Colégio Militar - Cap. 23: Franqueza

Um conto erótico de Fmendes
Categoria: Homossexual
Data: 25/06/2020 07:00:51
Nota 10.00

No sábado de manhã, estava sentado no banco aguardando meus pais virem me buscar. Meu pé já havia apresentado profundas melhoras, mas mesmo assim, não quis abusar. De fato foi melhor eu ter tomado o analgésico, pois só consegui dormir bem quando este fez efeito.

Elias estava comigo, me fazendo companhia, até que seus pais chegaram. Minha mãe já havia me avisado que tinha pego trânsito no caminho, por conta de um acidente na pista, então relaxei e aguardei. O clima estava ótimo. Cairia muito bem uma praia, mas pra mim, seria somente o video game mesmo.

Nesse instante, Soares apareceu e sentou ao meu lado.

- Fala aí, perna de pau. Como está?

Eu sorri. Preferia 'Capitão', até 'Mendes', mas não escolhiamos nossos apelidos. E Elias havia me garantido aquele ao me por em meu lugar no futebol.

- Melhor - informei - E o Pedro?

- Terminando de arrumar a mala. Esqueceu de fazer ontem

- Vão passar juntos e fim de semana?

- Melhor não - declarou - essa prova é muito importante e quero começar a cair nos estudos hoje mesmo.

- Entendo. Vai dar tudo certo - e pus a mão em seu ombro.

- Valeu.

E ficamos calados, aquele silêncio incômodo. Era difícil estarmos só nos dois, normalmente sempre tinhamos a intermediação de Siqueira ou Pedro

Não tinha muito assunto naquele momento, então resolvi puxar um e brincar.

- E aí, levou o Pedro no grilhão alguma vez? - perguntei com um olhar de esgoela.

Soares riu.

- Sabe que nem tive cabeça - admitiu - Mas, nem sei mais...

Parou a frase no meio e eu pensei se deveria ou não incentivar a continuar.

- Algum problema? - obviamente eu continuei

- Não, problema não... Só... Às vezes fico me perguntando se tô forçando demais a barra com ele...

Eu ergui uma sombrancelha e esperei. Acho que era a primeira vez que via Soares em dúvida sobre alguma coisa.

Ele me olhou e riu

- Amo o Pedro. E gosto de nossa relação como está. Mas as vezes penso 'caramba, vamos nos casar' e sabe... Fico pensando no nosso jeito de nos relacionar e vem a dúvida.. 'sera que daria certo continuarmos com isso' ?

Eu pensei um pouco.

- E porque isso agora? - achava estranha sua dúvida, assim de repente. Sentia que tinha algo mais ali.

- Não sei.

- Vocês não se enganam. Gostam das mesas coisas. Confiam um no outro. Qual o problema com quem transam - e lembrei do meu tio - prefiro isso do que fazer pelas costas. E não tenho ilusões com Pedro. Pode ser tímido pra muitas coisas, mas de santo não tem nada

- Eh - e ficou sem graça.

- Você me disse uma vez que sabia o que queria - lembrei - algo mudou?

- Não - agora senti um pouco de convicção na sua voz. - As vezes tenho medo do Pedro não gostar tanto quanto eu... Digo... Eu já fiz muita coisa aqui nesse colégio. Sem ele, sabe. Ele sempre levou de boa. Nunca reclamou e acho até que gosta das minhas historias. Mas ele mesmo nunca tentou nada sem mim...

Ele não estava sabendo articular as palavras. Tentei ajudar

- Você acha que vai ficar com ciúmes? Quando se formar e ele ficar aqui sem você? - arrisquei, mas sem nenhuma crença de que tinha acertado.

- Não é bem isso... - ele sorriu sem graça, olhando o nada. - posso te contar um sonho que eu tive? Mas fica entre nós.

- Claro.

