O vizinho na praia.

Um conto erótico de Bruno
Categoria: Homossexual
Data: 13/10/2016 16:28:23
Nota 10.00

Sabe essas coincidências que acontecem quando menos a gente espera, pois é aconteceu comigo e de uma forma deliciosa.

Era o segundo dia da minha família na praia e quando vejo o casal vizinho a minha casa com guarda sol e cadeiras, chegaram e assim fiquei sabendo que o Beto e a Suzana estavam no mesmo prédio que nós, assim nossa estada na praia foi dividindo tudo com eles.

Beto tinha seus trinta e cinco anos e Suzana seus trinta, um casal lindo. Com o passar do tempo, íamos ficando cada vez mais íntimos, eu, minha esposa, Suzana e Beto. Mas estava meio que rotina, íamos pela manhã à praia, voltávamos almoçávamos e descansávamos juntos, até que uma deliciosa chuva e algumas cervejas resolveram.

Próximo ao horário do almoço começou a chuviscar, voltamos para o prédio, mas quando chegamos à portaria, Beto me convidou para caminhar pela praia na chuva e mesmo antes da minha reposta, as duas praticamente me obrigaram a aceitar, disseram que seria melhor, pois elas iriam às compras antes de preparar o almoço e assim fomos caminhar.

Depois de já estarmos andando a um bom tempo chegamos a umas pedras grandes que separavam a praias de um riacho e a mata, a chuva começou a ficar cada vez mais forte e então Beto já dentro da água do rio me chamou, mergulhei e fui em sua direção, assim que cheguei ao seu lado, ele esticou o braço e pegou em meu pau, dizendo imediatamente: - você ainda tá de sunga? Segurou em minha mão e a levou direto ao seu pau, assim que toquei, puxei-a rapidamente e ele disse: - vai tira sua sunga, olha lá onde esta a minha. E apontou para uma pedra, sem saber direito o que fazer, tirei a sunga e a levei até a pedra, nisso Beto já nadava em minha direção, chegou ao meu lado e disse: - como é boa essa sensação de liberdade, chuva, ninguém pra encher o saco... dava até pra trepar aqui. E sorriu.

Aquilo me deixou muito confuso, eu não sabia direito o que fazer e então resolvi apertar logo o foda-se e disse: - você tá querendo me comer? É isso? E ele sem a menor duvida respondeu: - sim e espero que esteja sentindo a mesma vontade? E em duas braçadas chegou ao meu lado, pegou novamente a minha mão e a levou ao seu pau.

Dessa vez não passei vontade e enchi a mão em seu cacete, Beto apenas sorria e eu comecei a me deliciar, comecei a regaçar e punheta-lo, bem de leve, mas pau já crescia, não era enorme, mas, bem grosso. A essa altura, meu pau também estava duro e meu cuzinho safado já piscava de tesão. Então Beto começou a ir até as pedras, eu o segui sem soltar daquele pau, que conforme saia da água se tornava cada vez mais gostoso, Beto se sentou na areia entre as pedras e eu sem perder tempo, me ajoelhei entre suas pernas e cai de boca naquele cacetão grosso.

Eu me esbaldava mamando naquela pica, enquanto a chuva caia sobre nós cada vez mais forte, enfiava o mais fundo em minha garganta, enquanto acariciava as bolas, mamei naquele pau até não aguentar mais. Me virei e com o cuzinho escancarado para ele disse: - vem mete essa delicia em meu cuzinho. Beto então se ajoelhou atrás de mim, senti ele começar a esfregar aquele pauzão em meu rabo, esfregava desde meu saco até as minhas costas, encostou então aquela cabeçona na portinha e lentamente começou a enfiar o pau em mim, senti cada milímetro entrar em minha bunda, até seu corpo encostar no meu.

