POR AM❤R - Capítulo Especial - Rose & Paulão (HOT)

Olá, meus amores!

Muitos leitores reclamaram bastante, porque eu estava dando pouco destaque ao casal Rose & Paulão, então resolvi me redimir com os que curtem a química do casal e estou postando um capítulo dedicado aos dois. Ah, e resolvi antecipar a postagem desse especial, que só iria ao ar nesta Quarta-feira, mas ele já estava pronto a alguns dias atrás, no entanto, acredito que não é legal ficar prendendo capítulo pronto e resolvi postar. Espero que gostem!

★ WILLIAM26,

Gostou do tapa? Hahaha. Eu sabia que vocês iriam amar. Sobre o Max, será que ele seria tão vítima assim? Beijos!

★ CATITA,

Calminha! O que Kelly merece está vindo, logo mais você verá! Beijos.

★ RYUHO,

Calma, jovem! Hahaha. Quanto ódio no seu core! Ah, eu sabia que muitos leitores iriam amar esse tapa que eu escrevi, já estava na hora, não é? Eu notei o seu sumiço, sabia? Não faz mais isso. Beijos!

★ MAGUS,

Gostou do capítulo? Calma que Kelly ainda irá aprontar, acredito que o Max não seria capaz de demiti-la. Beijos!

★ K-ELLY,

Fico feliz por você ter gostado, Xará da Kelly! HAHAHA. Beijos!

★ FEFEHH,

Obrigado pelo carinho, amore. Volte sempre! Beijos.

★ USETAM,

Pior que ela ainda vai aprontar algumas, se prepare. Sobre o Luan, ele já está vivendo um castigo, quer pior castigo do que o tal do remoço? Mas ainda tem muita água para rolar. Guenta o coração. Beijos!

★ NAYARAH,

Você gostou? Fico muito contente por estar agradando os meus leitores. Sobre a Rose, logo abaixo estará um capítulo somente dela e do seu crush, Paulão. Hahahaha. Beijos!

★ NETERUSSO,

Acho que lavou a alma de inúmeros leitores, não foi? O Luan é uma pessoa bastante difícil de entender, não é? Sobre a Kelly, você ainda ACHA que ela vai descontar no Lucas? Hahahaha. Ela ainda vai aprontar, vou logo avisando. Sobre a Rose dando uns tapas na Kelly, é uma possibilidade.

★ WORLD,

Quantos tapas! HAHAHA. Todo mundo tá merecendo um tapa na cara nesse conto, não é? Sobre a situação do Lucas em relação ao irmão e também a sobrinha, realmente, é muito triste, mas esperamos que dê tudo certo, não é? Sobre Paulão e Rose, segura o core que eles vão aparecer e muito neste capítulo.

Bom, aos demais leitores, meu agradecimento ETERNO a vocês. Amo todos vocês!

▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬

Gente, eu não queria dizer isso, mas de vez em quando eu solto alguns spoilers escondidos nos comentários que respondo a vocês nos capítulos, então sempre fiquem ligados neles. Pronto, falei.

▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬ ▬

► ATENÇÃO! ESTE CAPÍTULO CONTÉM CENAS DE SEXO EXPLÍCITO! ◄

Lá vem ela!

Ela mesma, Rosemary Tamborzão, como ela própria diz, tombando a sociedade.

— Dona Emília! - Cumprimentou — Nunca mais eu vi a senhora.

— Ah, minha filha! - Suspirou — Eu andava tão adoentada que mal saia de casa.

— Oxe! - Estranhou — Mas a senhora estava doente de novo, Dona Emília!

— Mai! - Debochou — Dor é o que não falta aqui, Rose! - Gargalhou — Dor em tudo que é canto.

— Misericórdia, Dona Emília! - Rose sorriu também — Mas eu espero que a senhora melhore.

— Ah - A idosa lembrou — Sexta-feira eu vou dar um pulinho lá no seu salão para ajeitar essa juba - Disse mexendo em seus próprios cabelos — Porque eu tenho um casamento para ir.

— Mas olha! - Rose comemorou — Que chique! Casamento de quem?

— Da filha de Dona Terezinha - Disse.

— Filha da Dona Terezinha? Terezinha que é a mulher de Tito ferreiro?

— Essa mesma! - Gesticulou — A filha dela vai casar agora no Sábado.

— Não foi essa que roubou o marido da outra lá que foi a maior confusão? - Perguntou

— Sim - Confirmou — Que foi o maior Deus nos acuda na frente da casa dela - Lembrou.

