles jogassem um torneio e eu detesto acampar. Como ele queria muito que eu e nossa filha, na época com dois anos, fossemos, dizendo que todos os seus colegas levariam as esposas e filhos, resolvi ir. Tudo correu muito bem enquanto estávamos lá, a não ser pelo acampamento e por meu marido ter machucado o joelho jogando bola. Quando vínhamos voltando, nosso ônibus estragou, eram 23 horas de domingo. Uma estrada escura e vazia. O motorista chamou outro ônibus que chegaria somente as três da manha. 1 hora depois parou um ônibus da mesma empresa que vinha trazendo outra excursão, depois de muita conversa decidiram que quem quisesse ir de pé, poderia subir. Quase todo mundo quis, eu e meu marido entramos primeiro, eu por ter uma criança no colo e ele por estar machucado. O motorista orientava-nos para que fossemos bem para o fundo do ônibus para que todos pudessem entrar. Quando chegávamos quase no fim do corredor, um homem de uns trinta anos, gentilmente levantou e me ofereceu seu lugar, eu agradeci e ofereci ao meu marido por causa do seu joelho e também porque ao lado tinha um velho dormindo e com cheiro de cachaça. Meu marido sentou, pegou nossa filha no colo e eu fique em pé com o ursinho dela na mão. O ônibus começou a encher e eu era arrastada para o fundo do ônibus e o motorista gritando para que fossemos bem para trás. Eu fui indo até o fundo e cheguei em um lugar onde tinha de um lado a parede do pequeno banheiro que avançava no corredor, atrás de mim o homem que me cedeu o lugar, de bermuda, sem camisa, era bem forte, da minha altura e muito simpático, e do outro lado um banco onde sentava um casal de velhos. O ônibus enchia e na minha frente duas mulheres gordas, de costas para mim, vieram chegando cada vez mais para trás até que eu encostei minha bunda no pau do homem atrás de mim, que por sua vez estava encostado no fundo do ônibus, fiquei envergonhada, tentei me esquivar, mas não tinha como, pois de um lado a parede do banheiro e do outro o banco dos velhinhos me impediam de fugir. Eu usava um pequeno shorts de lycra branco, uma calcinha também branca e uma blusa bem solta e curtinha, sem sutiã. O Ônibus começou a andar com a luz interna acesa, e eu toda sem jeito e muito nervosa, me sentia como se todo mundo no ônibus soubesse o que estava acontecendo, mas consegui em um momento de lucidez perceber que os velhinhos poderiam me ver, mas não viam a minha bunda e que já estavam de olhos fechados tentando dormir, a mulher a minha frente e quase colada em mim, reclamava da super lotação com a outra a sua frente e ambas se mantinham de costa para mim. Alguns minutos depois aparagaram-se as luzes do ônibus, ficando totalmente escuro, a não ser quando cruzávamos por outros carros e éramos iluminados rapidamente por seus faróis, o que raramente acontecia. Sentindo o volume daquele pau na minha bunda e pensando que tínhamos no mínimo uma hora de viajem, a minha aflição foi transformando-se em exitação.Apesar de nunca ter traído meu marido, eu sempre curtia quando passavam outros paus se esfregando em mim em metrôs, ônibus e elevadores lotados, mas tudo sempre acontecia muito rápido, mas ali ia demorar e nós estávamos parados e bem encaixados. O Tempo passava e toda a minha atenção se concentrava ma minha bunda e naquele volume. Percebi que o pau dele não estava para o lado, como geralmente os homens deixam, mas sim no meio e para baixo sobre o saco e que apesar do volume estava mole, então pensei que duro deveria ficar imenso, tive um calafrio ao pensar isso, e se endurecesse o que eu ia fazer? Não conseguindo tirar minha atenção daquele pau, minha tesão aumentava, eu já estava toda molhadinha e não conseguia mais controlar minha