Suas mãos seguraram em minha cintura e enquanto a chuva caia sobre minhas costas, ele começou a me comer, eu ouvia o barulho dos estalos de seu corpo batendo no meu, o mar quebrando e a chuva caindo forte. Separei ao máximo as pernas e comecei a me punhetar enquanto Beto me comia, eu estava indo a loucura, com aquele pau grosso entrando e saindo do meu cuzinho e no momento em que ele metia com mais velocidade, comecei a gozar como um putinho na areia e quando meu pau já estava pendurado, balançando e pingando porra, Beto tirou seu pau do meu rabo e começou a gozar sobre minhas costas, podia sentir a porra quente junto com a chuva e quando ele terminou, me virei e aproveitando que ele ainda estava de joelhos, agarrei aquele cacetão gostoso e enfiei na boca, Beto quase foi a loucura, quando chupei a cabeçona melada de porra, ficamos ali no riacho mais um tempo e começamos a voltar.

Mas aquilo que acabávamos de fazer, havia sido algo diferente e nosso tesão não passava. Senti então Beto apertar minha e quando olhei para ele ouvi: - meu tesão não passa, dá uma olhada. Vi então aquela delicia de pau duro dentro da sunga. Nós já estávamos bem próximos a casas e quiosques, mas aproveitando que não se via ninguém na praia, me aproximei da parte alta da areia da praia, onde há uma vegetação e muitas pedras, coloquei o pé esquerdo sobre uma pedra grande, puxei a parte de trás da sunga com a mão e quando meu cuzinho ficou exposto eu disse: - quer? Ele: - não precisa dizer duas vezes.

Rapidamente senti a cabeçona encostar na portinha de novo e aquele pau gostoso entrou sem esforço, eu atento a praia para não ser visto e Beto metendo em mim. Ele me comeu assim durante um tempo e disse que estava quase gozando, então tirei seu pau da minha bunda, me abaixei de cócoras na sua frente, abri a boca e aguardei a porra, ele se punhetava rápido e o primeiro jato me acertou o nariz , depois boca e quando ele estava terminando de encher minha cara de porra abocanhei aquela pauzão e mamei gostoso.

Minutos depois estávamos na portaria do prédio, assim que chegamos ao apartamento. Minha mulher e a de Beto nos esperavam, já tomadas banho e disseram que iriam à feira hippie e ao mercado. Ainda de sungas e cervejas na mão fomos para a sacada, vimos as duas saindo pela portaria e muitas outras pessoas circulando pela calçada.

Antes que eu pudesse pensar em algo, Beto colocou sua cerveja sobre uma mesinha e começou a baixar minha sunga, quando a senti nos joelhos, apenas chacoalhei as pernas e a tirei de vez, me virei para ele, coloquei minha cerveja sobre a mesa, estiquei as mãos e comecei a tirar a sunga dele e depois de estarmos nus na sacada, peguei novamente a cerveja e me debrucei sobre a sacada, inclinei a bunda, separei as pernas, dei um gole na cerveja e enquanto olhava o movimento, senti aquele pauzão gostoso encostar em meu cuzinho, relaxei ao máximo e curti ele entrando todinho em mim.

Beto esticou a mão, pegou a cerveja e entre um gole e outro me comia bem devagar, meu pau duro balançava enquanto ele metia em mim. Então encostou em meu ouvido e disse: - dessa vez vou te encher de porra. E colocando a cerveja sobre a mesa novamente, segurou com as duas mãos em minha cintura e começou a bombar forte e dizendo: - oh! Já pensou se as duas aparecem ali agora e nos vê trepando aqui na sacada. Em gemidinhos respondi: - iam morrer de inveja. E mesmo rindo, metiamos deliciosamente.

Então Beto apertou seu corpo forte contra o meu e começou a gozar dentro de mim, eu sentia a porra quente a cada pulsada que seu pau dava, então coloquei uma mão para trás, segurei firme seu corpo junto ao meu e disse: - deixa essa delicia dentro de mim até murchar. E assim ficamos até seu pau sair do meu rabo sozinho, ele então se sentou no chão da sacada e disse: - vem, vem, deixa eu te fazer gozar agora. E abocanhou meu pau e mal começou a chupa-lo eu disse que ia gozar. Beto então me punhetando, enfiou a cabeça na boca e eu comecei a gozar, enchendo sua boca de porra, ele safado engoliu tudo e disse que estava uma delicia. Ficamos ali na sacada bebendo mais uma hora até as duas voltarem.