— Menina, e ela vai casar com o marido da outra mesmo? - Rose perguntou.

— E apôi? - Dona Emília gargalhou sendo seguida pela Rose.

— Eu fico morta e enterrada com essas histórias - Disse — Mas enfim, eu espero a senhora lá no salão na Sexta. Vai ficar uma gatona, hein? É capaz de arranjar um coroa gostoso - Riu.

— Não, minha filha! - Gargalhou — Aqui não entra e nem sai mais nada.

— Oxi, é só tirar a perereca e fazer a festa, Dona Emília - Disse fazendo todos gargalharem.

(•••)

— Rose! - Uma mulher gritou — Fiz uma quiabada de lamber os beiços. Vem comer!

— ECA - Gritou — Pega esse quiabo e enfia no...

— Que isso, menina! - Interrompeu — Que boca suja é essa?

— A boca é minha e eu faço o que quiser com ela - Disse com uma voz bem sensual.

— Huuuum - Gargalhou — Tu gosta né?

— Adoro - Rose confirmou — Esse é o teu menino? - Perguntou se aproximando.

— E num é? - A mulher se aproximou com um bebê no braço — É lindo, né?

Que menino feio! — Rose pensou.

— Lindo é apelido, racha! - Disse pegando nas bochechas - É quase um príncipe.

— Todo mundo fala que ele é parecido com o pai - Disse a mulher sorrindo para o filho.

— Por isso! - Pensou alto.

— Oi? - A moça não escutou.

— Nada, fofa! - Disfarçou — Ele é uma gracinha! - Disse falsamente.

— Quem eu vi hoje cedo foi a Leila Boca de Veludo, ela tá toda se achando depois que ela pintou de loira e o cabelo está bem liso - Disse — Ela disse que estava com saudades de você.

— Aquela Dinossaura? - Gargalhou — Menina, aquilo não é cabelo, e sim, uma crina.

— Rose...

— E aquilo é uma peruca, meu amor! Aquilo não é cabelo dela nem aqui e nem na China.

— Rose, ela...

— Se ela bater o cabelo, com certeza a peruca voa longe! - Disse gargalhando.

— O que vai voar é a minha mão na sua cara, sua quenga!

Rosemary se assustou com a voz da Leila Bola de Veludo atrás dela.

— Oi, amiga! - A transexual cumprimentou falsamente.

— Amiga? Eu não sou amiga de gentinha da sua laia, meu amor! E outra, tá vendo esse cabelo aqui? - Disse jogando os cabelos bem escovados no rosto da Rosemary — É tudo natural, meu amor! Não tem peruca , como você falou. Inveja mata, tá? - Disse com deboche.

— Ah, não é peruca? Então deixa eu ver! - Disse Rose puxando o cabelo da rival.

várias mechas de cabelos ficou na mão da transexual.

— Era um Mega Hair!

— SUA NOJENTA! - Disse pegando no cabelo — MEU MEGA HAIR! EU VOU ACABAR COM VOCÊ.

Após dizer isso, Leila tentou atacar a transexual, mas a mesma desviou dos tapas e dos puxões de cabelos e começou a correr, corria e gargalhava ao mesmo tempo.

— Desculpa, Leila! Não foi a minha intenção arrancar seus Megas.

Corria e ao mesmo tempo gargalhava.

— Eu vou arranhar a sua cara, seu traveco nojento!

Rose corria pelas ruas e logo atrás vinha a Leila que jogava os tamancos na direção da transexual, que se esquivava.

— Eu dou jeito no seu cabelo - Gargalhou mais alto ainda — Lá no meu salão!

Rose já apresentava sinais de cansaço.

— NUNCA! - Gritava ofegante enquanto perseguia a transexual — Não piso lá naquela sua espelunca - Vociferou.

— Então se fode aí! - Rose gritou.

A transexual desviou bruscamente de uma mesa cheia de frutas para vender e entrou numa viela, mas Leila não teve a mesma sorte, a mulher não freou a tempo e caiu por cima das frutas, derrubando as mesmas junto com a mesa, só se via os frutos rolarem de ladeira abaixo.

— MINHA QUITANDA, SUA RAPARIGA! - A senhora gritou pondo as mãos na cabeça.

Totalmente sem fôlego, Rose corria e ao mesmo tempo chorava de rir.