respiração, tinha medo que ele e a mulher a minha frente percebessem. Ficamos assim por mais alguns minutos quando aquilo que eu temia começou a acontecer, aquela coisa começou a crescer no meu rabinho, ia engrossando, se esticando e subindo, tomando conta do meio das minhas nádegas, forçando a entrada para o meio das minhas coxas ao mesmo tempo em que empurrava o meu shorts e a minha calcinha para dentro do meu reguinho. Meu corpo amoleceu, perdi o controle da minha respiração, cravava as unhas no ursinho da minha filha e suava por todos os poros sentindo aquele pau enorme e muito duro no meu rabo. Ficamos assim por uns cinco minutos, não conseguia mais me controlar, percebi que já estava instintivamente dando umas reboladinhas no pau dele, não demorou muito e senti as mãos dele na minha cintura me puxando para trás e apertando o pau na minha bunda. Eu enlouqueci, fechei os olhos, abri levemente as pernas, empinei bem a bunda e me joguei para trás, sentia aquele pau enorme apertando minha bunda e na minha xota, seu peito cabeludo e forte encostar-se às minhas costas, os cabelos da suas pernas nas minhas, comecei a mexer a bunda descaradamente, forçando-a contra o seu caralho. Ele começou a beijar minha nuca, levantou suas mãos, por baixo da minha blusa até os meus seios e eu gozei gemendo bem baixinho. Ele se afastou, senti que abria sua bermuda, desci minha mão e agarrei aquele pau maravilhoso, estava muito duro, era grande e bem mais grosso que o do meu marido, apertei, alisei e acariciava seu saco. Louca de tesão e sem me preocupar mais com as mulheres a minha frente, me virei e comecei a beijar e lamber aquele homem. Agarrando seu pau fui descendo, lambendo seu peito, sua barriga, me ajoelhei e comecei a chupar e lamber o pau dele, lambia seu saco, sua virilha, seus pentelhos, sentindo seu cheiro de homem e suas mãos na minha cabeça. Demoradamente me deliciei com aquele mastro até que ele gozou enchendo minha boca, fazendo escorrer pelo meu queixo e meu pescoço, eu engolia o que podia e esfregava o resto no meu corpo, no meu rosto e nos meus seios. Subi, me agarrei no pescoço dele, encostei meu rosto no seu ombro e fiquei grudada dando beijinhos no seu pescoço enquanto sentia suas mãos alisando minhas costa e a minha bunda e o seu pau meio mole encostando na minha xota através do meu shorts e da minha calcinha já ensopados. Ficamos assim por algum tempo. Percebi que a mulher que antes estava à minha frente tinha se afastado um pouco, provavelmente por ter percebido o que estava acontecendo, não a conhecia, sabia que era da nossa excursão, tive medo que ela contasse a alguém o que aconteceu e que mau marido ficasse sabendo, mas eu negaria, pois era só o que eu poderia fazer. Continuamos nos acariciando, ele me beijava e enfiava sua língua na minha boca, senti seu pau endurecendo de novo, me agarrou firme pela cintura e me colocou no seu lugar, de costas para o fundo do ônibus, ficando ele de costas para a mulher gorda. Achei o máximo, pois assim eu ficaria mais a vontade, voltei a agarra seu pau que já estava duro novamente, ele tentou enfiar a mão dentro do meu shorts por trás, mas não conseguiu, eu desamarrei-o na cintura e voltei a agarrar o seu pau, ele enfiou as duas mãos por dentro do shorts e da minha calcinha, se servindo da minha bundinha, alisava, apertava, chegando até a minha xana toda melada, depois enfiou um dedo no meu cuzinho, doía mas era muito bom, mexia o dedo lá dentro me deixando louca. Tirou as mãos e baixou meu shorts e minha calcinha até o meio das minhas coxas, me virou de costa e meteu o pau no meio das minhas pernas, eu vibrava sentindo aquele caralho quente, duro e grosso nos lábio da minha buceta e