Ele riu, ainda sem jeito. Não cansava de me surpreender com as pessoas dali. Suas facetas, suas intimidades. Quando eu achava que conhecia bem um, ele se mostrava alguém diferente em novas circunstâncias. Soares sempre se apresentou como bem resolvido, mas até ele tinha dúvidas em seu relacionamento.

- No meu sonho, eu e Pedro já estávamos morando juntos. Eu voltava do trabalho e... Bem... Ele tava com outro cara... Eu flagrava os dois, na minha cama... O Pedro pelado, de bruços... Um cara que devia ter o dobro do tamanho dele. Negro igual ele... O cara metia muito. Castigava meu marido e... O Pedro gemia alto, gemia mais do que gemeu comigo a vida toda...

Eu esperei paciente ele terminar a história. Acho que finalmente estava entendendo o 'X' da questão.

- Você não está com ciúmes do Pedro... - concluí em fim. Ele acenou de forma positiva.

- Quando saímos a primeira vez - continuei, vendo que ele não queria falar nada no momento - você me contou que queria que o Pedro tivesse experiências aqui... Que ele desse pro maior número de caras... Que te contasse depois - e sorri, concluindo - pensei que você estivesse dizendo aquilo pra mim. Para me excitar ou... Pra deixar claro que não havia ciúmes entre vocês e assim eu ficar mais a vontade... Mas você estava era dizendo pra ele. Não é?

Soares me olhou e sorriu. Não soube identificar de cara, mas me pareceu impressionado.

- Nem o Siqueira sacou meu lance tão bem quanto você - disse.

- Por isso você não queria ser o superior direto de Pedro no início - deduzi

- Não queria - admitiu - eu pedi pro Siqueira ser..

Fiquei em silêncio. Ele então me olhou.

- Você não está me julgando - observou. Ainda descrente.

- E porque eu faria isso? - questionei e pus a mão em seu ombro.

- Quando eu falei pro Siqueira ser o comandante do Pedro, ele... Ele recusou... Ele disse que... Ele disse que não era certo. Que não se sentiria a vontade. Que deveria ser eu. Que eu deveria proteger ele. Ele já... Ele já comeu meu noivo na minha frente muitas vezes, mas quando eu sugeri dele ir sozinho uma vez, ele me olhou esquisito.

- Siqueira vem de uma família tradicional. Algo diametralmente oposto da minha. Mas mesmo para mim, alguns costumes daqui foram difíceis de entender no começo.

- Não tiro a razão de Siqueira. - ele mesmo explicou - Pedro é muito introspectivo. E forçar ele dessa forma... Não acho que seria legal. Mas...

- Você queria que o Pedro fosse mais ousado - concluí pra ele. - que fizesse algo pelas suas costas.

- É... Sim... É muito esquisito? - perguntou.

- Óbvio que é - e ri - Mas e daí? Você não ta fazendo mal a ninguém. Se é o seu lance, e se Pedro também curte e partilha... Não vejo problema algum...

Achei que Soares parecia não acreditar no que saia de minha boca. Ele me olhava como quem olha um objeto raro e curioso, mas ainda estava cauteloso, como se no fundo estivesse com medo de eu estar fazendo com ele algum tipo de chacota.

Parou, pensou e então continuou.

- Eu tive uma namorada... Antes do Pedro... Namoro de adolescente. Durou 6 meses apenas. Eu descobri que ela me traia com um monitor do colégio. Dez anos mais velho que eu... universitário...- ele foi falando e eu não me atrevi a interromper. Dava para ver que lutava contra a vergonha para soltar cada palavra - Eu tinha quinze anos... Ela também Foi logo antes de vir pra cá. Uma vez, eu vi o celular dela sem querer... Ela e o monitor não tinham se conhecido do colégio. O cara já era um ficante antigo. Cara boa pinta... Dirigia... Foi ele quem a desvirginou. E eu achando que tinha sido eu. Eles saiam sempre e... Continuaram saindo as escondidas enquanto ela namorava comigo. Vi as fotos que ele mandou pra ela. A maioria pelado... Na época eu não me interessava por homens .. mas até eu achei o cara pintoso... Eu... Eu lia as coisas que ele falava pra ela. Obsceno. Detalhista... Como ele se gabava de como comia ela. Das coisas que fazia com ela... Eu... Eu fiquei sem reação... Ela era uma menina certinha, de igreja. Namorávamos na casa dela, sempre com algum parente por perto... Pra transarmos foi difícil, não só pela família, mas ela mesma se fazia de dificil. E imaginar que ela fazia tudo àquilo com outro cara...

