BALAIO DE BACO - PARTE 1: "EITA! EU VOU MIJAR!"

Um conto erótico de ClaudioNewgromont
Categoria: Gay
Data: 09/06/2021 14:13:35
Assuntos: Gay

Chácara de um casal amigo. Eu estava passando uns dias lá. Eles tinham um filho único, novinho, corpo em desenvolvimento, muito conversadorzinho. Simpatia mútua, passávamos bom tempo trocando ideias sobre todos os assuntos, desde a melhor época de plantio de laranja até a última invenção da Nasa para facilitar a vida dos astronautas no espaço. Nerd geral. Mas eu gostava, tinha um papo agradável.

Os pais, percebendo a amizade formada, viram na minha estada na chácara uma possibilidade de dar uma escapada de casal. Perguntou se eu aceitava ficar na propriedade durante o final de semana, com o Arthur, enquanto eles iam curtir o findi na praia. Lógico! Eu me sentiria um verdadeiro chacareiro. O garoto, então, vibrou com a oportunidade de ter o amigo ao longo de três dias – ele que vivia tão solitário, só de internet.

O restante da sexta-feira, só nós dois, tomando conta da casa, foi uma festa: fresquinhos, de banho tomado, fizemos pipoca, brigadeiro, assistimos a mais de um filme, jogamos videogame – em que eu perdia sempre –, vimos episódios de série de ficção... Programinha legal, bem à vontade: sem camisa e só de sunga, os dois.

Finalzinho da tarde, o clima deu uma mudada e esfriou muito. Acrescentamos ao nosso amplo e confortável sofá da sala, tornado cama, uma manta quentinha e enveredamos pela noite, sentindo o calor dos nossos corpos, embaixo do cobertor – mas não estávamos a fim de muita roupa. Continuamos com nossos trajes sumários.

Deitados, vendo tv, Arthur aconchegava seu corpo ao meu, em busca de calor. Eu já estava imaginando coisas com as duas cabeças. Mas fiquei na minha – não queria criar um clima pesado com meu novo amiguinho. E tudo nele rescendia a inocência. Não avancei nem neguei aconchego.

Começou a chover forte e o vento frio que circulava na sala de tv fazia o garoto estremecer. Quando isso acontecia, ele se achegava mais ao meu corpo e me apertava. Eu sentia meu coração disparar, minha rola endurecer, mas apenas curtia aquele momento ternura. O cheirinho gostoso daquele garoto, a maciez da sua pele arrepiada relando na minha, os apertos que ele dava no meu corpo, tudo isso me fazia sentir no paraíso.

Teve um momento em que senti a pressão de seu corpo contra o meu e percebi nitidamente sua rola dura esfregando-se em mim. Instintivamente rebolei discretamente.

Em outro momento, ele se colocou de conchinha em minha frente, e deve ter sentido plenamente toda a dureza de minha vara em sua bunda. Seu corpo todo colado no meu, sob a manta. Ele, então, delicadamente, pôs a mão sobre minha coxa e tentou puxar para cima dele, sem conseguir, no entanto. Entendi o recado e coloquei minha perna sobre seu corpo, aproximando ainda mais nossos corpos.

Ele se roçava insistentemente em meu peito, feito gato; seu corpo chegava a ondular – ele não emitia um som sequer. Olhos grudados na tv, parecia que nada de mais estava acontecendo. Mas estava: ele segurou minha mão e a conduziu para dentro de sua sunga.

Então perdi o último resquício de pudor que ainda pudesse ter, ao sentir a quentura e a dureza daquela rola; passei a acariciar suavemente, enquanto seu corpo ondulava e, aí, sim, comecei a ouvir gemidos baixinhos.

Ele então se virou para mim e me abraçou com uma força enorme. Senti a pressão de seu corpo contra o meu e seu hálito no meu pescoço me arrepiava. Nossas rolas duras se tocavam. Soltei-me dele, suavemente, e me dirigi a sua rola. Deixei-o nu e a brancura daquela vara fininha e pulsante ansiava por carinho. Comecei a lamber-lhe a cabecinha e a chupar-lhe devagar.

