Marcha no Cuzinho - Fodendo as Máquinas

Um conto erótico de Paulo CC
Categoria: Heterossexual
Data: 06/06/2009 20:40:48
Última revisão: 08/06/2009 13:33:59

- Garçom, mais um uísque, por favor!

Desde as vinte e duas horas a gente bebia naquele casamento. Eu já tava pra lá de Bagdá. Ela também; tinha bebido muito vinho, e tava alta, linda, já me paquerando com aquela cara de vadia que eu conhecia bem: um convite de carne erótica. Eu olhava pra ela com uma tremenda vontade de comê-la, até salivava, sentia calor. Lembrava dela em casa, horas antes, trocando de roupa. Cheguei do trabalho e, de um canto, vi-a no banheiro, se arrumando, saída do banho pra vestir uma calcinha mínima. De costas, os longos capelos pendendo, ela cobriu a bocetinha com delicadeza, assentando sobre os pentelhos um triângulo de renda transparente, e enfiou na bunda o fio de trás, que desapareceu entre as nádegas de pelinhos dourados. Depois, jogou um vestido preto por cima de tudo, mexeu nos cabelos, foi maquiar-se.

Tive vontade de suspender o tecido, vira-la de quatro, puxar aquele fio sumário prum lado e penetrar com força entre aquelas nádegas de carne feminina e redonda. Mas estávamos em cima da hora, e eu nem havia tomado banho. Além disso, pra ela, arrumar-se era um ritual, um lance sagrado que lhe cortava momentaneamente o tesão; se eu a atacasse naquele momento íntimo de contemplação, momento místico até, seria como uma heresia, uma profanação, uma mancada que acabaria por estragar a noite que apenas começava – e que prometia. Me contive, medi as vantagens: sem pressa: eu teria a madrugada inteira pra me lambuzar nela.

Voltando ao presente: deparei comigo ainda vidrado nela, e ela me encarando suavemente, mas contendo no corpo uma puta vibração sexual. Chamei-a pro salão. Dançamos, esfregando nossos sexos discretamente, depois voltamos à mesa e sentamos. Deitando o copo na toalha branca da mesa, lambendo os lábios com discrição, ela me encarou e disse:

- Vamos, amor?

- Vamos.

Saímos, eu dirigindo e ela ao lado, com aquele vestidinho preto e curto, as pernas brilhando. Isso foi por volta da três da manhã, e a cidade estava praticamente deserta.

Assim que saí convergi a uma grande avenida e, tonto de tesão e de cachaça, meti a mão entre suas pernas, subi até a bucetinha quente, pus a calcinha de lado e comecei a boliná-la. Ela se contraiu para trás, soltou o cinto de segurança e meteu a mão esquerda sobre minha braguilha, sentindo meu pau, que já quase arrebentava das calças.

Ela se desmanchava ao toque de meus dedos e, enquanto delirava na masturbação, abriu desesperadamente minhas calças e caiu de boca no meu pau. Senti aquele morno quente, úmido, aquela boca que me sugava com uma volúpia tremenda, e o desejo subiu por meu corpo com uma torrente de água fervendo.

Ao se abaixar, ela ficou de lado, e deixou a bundinha exposta, com aquela calcinha fio-dental cavando fundo, aquela calcinha mínima que baixei, voltando a enfiar os dedos em sua boceta sedenta, molhada, que suplicava uma penetração. Cuspi num dedo e o fui enfiando no cuzinho dela; ela rebolou, mordeu meu pau levemente, e pegou minha mão. Achei que fosse tirá-la de lá, mas ela a empurrou mais, pra que o dedo entrasse por completo na carne proibida, enquanto ela enlouquecia e quase devorava meu cacete.

De repente ela levantou o rosto, olhou para mim com uma baita cara de vadia e, respirando fundo, disse:

- Pára o carro; pára...

Entrei prum terreno baldio, escuro, um puta lugar perigoso, mas a bebida e o tesão já não deixavam mais a gente pensar.

Deixei carro ligado, com o condicionador de ar acionado, e afastei o banco. Ela arrancou a calcinha e sentou no meu pau, com as costas batendo no volante. Abri suas nádegas e voltei a enfiar o dedo no seu cuzinho, o que a fez morder minha boca e apertar minha nuca a quase arranhar a pele. Suspendi mais o tronco, para chupar seus peitos, que saltavam, duros, pra fora do vestido. Ela se inclinou para a direita e afastou as ancas para trás; a marcha do carro vibrou em sua bundinha. Notei que ela estremeceu. Sem quase raciocinar, apertei a embreagem e puxei o câmbio mais pra perto, encostado-o em seu cuzinho. Ela delirou, mas olhou pra mim com uma cara de assustada. Acelerei o carro e a vibração aumentou. O receio se dissipou e expressão mudou, virou só tesão, derretimento imediato. Empurrei-a para trás, e notei que a ponta da marcha começava a forçar sua roelinha, fazendo-a dilatar. Ela começou a rebolar, a endoidar sob a trepidação da máquina. Tirei-a um pouco, cuspi abundantemente na mão e passei o cuspe pela marcha, sentando-a novamente. A esta altura meu pau já estava fora de sua boceta; eu me masturbava, contentando-me em assistir ao espetáculo, me segurando pra não gozar. De repente, ela falou:

- Acelera; acelera...

Voltei ao ponto-morto, acelerei e pressionei seu corpo contra marcha; ela deu um gemido, a marcha entrou e ela enlouqueceu de tesão. Me afastei, levantei o quadril e meti o pau na boca dela. Ela se derretia a foder com a marcha, se masturbar e me chupar.