— Ela... - Gargalhava alto, pondo as mãos na barriga — Ela se fodeu! - Riu.

De repente Rose esbarra num corpo grande e musculoso.

— Quem se fodeu?

— Ai que susto, Paulão! - Disse colocando uma das mãos no lado esquerdo do peito.

— Não sei quem se fodeu ou vai deixar de se foder, só sei que eu estou com vontade é de te foder, minha gostosa - Disse agarrando a transexual.

— Quer parar com isso, Paulão?

Disse olhando para os lados, com medo que alguém os flagrassem.

— Alguém pode ver a gente - Disse se afastando do corpo musculoso do traficante.

— Tem ninguém aqui não, relaxa! - Paulão mordeu o pescoço — Agora vira essa bundinha gostosa para mim - Suspirou — Vai, vira! - Disse tentando virar o corpo.

— Isso aqui não, Paulo! - Reclamou — É muito arriscado!

— Porra nenhuma, Rose! Não vou te comer, é só para dar aquela sarradinha.

— Duvido você querer apenas ficar nesse esfrega-esfrega - Desafiou.

— Vai! Vira esse bundão

Paulão usou toda a sua força e me virou de uma só vez

— Isso! Que bundinha deliciosa! - Disse dando um tapa nas nádegas da trans.

— Ai, Paulão! - Rose se entregava aos poucos.

— Rebola para mim, vai? - Pediu — Faz isso para o seu Paulão.

— Acho que eu ouvi passos - Disse tentando se livrar dos braços do homem.

— Não é ninguém - Paulão começou a rebolar, e rebolava como um profissional.

— Não faz isso, Paulão - Rose delirava.

— Tu gosta quando rebolo assim, não é vadia? - Paulão gemia baixo.

— Para com...

— Sente meu pau pulsando, Rose! - Paulão tampou a boca com uma das mãos.

Paulão pressionou ainda mais forte o seu corpo musculoso contra a bunda de Rose.

— Ai, Paulão! - Gemeu se entregando mais ainda.

Paulão gemeu sorrindo

— Não fica mole não, eu fico louco quando você fica assim toda entregue para mim.

As pernas da transexual enfraqueceram, fazendo Rose perder as forças e Paulão a segurar pela cintura. O chefe do morro se aproximou do ouvido, mordeu a orelha e sussurrou.

— Vou te comer! Quer levar rôla aqui ou lá em casa?

Rose choramingou.

— Hein, porra! Vai querer levar ferro aqui mesmo ou lá no meu barraco? - Perguntou.

(•••)

✪ NARRADO POR ROSE

Assim que Paulão fechou a porta de vasculhante atrás de dele, agarrou meu corpo e me beijou.

— Delícia! - Disse mordendo meu pescoço.

— Se prepara que hoje tu só sai daqui quando tiver toda arrombada - Disse assim mesmo.

— Me beija, Paulão! - Implorei — Eu quero você.

O traficante me beijou como nunca tinha beijado antes, desde quando transamos pela primeira vez, em seguida ele me pegou no colo e levou para o seu pequeno quarto, chegando lá, ele me jogou violentamente em cima da cama.

— É para gritar, ouviu? Quero ouvir você gritando quando eu tiver socando.

Paulão tirou a sua camisa, exibindo aquele corpo bem trabalhado e o suor correndo pelos gominhos do abdômen sarado.

— Vem, meu gostoso! - Eu já estava acesa de tesão — Acaba comigo.

Só foi eu dizer isso que meu traficante se jogou na cama, rasgou minha blusa e sutiã, exibindo meus seios que batalhei tanto para tê-los em meu corpo masculino, Paulão começou a lambê-los, como se estivesse sedento por aquilo, depois tirou meu shorts, calcinha e subiu até meus lábios para me beijar.

— Minha morena gostosa! - Paulão mordeu meus lábios — Você é minha! Só minha.

— Sou toda sua! - Confirmei o que ele disse.

Paulão ficou de joelhos na cama de casal e tirou sua bermuda, ficando de cueca Box, deixando seu pau duro bem marcado no tecido, denunciado o seu tesão.

— Olha como você me deixa - Disse pegando na piroca dura que nem ferro sob o tecido preto

Gemi totalmente entregue a ele.

— Você me deixa assim, Rose! Babando de tesão - Apontou para a mancha na cueca.

— Então tira! Tira essa piroca e me mostra ela babando.

— Olha aqui! - O meu traficante botou o pau para fora — Não queria ver ela?