Soares respirava pausadamente, sua mente já não estava lá... Estava longe.

- Quando ela voltou do banheiro, eu larguei o celulares dela e não consegui falar... Não consegui. Sonhei muito com ela e o cara das fotos... Bati muitas pensando nas coisas que ela fazia com ele... Cada vez que eu olhava pra ela, pensava em falar... Pensava em contar que eu sabia... Mas como eu ia fazer isso? Se ela soubesse, eu teria de tomar uma atitude. Eu era um corno... Não podia ser corno manso...

Soares me olhou, olhos marejados.

- Ao invés disso, eu fiquei observando. Pegava o celular dela quando ela não via e ficava lendo as mensagens que trocavam. A maneira como ele gostava de enfiar o oau entre os seios dela, como pegava ela pelos cabelos quando a comia de quatro. Ou como ela ficava 'bonitinha' enquanto bebia do leite dele. Eu era muito jovem... Eu não soube administrar aquilo. Contei pra um grande amigo, atrás de ajuda. Pelo menos eu pensei que fosse. Ele mandou eu tirar satisfação com ela... Não quis. Dizia que era porque a amava e tinha medo de perder. Óbvio que era mentira. O que eu queria, na verdade, era uma forma de fazer com que ela me contasse e aceitasse que eu soubesse. Eu podia ser o álibi dela. Ela dava pro cara, mas pra todos era minha namorada. Podia dar certo. Quem sabe ela me deixava assistir um dia. Uma vez peguei um video no celular dela. O canalha filmou. Não filmou o rosto dela, mas eu reconheci o corpo, em especial uma marquinha de nascença que ela tem no quadril. Ele filmava comendo ela em várias posições. E todo momento ele virava o celular pra si e sorria ora câmera. Consegui copiar o video pro meu. Assisti varias noites, me masturbando pensando que o cara tinha feito o video pra mim. 'Olha corno. Olha como eu como tua namorada. É assim que se faz'.

Soares começou a rir.

- Loucura, não é? Mas meu amigo não deixou eu continuar com aquilo. E ele não sabia da missa, a metade. Como eu não tomava uma atitude, ele tomou por mim. A confrontou, nos colocou cara a cara e naquele momento, fui abrigado a me fezer de indignado, de enojado. Disse que não podia acreditar que ela tinha feito aquilo comigo, que me sentia traído e tudo mais. Cara, como eu fui covarde. Mas meu amigo não parou por aí. Espalhou a notícia e de um dia pro outro... Tudo foi por água abaixo. Foi um escândalo para a família dela. Ela se mudou... O monitor foi demitido... E eu... E eu fiquei conhecido como o 'corno manso' da escola... Por sorte meu ciclo social do colégio era distinto do bairro... Pedro nunca soube. Nem a irmã... Na verdade, ninguém até agora.

Soares concluiu, ainda olhando o nada

- Henrique... - o chamei, pausadamente, com a voz baixa - porque você está me contando isso?

Ele me olhou, parecendo perceber só agora que eu estava ali.

- Não sei - admitiu - sem forças - nunca confiei contar essa história pra ninguém... Acho... Acho que você me parece uma pessoa confiável.

Eu fiquei verdadeiramente lisonjeado com aquela declaração.

- Obrigado pela confiança. - agradeci.