nas minhas coxas totalmente lambuzadas, sentia seus pentelhos espetarem minha bunda. Empinei a bunda, agarrei o pau dele e tentei bota-lo na entrada da minha xota, mas não consegui, fiquei na ponta dos pés, mas também não consegui, então em sussurros pedi a ele que me comesse, ele falou baixinho no meu ouvido que queria comer a minha bunda. Eu estremeci só de pensar em levar aquele pau no rabo. Não disse nada e tentei novamente coloca-lo na minha bucetinha e mais uma vez não consegui, tentei me virar para ajoelhar e chupar o pau dele de novo, mas ele me segurou firme, então quase chorando agarrei o pau dele, empinei a bunda e posicionei-o na entrada do meu cuzinho. Eu com as duas mãos no fundo do ônibus e segurando o ursinho da minha filha com a boca, comecei a rebolar sentindo aquela cabeça enorme na entrada da minha bunda, ele começou a forçar e eu rebolava lentamente, senti a portinha do meu cuzinho ameaçando se abrir, apesar da tesão tinha medo de ser penetrada por aquele pauzão, ele empurrava e eu instintivamente ia me encostando no fundo do ônibus, quando não tinha mais para onde fugir, fui subindo, subindo, até que fiquei na ponta dos pés, sentindo que meu cu já estava no máximo da sua resistência. Ele parou, não empurrava mais e nem me dava uma folga, eu suava por todo o corpo sentindo-o com uma mão na minha cintura e a outra segurando seu pau firmemente na entrada do meu cu. Com a cara colada no fundo do ônibus eu mordia o ursinho da minha filha para não gritar de tesão, de dor e de medo de não agüentar um pau tão grosso. Minhas pernas cansadas de ficar na ponta dos pés começaram a tremer, tentei agarrar o pau dele para tirar da entrada do meu rabinho, mas ele segurou minha mão, eu não tendo mais forças para me manter na ponta dos pés, comecei a descer, sentia meu cuzinho se abrindo, fazia mais um esforço, subia, minhas pernas doíam e tremiam até que perdi o controle e desci, senti meu cuzinho se arregaçar e entrar aquela enorme cabeçona, num impulso involuntário, devido à dor daquela invasão, voltei à ponta dos pés, mas não consegui me manter, então desci e levei mais da metade daquele pau enorme no rabo. Eu via estrelas, meu corpo todo tremia, chorava de dor enquanto mordia o ursinho de pelúcia, sentia meu cu arregaçado demais, parecia que iria estourar, se rasgar, ele voltou a me bolinar os seios, enfiava um, dois, três dedos na minha xana ensopada, me mordia a nuca, mas não meteu mais o pau, esperando que meu cuzinho se acostumasse com aquela grossura. E realmente, aos poucos fui me acostumando com a dor, sentia minha bunda cheia e uma pressão no estomago, parecia que alguma coisa dentro de mim tentava empurrar aquele cacete para fora do meu cuzinho. A tesão voltou a ser maior que a dor, tirei o ursinho da boca e comecei a rebolar lentamente até sentir seus pentelhos encostando na minha bunda e gozei como uma cadela, enquanto meu cuzinho latejava de dor e de prazer. Ele sentindo minha vibração começou um entra e sai, bem lento, eu quase morria de tesão quando ele tirava aquela coisa grossa e comprida, parando antes de sair a cabeça e voltava lentamente a rechear a minha bundinha, ficamos nessa por uns 20 minutos, às vezes ele parava e me segurava para que parasse de rebolar, talvez para não gozar ainda, meu cu ardia e latejava, mas eu estava adorando ser enrrabada, me entreguei totalmente, me esqueci das pessoas em volta, do meu marido, só gemia baixinho de olhos fechados, com o rosto virado beijava e mordia apaixonadamente a boca e os lábios daquele homem gostoso, chupava sua língua, alisando seus braços, queria ficar o resto da minha vida ali com ele, com aquele pauzão grosso e comprido cravado no meu rabinho. Ele