Disse segurando o pau apontando em minha direção, o fio do pré gozo chegava até o colchão.

— Meu! - Me aproximei — Só meu! - Disse pegando o membro que pulsava para cheirar.

— Então tá esperando o quê para cair de boca?

Paulão segurou a minha cabeça com com a mão direita e a forçou para baixo, onde fiquei de cara a cara com o cassete que não parava de sair aquele líquido transparente do buraquinho que sai o xixi.

— Vai, am... Rose! Bota tudinho na boca, vai!

Impressão minha ou ele quis dizer amor?

— Huuuuuuum!

Paulão deu um longo gemido quando engoli o pau de uma só vez, sentindo a piroca dele pulsar cada vez mais e encher minha boca de pré gozo, ao ponto de transbordar um pouco pelos cantos da minha boca.

— Isso, Rose! - Gemeu — Puta que pariu! Que delícia.

Após engolir o pênis pouco a pouco, resolvi fazer o que Paulão adora que eu faça.

— Deita, Paulão! - Disse empurrando o corpo do meu homem levemente.

Ele deu aquele sorriso sem-vergonha ao deduzir o que eu iria fazer.

— Minha delícia! - Disse acariciando meu rosto.

Após passar a minha mão pelo seu corpo musculoso, o fazendo gemer, cuspi na minha mão e comecei a masturba-lo, junto com o pré gozo, lambuzei ainda mais seu pênis para facilitar quando eu estiver com ele na boca.

— Eu vou gozar - Paulão abriu as pernas rapidamente — Eu vou gozar, Rose! - Disse ofegante.

Rapidamente apertei a sua glande para evitar que o gozo saísse, ao mesmo tempo, Paulão urrava como um urso.

— Faz isso comigo não, caralho! - Disse me abraçando ao mesmo tempo que me beijava — Por pouco eu gozava na tua mão - Suspirou.

— Hoje você tá que tá, hein? - Zombei — Agora vai, deita aí que vou continuar.

— Adoro quando você faz garganta profunda em mim - Disse.

Respirei fundo, prendi a respiração, coloquei a língua para fora e fui engolindo o pênis do Paulão, que não era nada pequeno, até chegar no meu limite, então tirei rapidamente por conta da ânsia de vômito e repeti até conseguir engolir por inteiro, mas quando eu fui tirar, Paulão segurou minha cabeça, fazendo eu sentir ânsia de vômito.

— Porra, Paulão! - Reclamei — Assim não dá - Disse tossindo.

— Desculpa, Rose! - Disse sorrindo — Eu nunca resisto.

— Se fazer isso de novo, eu paro. Ouviu? - Disse sério.

— Você que manda, minha chefa - Zombou fazendo continência.

Novamente fui colocando o membro pouco a pouco, controlando a ânsia de vômito, até o pênis encostar na garganta, ouvindo o meu chefão do morro gemer cada vez mais alto. Quando eu tirei o cassete da minha boca, Paulão não aguentou e vários jatos de sêmen atingiram meus olhos, lábios e até o meu cabelo. Foi muito gozo!

— Eita! - Disse espantado — Desculpa, dessa vez não deu para controlar - Sorriu.

— Parecia uma fonte - Sorri também, tirando esperma dos meus olhos.

— Nenhuma mulher fez uma garganta profunda como você faz. Profissa, hein?

— Ah, eu fazia muito com meu ex-namorado - Vi ele se remexer incomodado — Que foi?

— Porra de ficar lembrando de ex namorado, agora tem eu - Disse batendo no peito.

Eu gargalhei.

— Mas só tava dizendo que aprendi várias coisas com ele, inclusive garganta profunda, mas a diferencia é que você tem um pênis bem maior, por isso tenho mais dificuldade - Falei.

— Tá bom! - Bufou — Agora vira essa bundinha que eu vou dar um trato nela.

E começou o segundo round! Após Paulão lubrificar meu botãozinho com a sua saliva, através da sua língua, ele me colocou de quatro e se aproximou de joelhos atrás de mim, deixando seu pênis, que tinha por volta de 20 ou 21 centímetro, a altura do seu destino final, com ajuda da sua mão, meu chefão pressionou a glande do pau que tinha dificuldade de entrar.

— Vai devagar! - Choraminguei de dor ao sentir que a cabeça tinha passado — Tá ardendo.

— Calma! Já entrou o cabeçote. — Disse beijando minhas costas nuas.