Arthur se contorcia e se movimentava, como se estivesse fodendo uma buceta. Que pica deliciosa... Não chupei por muito tempo, entretanto, que ela logo começou a inchar e um líquido salgadinho visitou minha língua. O garoto desesperou-se, grunhindo, entre gemidos:

– Eita, eu vou mijar...

Acho que era a primeira gozada dele, só pode! E claro que não o deixei retirar a rola de minha boca; ao contrário, pressionei suas nádegas, aproveitando para enfiar de leve meu dedo em seu cuzinho, e também gemi:

– Pode mijar, meu querido... Pode mijar...

Ato contínuo, senti um forte jato inundar minha boca, seguido de vários outros, enquanto Arthur parecia estar tendo uma convulsão, o corpo completamente descontrolado, a voz rouca emitindo sons guturais, enquanto gozava loucamente. Eu engolia aquele líquido delicioso o mais rapidamente que podia.

Após a última golfada do cremoso leitinho, seu corpo quedou-se, relaxando-se, ofegante – o peito subia e descia, no ritmo da respiração forte.

Deixei-o quieto, recuperando-se e também me deitei, barriga pra cima, olhos fechados, repassando milhões de vezes aquela cena maravilhosa em meu cérebro. Sabia que minha rola estava plenamente ereta, sob a sunga, formando um belo circo.

Um soninho bom foi chegando, sob a cantiga de ninar da chuva forte lá fora... Acho que cochilei um pouquinho, porque acordei sentindo algo muito gostoso na minha rola: Arthur, silenciosamente, chupava desajeitadamente a cabeça da minha pica, como decerto me vira fazer na sua.

A ansiedade o fazia ir depressa demais, e por vezes seus dentes me arranhavam. Pedi-lhe calma, fui aos poucos mostrando-lhe o ritmo adequado, pressionando suavemente sua cabeça. Levei sua mão à base da minha rola e o fiz punhetá-la, o que estava me dando mais prazer do que a chupada. Com o ritmo ditado pela minha mão, a sua mão suave emoldurava minha pica e massageava deliciosamente.

Em pouco tempo fui sentindo os raios do prazer se reunirem de todas as partes do meu corpo e se concentrarem na minha rola, que ficou mais firme, emitiu um pouco de líquido viscoso, para explodir, em seguida, em jatos fortes, que atravessavam o espaço, arrancando-me gemidos fortes. Gozei com tudo o que eu tinha direito, enquanto Arthur sorria seu sorriso meio tímido.

Em seguida, nos deitamos novamente, agarradinhos, sentindo a respiração um do outro, e, sem trocar uma palavra, apenas nossos corpos conversavam, nossas peles juntas. Ele, claro, ainda estava com a rola super dura – a minha, a meio mastro; mas o que queríamos, naquele momento era nos curtir, sentir o corpo um do outro, no quentinho do edredom, enquanto a chuva torrencial dava o tom da noite, lá fora...


Este conto recebeu 24 estrelas.
Incentive ClaudioNewgromont a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/06/2021 22:15:48
Lebrunn, obrigado pela leitura e comentário; haverá continuação, sim. Valtersó, isto é um conto, não uma ocorrência policial, que precise de idade, cpf e endereço dos envolvidos. Obrigado, mesmo assim...
09/06/2021 21:31:36
SENSACIONAL. FALTOU AS IDADES DE AMBOS. EM CERTOS MOMENTOS AS PALAVRAS SÃO DESNECESSÁRIAS NÉ? QUQE MARAVILHA. CONTINUE RAPIDINHO.
09/06/2021 16:48:03
Terna e cheia de tesão tua narrativa. Conte-nos mais...
09/06/2021 15:45:09
Hedonista, Madurão, muito obrigado pela leitura e comentários. Abraços.
09/06/2021 14:52:24
Três estrelas, claro!!
09/06/2021 14:51:48
Que delícia!! Queria que fosse comigo tudo isso. Muito tesão!!
09/06/2021 14:25:48
Nossa, maravilhoso !!!