Ficamos em silêncio, depois de um tempo, vendo as pessoas passarem como se estivéssemos invisíveis.

- Você já sugeriu ao Pedro... Diretamente? - Perguntei.

- Não - confessou - Só deixei a entender... Sempre contei das minhas aventuras, na esperança de ele me contar as dele. Ele tem a senha do meu celular e eu tenho a dele olho o dele de vez em quando na esperança de achar... Mas...

- Ele não vai te trair - declarei - Não é da natureza dele... Ele te ama.

Soares apenas acenou afirmativamente. Em silêncio.

- Traição exige que alguém esteja sendo enganado. - continuei. Mais uma vez lembrando de meu tio e de Lucas. Se ele tivesse seguido conforme Lucas queria, não haveria traição. Uma vez que seria algo de comum acordo. Agora a partir do momento em que fez sozinho, sem seu conhecimento. A coisa mudou - Não há isso entre vocês. Ele sabe de tudo o que você faz e concorda e você gostaria que ele fizesse mais - fui narrando, mais para mim mesmo que para ele. Meu cérebro trabalhava pesado, como se estivesse resolvendo alguma questão complexa de prova

- Pedro já sabe que por você, ele tem carta branca para fazer o que quiser. Mas ainda sim não faz. Porquê não tem necessidade disso. Pedro é tímido tambem, sim... Mas mais do que isso... Pedro tem...

- Tem esse ar servil. - Soares foi me ajudando - Ele é daquele tipo que realmente gosta de servir. Gosta quando eu o ofereço para os outros.

- Exatamente - dei corda - ele não é do tipo que vai tomar a iniciativa. Por ele, não. Só se ele souber o quanto isso é importante pra você. O quanto realmente você quer isso.

Eu então o olhei com uma ideia pipocando em minha mente e ele sorriu.

- Que cara é essa? - quis saber.

- Nada... - me fiz de desinteressado - Pedro gosta de ter alguém em seu controle... E não vai aceitar ninguém que não seja você. Há menos... Que você designe alguém - sugeri por alto - Sabe... Um cara maneiro... De confiança... Boa pinta - completei olhando de rabo de olho - que vai estar aqui nessa uma semana em que todos os majores vão estar fora - olhei de novo de rabo de olho.

Nesse momento, percebi que seu rosto se iluminou. Ele havia pescado a ideia.

Bem na hora, pois logo ao longe estava vindo Pedro.

- Acho que você seria uma ótima escolha - ele sugeriu.

- Você acha - me fiz de surpreso e ele riu. - Gosto muito de vocês - admiti - acho que formam um belo casal. Meio pancada, mas muito legais juntos.

Ele riu e me olhou com ternura.

- Acho bonito a maneira como vocês se olham. Mesmo no meio de uma putaria, o olhar que vocês dois trocam é diferente. É termo. É... Não sei explicar. Mesmo no meio de outros homens, como ocorreu em verão vermelho, vocês dois se destacam. Fica bem claro que o que vocês têm e diferente de tudo em volta.

Ele sorriu e agradeceu.

- Do que vocês estão falando - Pedro enfim tinha chegado, trazendo sua mala pelas rodinhas

- Sobre minha ausência, amor - Soares levantou e abraçou o noivo.

Nesse instante, tambem chegou Siqueira, nos saudando.

- Como anda o pé, Fabio?

- Bem melhor, Gabriel. Obrigado por ontem - respondi.

Ele apenas assentiu com um gesto, meio encabulado ainda. Soares o olhou de rabo de olho, mas o major percebeu.

- O que foi, major?

- Nada .. só estou passando para meu noivo as orientações enquanto estiver fora.

- Que seriam...? - Siqueira ficou curioso.

Pedro esperou, tambem intrigado.