E sabem o que de melhor aconteceu nessa viajem? Virei amante do meu vizinho.


Este conto recebeu 3 estrelas.
Incentive Bruninhopira a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
14/10/2016 00:56:54
Continua
13/10/2016 19:27:25
CONTINUE. QUERO VIZINHOS ASSIM

Online porn video at mobile phone


corno .amigo do negao dotadaocontoshomem pelado sem nada tampando nada nada mas eu supereiContos eroticos virei corno contra a minha vontadeconto viendo a filha perder o cabacomao no cuxvidioscemtou xvideo. caserío puxou pro ladogay transando de songaxvideos rolas chapuletadas gozandocoroa baiana lavano a bucetonavidio corno mulher pedio aregocontos eroticos malv comendo as interesseirapompoarismo buceta chupitandoporno tratanteseu quero ver o sexo entre lésbicas sadomasoquismo com lactofilia ela outras mulheres mamando nela e amamentando três mulheres chupando peitocasei com um velho brocha mas levo machos pra casa contos eroticoscondominio traicao videos cuckoldcasa dos contos gay Romance HubrowMeu co ralf me comeu contoXxvideosrapidinhamelhores meninas de porno prima com avô de 50 citimetrocontos eroticos gaycom negao no cinemaxvidiobaixinha buceta apertadinha deixou gozar dentrocontos cu da tiaxxx videos cunhada deu para cunhado negra budao de shortescomendo o cuzinho rosinha da mamae contos veridicosfoto sexy casera ha 1minut no zapcontos eroticos encoxada no metro levei porra na bucetacontos eroticos de mulheres bofinhosgaleguinha safadinha para meter no Zinho pegadinha que acabaram de abrircontos eiroticos leilapornnao devia mas fiz sexo com meu filhotransou q suou xxvideosesposa com sinco estranho porno gravado en casacontos de incesto dei pro meu sobrinhogatinho Eu Quero uma galeguinha assim trepando mesmo em cima do Cacete mesmo sabehttp://sogra nua filma o seu corpo inteiro .porno nacionalxvideos velho pegando novinha sem nigeui saberporno comendo uma novinha c com o shorts na solturacontos eroticos de tambaba mulheres que deram a dois dentro do matagalPadre não é homem conto eróticoscontos eiroticos leilapornrelatos íncestos tio e sobrinha dormindo nuquero assistir peladinho de gostosinho é doidinhoetiada dormindo cem calçinhaConto erotico vizinha carente peituda amamentandocontos/Arrombada no matagal por negoesConto porno chineladas na bundaContos padrasto enteAda submissaxvideo gordinha peito duro pena arbetacasa dor contos erotica corno manso fingi dormircontos erotico dei o meu cu a forca pro pedreiro caralhudocazadinha navsra do dotadosemastorba deixa a pessoa magraContos eroticos de casada puta dos vizinho roludo corno duplasexoconto erotico da minha filha de14xnxx tabareuo meu padrato meteume o caralho na maoentrou no lugar errado e pegou o cara de toalhas porno doidosou uma loira muito puta e liberada para os negros pauzudos contosNovinha reboa gostosa yotubcomedo o cu viadinno novinh a premeira ves a ter sagracontos eróticos Cracudo toca a b******** da filha em troca de drogamulher caga incontrolavelmente no sexopeitos bicudos xhmsterxvideos peguei a gorda na finaleiraContos eroticos senti minha buceta rasgarmenininhasafada espiando pai!!visando dentro da bucetasmae com tesao se masturba aoamamentar filho contos quadrinhos heroticos com cabacinho muito novo srndo estraçalhadomulher e obrigada a ser penetrada por gancho pornodoidocontos eroticos diaristaContos wroticos raspei a xoxota da minha enteasxvidio denguinho analbobeou entrou gosoumulheres fazendo porquisse no xvideo contos chortinhos emfiados cnnpirucas gozano