Estranhamente, carinhosamente, o cassete do meu bonitão foi deslizando lentamente até eu sentir seus pentelhos aparados e seu peitoral musculoso encostarem em mim. Eu falo estranhamente, porque Paulão sempre foi desses tipos de homens brutos, que não tinha pena na hora H e foda-se quem estiver sendo comido por ele.

— Huuuum - Gemeu — Posso começar? - Perguntou após passar alguns minutos parado.

— Pega leve!

Foi a única coisa que eu disse em sã consciência, porque após eu libera-lo, Paulão segurou os meus dois ombros com as suas mãos, eu sabia que ele só iria parar quando estivesse despejado a última gota de esperma dentro de mim.

— Isso, infelizmente, eu não posso garantir - Disse dando a primeira estocada com violência.

— Ai! - Gemi sentindo uma dor aguda dentro de mim.

— Isso, sua cachorra, geme para o teu dono! - Disse dando outra estocada violenta.

— Ai, Paulão! - Gemi alto.

— Tá sentindo? - Bradou ao dar mais uma estocada, só que essa mais agressiva ainda.

Gemidos, Gritos, Suspiros e barulho de duas peles se chocando, foram os únicos sons que se ouvia dentro daquele quarto. Paulão socava cada vez mais fundo dentro de mim, cada vez mais rápido e apertava meus ombros cada vez mais, chegando até a doer, mas eu sei que ele não fazia isso por mal, era o tesão, esse era o Paulão na cama.

— Ahhhh! Puta que pariu, Rose!

Paulo soltava o ar entre os dentes ao mesmo tempo que caia de costas na cama.

— Esse quarto só faltou pegar fogo - Disse a verdade.

— Juro que vi umas labaredas de fogo saindo de mim quando eu tava te comendo.

Rolei pela cama e subi em cima do corpo dele que me segurou.

— O que é você tá olhando para mim assim? - Perguntou.

— Você é lindo, sabia? - Disse com sinceridade.

— Já me falaram isso - Disse com modéstia.

— Ah, seu safado! - Disse batendo nele — Eu tô falando sério.

Paulão gargalhou mais ainda.

— Tá bom! Você também é a minha musa - Disse dando um selinho.

— Paulo! - Chamei.

— Nossa! Dificilmente você me chama de Paulo - Disse mexendo nas minhas mechas.

— Você namoraria comigo? - Perguntei vendo Paulão sorrir.

— Oxi! - Riu — Tá me pedindo em namoro, é? - Gargalhou — Vou pensar.

— Eu tô falando sério, seu ridículo! - Me irritei ao mesmo tempo que também sorria.

— Não precisa disso, porque a gente já é juntado. - Falou me encarando.

— Ah, Paulão! - Mergulhei meu rosto em seu pescoço suado — Mas é diferente de namorar.

— Você queria o quê, meu amor?

Primeira vez que eu ouvi ele falar a palavra amor para mim, ele nem percebeu.

— Que eu dissesse por aí que você era minha namorada? Infelizmente isso não é um conto de fadas, isso aqui é a vida real, Rose! - Disse suspirando — O buraco é bem mais em baixo. É muito complicado! - Disse acariciando meus cabelos.

— Eu não estou te cobrando nada, querido - Disse a verdade — Até porque eu sei a minha realidade, entendeu? Mas me responde uma coisa, Paulão!

— Lá vem - Disse Paulão revirando os olhos.

— Você me ama? - Perguntei de uma vez só.

O silêncio reinou no quarto.

— Lá vem você com essa frescura. O que você tem hoje? Tirou o dia para fazer essas perguntas?

— Deixa para lá! - Era a hora do drama — Que nada a ver isso, né?

Sai de cima do seu corpo e rolei na cama até ficar de costas para ele, ainda deitada.

— O que foi agora? - Perguntou, mas eu fiquei em silêncio.

Ouvi ele bufar e senti uma das suas mãos que estavam estranhamente geladas.

— Eu gosto de você, tá bom? - Falou se sentindo incomodado.

— Gosta? - Ergui um pouco a cabeça para olhar seu rosto — Gostar, muita gente gosta, eu posso até citar nomes aqui como exemplo, vê só, Lucas, Juninho, Dona Josefa, Dona Mércia, Dona Emília...

— Mas eles tomariam um tiro por você? - Disse me interrompendo.

Arregalei os meus olhos de surpresa, mas ainda continuei calada.