começou a me bombear mais rápido e com mais força, continuei a rebolar naquele cacete, apesar de sentir dor. De repente ele enterrou tudo com muita força, quase tirando meus pés do chão, senti seu pau vibrando, soltando diversos jatos de porra quente dentro da minha bunda enquanto apertava meus seios, gozei como nunca, chorava de tesão e lambia sua cara e beijava-o desesperadamente. Ficamos parados, ele atolado no meu cuzinho por mais um bom tempo. Antes do seu pau amolecer, ele começou a tira-lo lentamente de dentro de mim, tive a sensação de estar aliviando aquela pressão e com medo de que seu líquido saísse de dentro de mim escorrendo pelas minhas coxas, me preparei para levantar minha calcinha e meu shorts logo que seu pau saísse todo, quando eu iria ao banheiro me limpar para que meu marido não desconfiasse de nada. Senti quando saiu tudo, rapidamente levantei minha calcinha e o shorts, me virei para beijar a boca do meu amante quando senti que tinha alguma coisa dentro da minha calcinha, tomei um choque, passei por ele e entrei no banheiro, quando tentava baixar o shorts e a calcinha para sentar no vaso, me vi no espelho ao lado e quase morri. Eu tinha enchido minhas calcinhas feito uma criança, havia uma grande saliência marrom na minha bunda e cocô mole e porra começavam a escorrer pernas abaixo, continuava a sair coisas de dentro da minha bunda e eu não tinha nenhum controle sobre o meu cu. Tirei minha roupa, sentei no vaso e comecei a chorar desesperadamente, sem saber o que fazer sentia muita vergonha, pensava no meu marido, no homem que havia me comido, nas pessoas do ônibus, no que eu tinha feito. Sentada no vaso, joguei minha calcinha na cestinha de lixo, meu shorts eu lavei na pequena pia ao lado, limpei o chão e as pernas e quando fui limpar minha bunda e passei o papel higiênico pelo meu cuzinho tive outro choque, estava enorme, era um buraco da grossura do pau que me enrabou. Me apavorei, achei que tinha estourado tudo, continuei limpando e chorando muito, vendo muito esperma e sangue junto com as fezes. Depois de estar tudo limpo continuei sentada, pensando no que eu tinha feito, tinha dado a bunda para um homem que eu nem conhecia, não tinha usado camisinha, estava com o cu arrombado, e a mulher que provavelmente percebeu o que aconteceu? Será que meu marido ficaria sabendo? Algum tempo depois, senti que o ônibus parou, fiquei nervosa, com o cu ardendo muito, vesti meu shorts ainda molhado e esperei mais um pouco. Abri a porta lentamente, vi o casal de velhos saindo no fim da fila no corredor, não vi meu marido nem o homem que me comeu, não sabia se ficava alegre ou triste por não vê-lo. Sai do ônibus, meu marido e minha filha, ambos com cara de sono, me esperavam sem desconfiar de nada. Olhei para os lados procurando aquele homem, mas não o vi. Peguei minha filha no colo, senti uma fisgada no cu quando fiz força e fomos embora como se nada tivesse acontecido. Passei uma semana com muita dor no cuzinho me automedicando para não ir ao médico. Nunca mais dei o cu e nem trai meu marido. Nunca mais vi aquele homem que me fez perder a cabeça e agir como uma vagabunda.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
24/08/2018 21:40:20
Show parece até real, será que é?
j.a
12/04/2015 15:39:14
um dos melhores que li
05/08/2014 16:28:23
Deu o cu no ônibus lotado... e ninguem viu... tá certo. Situação erótica é verdade, mesmo que impossivel de ser verdadeira.
lutador
12/01/2006 02:29:23
Estou aqui para confirmar que foi verdade amor fui eu que te arrombei aquele dia!!Vamos relembrar os velhos tempos???te deixei sem pregas e vc adorou ne vagabunda??vem aqui em casa que eu vou te estourar de nono vadia gostosa!! beijo!!