- Bem. Sabe que vamos ficar fora uma semana. E nesse momento, os sargentos do segundo ano podem querer crescer as asinhas. Então, Pedro, te deixo sob os cuidados do soldado Mendes. Acho que será um bom treino para quando ele assumir a liderança daqui a dois anos.

Siqueira olhou desconfiado, mas deu de ombros.

- Não vejo ninguém melhor, de fato. Fabio... Digo, o Mendes é de longe o mais qualificado.

- Obrigado pela confiança - agradeci.

- Ouviu, Pedro. Enquanto eu estiver fora, quero que obedeça ao Mendes. Faça tudo o que ele mandar. Ele vai te proteger em minha ausência.

- Ah... Acho que entendi - ele ainda estava um tanto confuso, mas não haveria tempo de explicar. O carro com a mãe de Pedro chegou e ele acompanhou o noivo até lá.

Siqueira sentou ao meu lado.

- O que vocês estão tramando? - Quis saber

- Confidencial, major.

Ele riu.

- Sempre com surpresas, Mendes.

E passou o braço pelo meu ombro e me abraçou. Senti que ele ia beijar meu rosto, mas não o fez, parando na hora. Abaixou a cabeça e apenas sorriu sem graca.

- Se cuida, Fábio.

- Pode deixar - senti calor. Talvez fosse o tempo mais quente - vai dar tudo certo em sua prova. Você é o melhor da turma e muito capaz. Vai tirar de letra

- Obrigado mesmo - respondeu com sinceridade - estou me preparando para ela desde que entrei nesse colégio, para ser franco.

- É seu sonho?

- Aham - ele olhou o horizonte, pensando não sei em que. Depois me olhou de novo e sorriu.

Soares voltou, mas não falou nada. Não querendo interromper.

Siqueira tirou a mãos do meu ombro e se levantou.

- Vamos então - falou com Soares. - Onde está seu carro para eu ir pondo a mala?

Soares indicou e Siqueira foi indo na frente, meio apressado.

- Mendes, como é mesmo o olhar que você diz que eu tenho com o Pedro?

- O que? - estava distraído e não entendi bem a pergunta.

- Nada - corrigiu.

- O que foi Soares? - insisti, curioso e ao mesmo tempo encabulado. Só não sabia porquê ainda.

- Nada mesmo - se manteve firme - Obrigado por me ajudar a entender minha situação. Só não faço o mesmo por ti, porque acredito que no seu caso vai ser melhor que a ficha caia sozinha.

E de despediu com um sorriso e eu fiquei ali, sentado, meio perdido...