— Eu tô começando a ficar puto, mas muito puto contigo, sabia? - Disse num tom irritado.

Ouvi ele suspirar profundamente e bufar mais uma vez.

— Eu te amo, caralho!

Oi?

— Eu te amo desde aquele dia que bati os olhos em você no Acadêmicos do Morro.

Essa nem eu mesma sabia.

— Ai, Paulão! - Emocionada, me virei rapidamente e agarrei meu chefão

— Isso é coisa de louco! - Disse para mim.

— Por que, Paulão? - Perguntei.

— Se alguma pessoa viesse me dizer que num futuro próximo eu estaria dizendo eu te amo para um traveco, com certeza eu iria rir até me acabar e ainda dava um soco na cara dele.

Disse me fazendo rir bem alto.

— Ai, Paulão! E isso é só o começo, em breve você vai estar rastejando aos meus pés.

Sorri ao ver a cara fechada do Paulão.

— Vai tomar no cu! Rastejando não que eu não sou cobra.

(•••)

。◕‿◕。

Gostou do capítulo?

Então não esqueça de comentar e de dar o seu voto para me ajudar.

Quer ler o capítulo com imagens dos personagens?

Então leia no WATTPAD: ➜ wattpad.com/vitorgabrielbr

(Copie o link e cole no seu navegador)


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Vitor Gabriel ☑ a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/09/2016 00:25:19
Cara perfeito sua história! Demora pra postar n!! Abçs!!!!
16/09/2016 03:46:57
Vem cá, uma coisa queria que resolve-se logo, quem matou o pai do Max ? Se for quem eu estou pensando essa pessoa teria um motivo pra isso ? To bugado agora, resolve issues logo, a veia at sofrendo na cadeia.
14/09/2016 01:02:21
eu ri muito com esse capitulo kkkkkkkkkkkkkk rose maluquinha que eu tanto amo e eu me indentifiquei com ela na parte do menino feio eu faço isso tmbem e esse sexo de paulão e rose foi bem quente adorei kkkk paulão é gamado na diva domorro
13/09/2016 21:46:39
kkk essa Rose eh demais kkk poderosa fez o macho gamar
13/09/2016 21:16:48
Adorei a Rose e as suas maluquices com as vizinhas ela é muito divertida e comunucativa...que menino lindo parece um anjinho...no fundo que bicho feio....eu sou igualzinha quando faço este tipo de comentário com alguém..a declaração do Paulão foi linda.Agora vem Max e lucas e Luan...será que o Max se aproximou do lucas de propósito? Sei lá, descobrio que tinha um irmão e não quer dividir a herança e assim sem nada querer fingiu ser amigo do luan?...Será que eu errei tanto assim em pensar que o amor do Max pelo Lucas é verdadeiro sincero!? Espero realmente que não e que tudo se resolva logo.
13/09/2016 15:25:39
Rose doida como sempre kkkkkk. até viajei vendo ela correndo morro a baixo de uma loca descabelada. kkkkk. Max pode até não ter matado o pai mas matou o Promotor que brigou com o Lucas no bar e ainda tentou atropelar o amigo dele. esse e doido de pedra. quero saber se ele já sabe que além de gay ele e adepto do incesto com o irmãozinho, e Luan que também quer o Lucas mesmo casado. esse conto tem muita treta. bjk
13/09/2016 10:31:18
Capítulo muito bom, hot como você mesmo escreveu.Agora fiquei preocupado quando você disse que Max não é tãi vítima assim.Cara chego a suspeitar que ele que matou o próprio pai e tenho certeza que a cumplicidade com a Kelly é muito grande.
13/09/2016 09:47:31
Droga de celular 📱!!! Foi muito romântico!!! Continua logo!!! 👏👏👏😍😘💓
13/09/2016 09:45:34
Foi meio romant
13/09/2016 02:01:27
AMEIIIII KKKKKKK Q LINDO O PAULAO ...BJS CONTINUA ❤❤❤❤❤
13/09/2016 01:03:41
ESSE VALE 1000
13/09/2016 00:38:57
Kkk perfeito,mais eu sou suspeita para falar, pois amo o conto..
13/09/2016 00:15:58
kkkkkkkkkkkk que capitulo louco kkkkkkkkkk ela tava fazendo falta mesmo ^^