ler contos eroticos menagemeu cunhado quer me chupar todinha e eu aceiteiesposa fode com outro na lua de melXxxvnwwwdecotes rubiaebetopassou a mão na rola do padrastodormindomulher secura na pica do negao quando encosta no cuMeu vizinho me contou que ele gay e tem vontade chupa no meu penisrelatos de minha sogra e muinto greluda e pentelhudacontos eiroticos leilaporncontos eroticos caçamulher do peito e gigantão do bumbum gigante rebolando até o chãoCerto ou errado?meu irmao amado contos gays cap.08filho vem sua mae de suplex e nao aguenta contos eroticosfui nas ferias em casa de meu tio transformado num viado puta do meu tio safadomulher casada deixou seu cão chupasua buceta escondidodo seu marido vidio zoofiliacorno chama andarillo para comer sua muller pornofantasia eroticonegraovidios porno pai bi e filho brincaoentrei na pica de meu sobrinho negro contosmulheresbucetudasdechortinhoconto erotico gay virei femea do velho pirocudomãe vai no curral e ve o filho com pau duro e fica olhaee transacontos estuprei a obreira da igrejatentando comer irma crentinhamulhe rebolhadodeflorador de gatinhas taradasconto eróticos menina estrupada por mordomo ponodoidoliberalina vadia traído foi filmadaconto erotico gay viado submisso vira femea do negaoGosando .na boca d nlvinhasxvidiop quem cavalgo melho mae o filhacontos eroticos tiaenpregada safada acedia filho do patrão e coloca sua filha para participar do sexo xvideopadrasto brinca de fazer cosega na enteada e come elahistorinha coxuda novinha peladinhaconto gay filho foder pai marinheiroporN itaitubense#contos eroticos pintinhobuceta da minha sogracontos eiroticos leilapornfudendo a titia gostosona no varalpirnobuceta freirasvideo promo as novinhas chupado em fila compreta de negraofilme porno americano onde objeto exotico liberava o tesao dos personagensConto porno apanhei de cinto na bundairma disse q n cu n e pecado incestoxvidio servissov******** da escadinha na b***** para o padrasto pai e ele goza dentro da b******** delacâmeras escondidas que estragaram Anitta dando a bucetacomendo a mileninha gostosinhaver canto erotico em tramandai rsmae pede pra filha rasga cu dela com cinta peniana monstroporno com baby boneca ecesto pai velho tarado e pausudoenfermeiras taradas de mini saia dando a xana na casa do paciente no contos eroticos conto erotico velho taradocontos porno com padre gaypornor doido homem batendo poleta no banheirocontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgelevo muitas gosadas xvidioVidio pornô de gay de pratao fazendo sexo com a impregnados até ele goz mulher matematica com pau no cu e pedindo mais pornotirei a camisinha e enchi a buceta da mulher.do meu amigonoviha de jortiho pano leviho no piaomeu enteado me estrupoucontos eroticos fui para o motel com meu patrao esqueci ate que eu tinha maridoTudo grandão youtubepornocontos ballbustingmulhe pelada putona do cuzao e budona so de vistido ruivasexobrasileirocavalocontos trai meu marido com um cara que era um pe demesarapas dando cu pro negao rola compridatravesti nao da pro pausudo arego xvidiomtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1porno loiras xiri gigante anal picas trinta centímetrosConto porno rola finaconto erotico tirei a virgibdade do meu ermao novinhover filme pornô comendo a b***** da minha cunhada rosanes e gostosacontos eróticos babá olhando só de short sem cuecapeguei meu sobrinho mas tenho uma chapuletada rola muito grandenegom gosano dentro do cu da menina de menormorenas engatada do pênis grande e grosso do sul filaxvidio:fodanaconstrucaoesposa crente e muito timida foi ajudar o marido no aluguel contos eroticosxvideo encoxando na mao no bismulher gorda e velha com as pregas do cu frouxa peidando porracunhada louca pra sentir rola grande pega cunhado de pau duro e nao resistemulher muito gostosa deixado ocavalo mete tudo nabuceta delacontos fiz minha mulher foder com nosso filhowattpad contos eroticos pai e filhasxnx porno de TRS bem pisudotia pedi pra o sobrinho impurrar tudo e diz vou gozartoninha fudenocontoseroticos.esposa qd se exita é puro tesão.cu gay rasgando por pau cabessudo e cheio de porrfoto que se mexe que travesti gostoza e bonita peitinho bicudinho