Este conto recebeu 96 estrelas.
Incentive Fmendes a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
29/06/2020 00:58:13
Eu estou gostando demais Fábio!!! VC arrebenta!!! E sei que vc faz td com mt amor e carinho pra galera se deliciar com a história. Me pintou uma curiosidade Fábio: você viveu toda essa História ou vc criou todos o roteiro e personagens?
J.R
28/06/2020 09:44:06
Você é muito gente boa fmendes 😍 seu nome estará lá como o criador, não será um plágio só lhe lembrando dessa detalhe. E sim esperarei o final para postar completo e já editado. Obrigado pela autorização.
27/06/2020 18:03:05
27/06/2020 09:36:07
Unica coisa que me deixa triste é saber que você já está chegando na reta final do conto. Queria realmente poder acompanhar os outros anos do Fábio no Pracinhas, mas a história está sensacional, como sempre
27/06/2020 02:36:57
Meu shipp ngm sai AAAAAAAA ta acontecendo
27/06/2020 01:59:44
Tomara que essa ficha caia logo 🤩🙏cada capítulo fica maravilhoso ler... Incrível.
27/06/2020 00:25:43
Cara, fiz um cadastro no CDC só pra comentar seus contos. Sigo a moto tempo e acho todos eles sensacional. Seus contos são os melhores daqui. Parabéns 👏🏽👏🏽👏🏽
26/06/2020 07:20:12
Bom dia, pessoal. Estamos chegando na reta final da história e estou muito animado. Meu grande medo quando comecei, foi justamente não dar conta de tornar a história interessante do inicio ao fim. Fico muito feliz que estejam gostando. J.R., eu não conheço essa plataforma a qual me citou. Não tenho problema algum de você compartilhar por lá. Só uma observação. O CDC teve o que pareceu, uma atualização, e nela, meus contos sofreram uma alteração. Acontece wue eu tinha o hábito de usar aspas para simbolizar os diálogos de meus personagens. E na atualização todos sumiram, deixando os primeiros capítulos muito confusos. Eu iniciei agora um trabalho de edição e vou atualizar todos os capítulos tão logo termine a história. Os atuais ja estão atualizados para os diálogos em travessão. Mas mesmos esses serão revisados para correção de erros de concordância e digitação. Então, se quiser esperar um pouco para fazer isso, pode ser melhor. Mas fique a vontade. Não vejo problema algum
26/06/2020 02:59:41
Exemplar como sempre!
26/06/2020 01:24:38
Esse conto é muito estranho pra mim, o contexto é coerente com o que o autor se propôs a escrever, mas às questões que envolvem o tema militar como por exemplo submissão me deixam tenso, embora eu saiba que é apenas um conto tenho convicção que eu jamais me submeteria a tal coisa, ou seja, pra mim é uma narrativa absurda e mesmo assim gosto de ler sua estória Sr FMendes.
25/06/2020 21:47:03
amor liberta
J.R
25/06/2020 20:09:31
Oi Fmendes, desde o início amo sua história, gostaria de saber se você também a pública no Wattpad, caso não ficaria muito grato em ter sua autorização para publicar, la iria deixar claro que a história e uma que acompanho é gosto muito aqui do site. Espero que me responda bjs
25/06/2020 18:01:55
Conta logo! O que aconteceu? Interrompi a punheta e meu pau chega ficou doendo.
25/06/2020 15:51:21
Porra! Vcs acabam com os militares desse jeito. Mas fica de boa q sou zero preconceito e o texto tá bem digitado. Texto me chamou atenção por falar de colégio militar.
25/06/2020 15:04:17
Não comentei os capítulos anteriores, mas deixar aqui meus parabéns a você Mendes. Muito bem escrito! Li todos e sempre espero ansioso pelo próximo. Você, com a sua narrativa, nos permite a ser o protagonista, nos sentir como parte da história e ter os sentimentos ali presentes. Li uns trechos dos seus outros contos, mas definitivamente esse é o seu melhor. Não deixe isso se perder. Me tornei seu fã em pouco tempo. Torço pelo personagem. As vezes me pego pensando: é real ou ficção? Pois o sentimento está presente, não são simples palavras. E aí está ponto. Sei como é difícil escrever. Espero um dia que meus contos tenham essa qualidade, essa maneira de prender o leitor. Queria escrever tantas coisas para você, que sempre penso enquanto leio o conto, mas... Falarei aos poucos. Tenho a sensação, que muitas vezes sou amigo dos personagens, do autor ... E isso é mérito seu.
25/06/2020 14:11:47
Parabéns fabio vc e um escritor muito bem , consegue nos levar pra dentro do conto ,se escerevesse livros eu amaria ler
25/06/2020 14:11:26
É simplesmente incrível a mudança de nuances dos seus contos!! Perfeitoooo!! Vamos ver quais serão as safadezas do próximo conto! (Será q os 3 amigos inseparáveis vão fazer um belo de threesome?! Kkkk)
25/06/2020 14:10:40
Achei tao lindo o capítulo de hoje . Amo todos óbvio mais o de hoje tocou meu coracao
25/06/2020 14:07:52
Adoro seu conto. Pq não é apenas putaria. É sexualidade. Adoro o casal Mendes e Siqueira. Apesar de achar que no final eles não vão ficar juntos.
25/06/2020 12:44:32
Que romântico!!! Esse conto é bom demaaaaais. Já tô na expectativa do próximo capítulo, como sempre, aliás.