08/01/2006 22:02:17
o conto é legal, mas não gostei muito da moral da história. não deu certo, traia de outro jeito. esses caras são todos uns putos mesmo, seu marido não deve ser diferente...
SAKANA
15/08/2005 19:26:20
UIZÃO OLHA O LUIZÃO AÍ, LEU, ESCREVEU E SE IMPORTOU. TU É VIADO, CORNO E CHUPADOR
Diego
15/08/2005 14:11:43
Osaa velho num tem conto melhor fikei todo meladinho..hehe noss essafoi a historia mais real que eu li neste site que tem tanta historia falsa mais tah ai uma historia completamente erotica Notaaa 2 zueraaa Nota 10000!!!
anderson
11/08/2005 20:09:54
EM QUE DAVA UM FILME,MAS FICA DIFICIL ACREDITA NUMA HISTORIA COMO ESSA,NO ONIBUS LOTADO COM MARIDO DO LADO FALA SERIO E COMPLICADO,MAS FOI EMPOLGANTE VALEU PELA FICÇÃO.
SAKANA
03/08/2005 15:11:16
CHO QUE VC É O PRIMEIRO CORNO, PQ ESCREVESTE AQUI, VIADO, PQ LEU. E CHUPADOR PQ SE IMPORTOU
SAKANA
03/08/2005 15:11:07
CHO QUE VC É O PRIMEIRO CORNO, PQ ESCREVESTE AQUI, VIADO, PQ LEU. E CHUPADOR PQ SE IMPORTOU
Luizão
03/08/2005 15:09:56
AKANMA, vai tomar no teu cu
SAKANA
01/08/2005 20:32:09
UEM ESCREVE AQUI É CORNO. QUEM LÊ É VIADO. QUEM SE IMPORTA É CHUPADOR DE PICA
Comedor
01/08/2005 01:31:40
ota 10. melhor se fosse comigo
luana
31/07/2005 10:40:57
OTA 10! muito estigante..
pool
29/07/2005 12:57:57
desculpe fofa mais acho que estas exgerando um pouquinho dificilmente naoo teriam notado vc dando o rabinho num onibus ccheio de gente. ou vc esta mentindo ou seu rabo esat meio afolozado mais de qualquer forma gostaria de ter o prazer de ti conhecer para quem sabe nao fariamos algo mais louco ainda
Poeta do Sexo
05/06/2005 03:36:02
Professor KCTÃO, pobre e sonhador homem insatisfeito com sua realidade sexual... um conto tão bem explicitado em palvaras penetrantes e realistas, tão vislumbrado por maravilhosa história, se auto denominou como um dos personagens principais... quanta imbecilidade!!! Realidade maravilhosa e, com certeza, vivida por poucos... gostaria de passar por tal situação e possuir, de igualmente maneira, uma mulher dessas, não devassa, mas entregue ao desejo!!!
Dante
02/06/2005 02:01:59
Uai, fala sério, moça cagona... Você deu o cú num ônibus lotado? Como esse cara penetrou você? E mais: Como fazer movimentos num ônibus lotado? Mas, se for verdade, agora que você está toda arrombada, o meu vira-lata pode tomar conta de você. E quanto à merda, só cretinos não sabem que a musculatura do reto é muito sensível. O seu esfíncter deve ter voltado para o lugar, mas, ainda assim, você deve cagar com mais facilidade que as outras mulheres.
Dante
01/06/2005 04:01:13
Professor KCTÃO, eu tenho um vira-lata...Voc~e deve gostar de ser enrrabado... Vai, garoto? AU, au, au...