NovinHa motra cacinha saiacontos eroticos Robertacunhada sonhado pegando no pal do cunhadocomendo o cu da mulher do corno curras contos eroroticos"corpo da minha professora"novinha esgassada casada xvidioxvideos sotados machucando velhas covardiawww.casadoscontos Negra escraviza brancavídeos pornô contos eróticos - diário de uma louca fudendo a tia xvideo chinesa se encabulou com o pau do negão e foi arronbadase disfarcou de abajour xvideos.commulher mostrando a bunda com Arturzinho Só de shortContos eroticos incesto com titias e crentescontos eroticos o nascimento dos peitinho da maninhapornodoidomamaegostosa e filho virgemvocê não vinha sendo 43 o marido da mãe dela fazer o carinho XVídeos consolar elacontos incestos mãe mais lidos 2017Conto erotico de crentinha safadasibrinhas vatendo punheta pros tiios ate eles gosaremdeposito de porra molecadawwwxxvideo filhinha apaixonadaContos eroticos homen come mulher bebada dormindocontos eroticos me obrigaram a fazer nojerasxevedeos cumendo a amiga da minha mãe que véio passar ferias na minha casa vedeos caserowww.tufos gostosa tomando banho no muro de fiu dentalconto gay bostavideo minha geba arrombando o cu do padrecobovinha levou varada forçaGordinhos fudrndode chortinho pensando no namorado pornquero ver vídeo de mulher se exibindo tirando a calcinha bem puxado para cima ficando só o montinhonegom gosano dentro do cu da menina de menormãe da minha mulher me mostranndo o pentelho me provocandovizinha tenho 18c.m. te cerve pornocontos erotico,meu genro me enrrabou dormindoMamae me pegou comendo minha irmã caçula contosirma gravida fudendo com irmao1minuto xvideosrevista private relatosesposa exibicionistaconto porno mendigozoo comendo cadelacontos eroticos gay fui cassar passarinhodocenandacunhada louca pra sentir rola grande pega cunhado de pau duro e nao resistecontos eroticos conhado bebado abandona esposa/texto/201310401eu estupando gurizinho de seis anos gay contospornodoido sistema.brutobucetadefiuCumeno madura no quintau quero ver foto de caminhoneiro do pau grande e grosso e ele peludão grandãoconto erótico mulher casada f****** com cunhado YouTubenovinha perdendo avidadi/texto/201705176enfiando o dedo na cabacinha delacontos eroticos carona gostosa com a filhinhaviparado liquito para chupa bucetaas boyzinha brasileira no chat se masturbando XVídeos completominha primeira siriricaconto erotico ela passou a lingua na.minha buceta do grelo ate o.buraco da.vagina e enfiou a linguaxiv padrasto peganfo aentiada sexso analx video acampamentomisteriocontos eiroticos leilapornBucetao agoentando pintao no xvidiocontos e vidios homem casado na casa de massagem ė enrrabadominha enteada dorme de rabinho pra cima só doido pra uma luneta pra ela é melar ela todinhaeu quero pornografia pornografia as meninas retada os cabelo achando tudo grandeboquinha lizinha vidiocontos eiroticos leilapornrelatoeroticomorenaContos eroticos sapatao machaoconto erotico caseiroconto gay alvinho e o velho amigo da famíliasexo grátis pegei a cunhada coroa gostosa a forca em florianopolisempregadinha sexual submissa emprestada conto eroticoTonhão transa com sua cadelaConto erotico mulher recatada liberndo a puta reprimidaver videios de movonhas verzermulher pelada com a b***** cheia de goza cobrindo a telacomi o cu da gringa contoscontos eróticos minha namorada putaTransando com o pai ate esguichar de prazer em putaria brasileira videos curtos de incestoxvidio panteras.com/testedefudeludade casadasnovınha metendo agaxada na rolacasadoscontos minha sobrinha branquinharelatos casadoscontos american talefiz sexo com colega sarado trabalho contosgaysconto erótico boqueteContos mendiga pornocontos eroticos sete anosmae ea finha damdo a bucetatia de shorts grudadinho dandover porno negao dotado emulher com muito tesao egosanocontos eroticos malv comendo as interesseiracontos da xana tia marta coroaxvídeos i****** filho tenta fudera mãe e ela não quer dar mas acaba conseguindoConto erotico inocencia perdidacontos de novinhas sendo fudidas com sadomasoquismo pela primeira vez um sexo agressivo pra estimularmadrasta traza com estrando até de se casavideos de zoofilia mulher tarada por um jumento desmarcado