Online porn video at mobile phone


meu marido sabe que sou a puta do meu patrãocontos eiroticos leilapornVIDEOS EROTICOS GORDINHA NO ÔNIBUS ESCOLAR BUNDINHApornobjssgemi e gritei na pica do papaicontos eróticos adoro foder com um pirocãoXevedeos corno leva mulher para festa e eu como ela escondida vedeos casero conto erótico transei no tratormeu sogro e minha mulher sair pra rua e eu fudicom minha sogra gostosaporno novihna bano no baile funkcontos eróticos o tio com minha namoradaxvideo irma delicia centa no colo do irmao e ñ aguenta o tesaotrali de filmis porno kinbengala com nifetascasa dos contos eróticos sóciomúsica filme pornô 2018 também é gostosa negona acelerei muito do negãoPapai vio eu de sainha sem calsinha fes eu senta en seu colo pal fora da bermuda semtei gostei dei ate meu cu po meu pai contoscontos eróticos o rezadormulheres dos bicos dos seios bicudos tratantes pornôcontos eiroticos leilapornComersubrinhanovinha olhando o caralhao na cam chat e se assustoyconto erotico sexo bruto com 2homemcontos eroticos gay fui cassar passarinhogostaria que você mandasse primeira foto do Biel batendo punheta peladocâmeras escondidas que estragaram Anitta dando a bucetax vídeos porno eu e minha mãe fomos tomar banho e fiquei esitadoprofessora do encino fundamental se masturbano peladacostos eroticos madrasta come cu de enteado com pintocontos minha esposa quando me liga e porque sou cornoquero ver sexo com Gleicy com dois negão com a b***** molhadinhaVidios porno miguelopos spConto erotico inocencia perdidaconto erotico de corno paraenseumaputasuruba fotosmeu marido trouxe o seu amigo para nos chuparmos o seu cacete dotadopassando oleo de alho no pau xvideosgozando na boca crente novinha sem avisarvídeos de pornô com homem com homem o homem chamando shampoo no pinto do outro e lambuzando de xixipriminha inocente pegando no pinto do primo na frente de toda família sem eles veremfodendo com o concunhado pornodoidoquero ver as evangelicas toda nua e peladinha vigen pernas a bertas peito de fora durinhoConto erótic com dogmenina joga poloaquatico pra ser encoxadaContos gays flagrei meu padrásto coroa dando o cu ao caseiro coroa de jeba.vadia casada dano d quatro q bagunca todo cabelo safada xvideosporno passo lubrificante e meteu no cu da no vinha sem ela deixapornodoido batedo na intencao da chanaportugues xvideos tira ta minha boceta e poda no meu cugaieras nuonibuscontos cnn gay comi o flavinhoquero os melhores contos eróticos de enteadas brigonas com fotosContos encoxei a pastorapornodoido fudeno com.com a entiada rosangelamenina novinha nao aqenta a pica e sangra a bucetinhaContos Mamadas no paizimcontos eroticos gay enrustidoanal normalistamulheres bano a bucetinha para os mulequies fudeconto erotico flagrei meu irmao comendo mamaeUmbanda como transar com a enteadalouras peludas taradas fudedoras malucas chamando palavraopornodoido.com.novinha.masageano.pica.grosacontos eroticosmenininhas dando rabinhoxvidios outros purai favoritosquando seu.comamigo nao te.comrespondoxvidio gainhaconto meu marido virou minha putamulher falando conterot c* de cavalocontos eroticos comeram a empregada.domesticalevantou o vestido da coroa evagelica e passou a rola.comsobrinha ainda sem peitinho 13 contoNovinha limpando a casa com blusinha folgadinha xvideoxvideos rebolando de fente atem gozar gostosoquero ver as mulher tarada caseira com muco cervicalpapai roludo contos