Dante
01/06/2005 03:58:50
Olhá só: eu não li o conto, é muito longo. Mas... se você quiser, eu tenho um vira-lata. Au, au, au...
droid
31/05/2005 15:44:21
caraca mulher, tu fez a revisão geral


mulher goza líquido cremoso pela bucetacontos de sexo com idosascontos-esfregando na bundinha da netinhacontos de zoofilia com pai e filhinhaquero ver zoofilia cachorro comendo a coroa cabeluda bem gostoso organiza que tesãocorno sendo enrrabado contoscachorro nao queria mas degrudar da mulher zoofilia video pornixvideosdificil pra vc lukameu tio comeu minha bucetinha virgem parte 2 contos eroticosNegrao fundeno com outro negraoAna da prassa e nossa mostrano a buceta no vidiocontos eroticos opostos que se atraemx video subrinhaolhando o titio roludoDuda senta na cabeça do pau do filho e dá uma reboladinhaxvideo porno irmao abraca a irma quando ela ta lavando aloucaabixa xisvidioAliviando os funcionarios contos eróticosSE O MACHO FOR NEGRO E CACETUDO SUA ESPOSA JÁ ERA xxvidio em quadrinho mulher de primo caderante muito safadax videos.asediante a nobinha virgemcontos eroticos de comedores gozando dentro da esposaquero ver sexo com patroa lesbica seduzimdo sua enpregada e fazendo sabao com ela no aeu quartoxvideos vadias loiras se prozeandocalcinha cobrindo so a metade x videoxvideos entertida no cellcontos eroticos esposa de corno com a sogra e a maecontos de putaria sou puta meu irmao um jumento fudeu o cu da minha amiga e eu ajudeicontos eiroticos leilaporneu e meu esposo somos crentes e ele pediu para eu dar o cu para outro,contosMulherez arregassano o cusexo esposa trail marido na mesa do quiosquecontos de casais fudendo afilhadoconto erotico encostou a lingua na linguinha da minha bucetaver canto erotico em tramandai rscontos eróticos com mulher gostosa de Biguaçu Santa CatarinaContos eroticos novinhos que gostao de pica pretacontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgecontos eroticos tentei fugir mas fui estupradasexo brutal adulterio irmao fundendo irma de 12 aninhosCasa dos Contos erótico um touro fodeu a garotinha novinhaconto erotico seduzindo o sogro velho coroa grisalho peludocampeonato de ciriricaesposinha exibidavideo porno botei meu pau ate as bolas na boca da tiavideo de sex com pauzaoassistir agoraAnimando o namorado tristinho xvideosNovinha transando e o circo pedindo pra o negão botar com força quer ela gostaamarro as bolas e esporrouconto"duas virgens" enteadaxvidio porno zelado comi fazedeiraConto erotico cavalguei no meu subrinho emquanto ele dormiavideo porno tomando banho juntos novinha entalada com piroca toda ensaboadasexopornordoidoconto erótico sogra analpornohub sou louca por zoofiliasginecolojista safadaxnx esporei na cona da negrinha diaristabotei gozei tirei gozei soquei gozeifilho. mostra. o pau. pra. na. meza. de. jantar. porno. xvideoménage masculinocretinha vergonhosa mas gosta de mastubatitia safada gozando esquirt contos incestospono ipinadiha cuadacoto erotico os amigos da espoza roludosautor,Vamp19-Contos Eroticosxvido molhe fije kuem tar dorminocombinamos chupando os peitos da mulher fazendo sexo ela gritar onlineComendo a subrinha vigemvideospornobrasileiroscom famíliaConto tire o cabasi de tma guriazinha e goze sinco veziz a bucetinha chegava faze barulho de tanta pora dentro delainsesto com vovozinhas no porbodoidocontos eróticos comi o cu da minha irmã novinha brincando de pique escondecontos eroticos su muiro pausudo minha esposa esta com a boceta froxacoroa de beibidol seduzindo o genro na casa dela brasileirashomem fode a buceta dabesta i goza jemendosobrinha fudenoContos eróticos brincando no escurocontos incrstos a mudinhaxvideos de sexo de homens e mulheres se masturbando provocativamente e ecitantes e incestos com zoofeliasxvideo dramim pra sogravideo porno com homens grislhos transando com outros maduros