Agarrei seus ombros e comecei a empurrá-la pra trás, enquanto ela fazia força pra frente. No começo doeu, mas logo a marcha entrava e saía de seu cu esfolado, cada vez mais rápido. De vez em quando ela tinha de parar de me chupar para gemer; tanto era o tesão, que lhe transbordava pelos sentidos.

Gozamos deliciosamente, um gozo demorado e cheio de urros e gritos e gemidos e enfim suspiros de cansaço e perplexidade. Enchi sua boca de porra, que ela bebeu fora de si, com delícia nos olhos. Saiu da marcha, que estava úmida de saliva e dos líquidos de sua bocetinha, que se molhou a ponto de besuntar o câmbio.

Depois disso, transar no carro tornou-se um fetiche para nós, que vivemos outras histórias delirantes dentro da máquina, mas isso fica pra depois.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Paulo CC a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
02/09/2009 13:46:21
bater no carro? é muito alarmante mas gostei.
30/06/2009 01:27:41
muito bom
07/06/2009 00:46:18
Qual é a marca do carro? Se for Opala antes de 1972 que tinha cambio flutuante, e a alavanca tremia como vara verde teria sido melhor. Gastastes a embreagem, a tua mulher deve ser uma contorcionista para fazer o que fez com a alavanca enfiada no loló. Pusestes camisinha na alavanca? Cuidado para não criar uma geração de Transformers. Nota MIR!!


Sou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhaemprego decente conto eroticodablinabucetudacorno faz minete a coroazoofilia com cadelacomedor de gravidasEm Família: Parte 1 Autor Sr G casadoscontosfilmes porno gratis de incestos de coroas iperdotados comendo filhas e netasContos eróticos d marmanjo q comeu o cúzinho do putinho novinhode bruços sinto a cabeca entrando com forca no meu cuzinhosó bundas gostosas deitada no MXporno olhei peguei chupeimatava aula para dá o cuvideos de sexo gay borracheiro mundobichacomo transar com cachorroconto porno minha mulher foi ao cabeleireiro depilar a buceta e o cuzais pio putaaspanteras tio comendo sobrinha bem novinha escondidi da maeentiada fogos com padrasto. comcontos eroticos taboowww sexo adulto 18 anos sem preconceito so com cavalos metendo forte na novinha magrinha forsada.zoofilia.porno . com brcontos viciei em levantar minha blusa para eleautorizei minha mulher fuder com outrorelatos eroticos tirei os cabacinhos dos dois visdinho novnhos como choro pau grandemulher flaga sua amiga do rabao uma morena dando o cu para seu marido negao dotado com o penis de 030cm e da tambenfilme pornô de pais brasileiros transando com as suas filhinhas dopados com soníferocumando procurra a filha videosconto porno paixao escandalosaConto erotico Meu marido me emprestou prum velho viuvoGays gostososcontosxvideo gey batendo pulheta.Rasgando a esposa do amigo xsvedeo novınha metendo agaxada na rolacontos eiroticos leilapornfime de porno mae e filhatrazano no banherohomenscacetudosdesaojosedoscamposContos eroticos mamae filha rola grosso do papaiXnxx grisalhos negros pau de cavalo arregassando buceta das loirascabalo na calor zoofiliacolrtanias so as que sabe fazrr gostoso boqueteContos eróticos sobre marido militar e sua esposa na lua de mel tio cacetudo sublinho pau pequeno corno humilhado por noiva putinha contos cm fotosquero ver empregada de marquinha nos peitinho duro lavando roupa no pornodoidoo homem comendo a b***** de uma égua bem devagarinho ela peidando e gemendo e chorandoquero ler histórias e conto de homem casado que deu o c* pela primeira vez o c****** vídeo para travesti do pau gigante chorou rebentou em conta se dói ou nãonovinhos. do pau monstro fodendo e goandoqualquer coisa enfio na buceta relatos contoseroticos debaixo do cobertor com a entiadinha inocenteIrmao come cú irma dormímdo ela gostacontos eroticos comeu eu minha filha e sublinha/texto/20170544mamanono pau do filho baianosaboreei o gosto da minha irmã nua XVídeoscontos eróticos esposa ficou bebada marido distraiuhomem estrompa mulher virgem em videoxvideo tara com apacoteiraConto con foto comi uma guriazinha novinha e gozei dentro delacontos gay de escravos e o filho do patrãointiaada chupando pau do ppadrasto desmaido de sonoloira tranzado com um banhanoxvidios com violadas esturpadasminha cunhada gostosapornodoido transex deu pramimcoroa mais safada q conhesoporno fui deitarmais minhamadrastacondo o marido sai potrabalho pornoXvideos novinas da bunda garnde 20 anosContos porno,gostosa transou muito com moto taxivideos di saia ma rua por baxoxvideos loira do cu aguado molhado travestis iper avantajados bg coki xvideoesposa na zoofiliaContos erotico pastora ungindo cuxvideo fudeno as cuiada novinha casada bem gostosa de bhbotei meu dedo na buceta da mulher do amigoWww flagrou a esposa sendo arrombada buceta peluda buraco grande e arrombada .conto realmulhe tabalado da abudax negona budona lascadanunca vi vm macho gosar tanto assim dentr da buceta da minha mulhe de buecta arregacadaContos eróticos procurando aventura no clube de campocontos de putaria sou puta do negao meu vizinho fez um buraco na paredemeu irmão me comeufui encoxada no metro e dei meu rabocontos herotico ela peido perto de mi comi o cusinho delafilme porno americano onde objeto exotico liberava o tesao dos personagensporno loco escapa do maniconio e pega a novinha enocenteHaitianos e camareiro mundobicha"meio abertinho" gay contomae sai do banhero e toalha cai pornotravesti me comeuMulher gostosa dw vestinho coladinhos fudendomorena chegol em casa pegol irma na siriricaporno brasil