SEXO MÓRBIDO

Um conto erótico de ehros tomasini
Categoria: Heterossexual
Data: 22/09/2017 13:03:41
Última revisão: 29/11/2017 14:48:13
Assuntos: Oral, Anal, Heterossexual

A CABINE ERÓTICA – Parte 10

Depois que a negrona foi embora, tentei dormir. Estava exausto. Deixei para arrumar as coisas de minha irmã depois. Mas o telefone tocou tão insistentemente que resolvi atender. Era a detetive Mônica. Pedia-me ajuda, pois tinha certeza de que seria assassinada. Não lhe dei ouvidos. Não queria me envolver de novo consigo. Já bastava ela ter me tornado cúmplice involuntário do assassinato do namorado de Mayara. E por pouco não havia me tornado cúmplice do assassinato do meu inimigo. Ainda bem que tudo não passou de uma simulação engendrada pelo detetive Dimas. Meu inimigo estava vivo.

Por mais que a detetive Mônica tentasse me convencer de que estava em perigo, não dei a mínima. Desliguei o aparelho na cara dela e voltei a tentar dormir. Acho que não cheguei a cochilar nem uma hora, o meu celular tocou mais uma vez. Eu nem ia atender, mas fiquei curioso em saber quem desta vez me ligava. Era a minha falsa irmã. Dizia que a policial Mônica havia sido assassinada na cadeia e, como sua última ligação havia sido para mim, queria saber do que conversamos. Jurei que não sabia de nada, mas ela insistiu em se encontrar comigo novamente. Estava convencida de que eu retinha informação importante.

O crime havia sido premeditado, claro. Esperaram a maioria dos policiais largarem do seu expediente e nocautearam os três agentes que estavam de plantão. A cela onde a policial Mônica estava reclusa ficara aberta e seu corpo ensanguentado jazia estendido no chão. A posição do cadáver, que havia sido várias vezes esfaqueado, indicava que ela havia tentado se defender, mas levara a pior. As câmeras internas da delegacia estavam desligadas. O detetive Dimas estava desaparecido. Ele não atendia celular nem fora encontrado em seu endereço.

Minha falsa irmã estava encarregada das investigações. Haviam tentado o contato com o policial meu inimigo, mas ele também estava desaparecido. Seu celular, no entanto, continuava ligado. Mas chamava e chamava, porém ninguém atendia. Ele também não havia sido encontrado em seus endereços usuais.

Eu, no entanto, não podia ajudar em nada nas investigações. Tive que confessar que, na hora do crime, eu estava com a negrona Marcela. Senti uma ponta de ciúmes em Mayara, mas não quis confirmar minhas suspeitas. Ela voltou para a cena do crime, para ver se descobria algum novo indício, e eu tentei voltar a dormir. Não consegui. Aí, resolvi fazer uma visita à dona Lia, a coroa irmã do policial desaparecido. Bati várias vezes à sua porta, mas ela não veio me atender. Quando eu já decidira ir embora, sua vizinha magrelinha apareceu em seu próprio apê. Ficou contente em me ver. Disse que a amiga costumava avisar, quando tinha que sair, mas dessa vez não tinha comunicado nada a ela. Achava isso muito estranho. porém, tinha uma cópia da chave do apartamento da coroa e resolvemos entrar lá. Para a nossa surpresa, a pobre Lia jazia assassinada na sala. Vestia uma camisola transparente sobre o corpo desnudo. Fiquei empulhado quando meu pau deu um pulo assim que vislumbrei suas curvas perfeitas sob a roupa. A poça de sangue era enorme em torno do cadáver. Mas havia marcas de sapatos em volta do corpo. O assassino estaria apressado, ou fora descuidado. Chamei imediatamente a minha falsa irmã a vir ao apê.

Mayara chegou quase imediatamente, trazendo uma equipe de policiais. Fotografaram todo o cenário do crime, dando ênfase às pegadas deixadas pelo suposto assassino. Deixei o pessoal trabalhando e voltei ao meu apê. Mas fui seguido pela vizinha magrela, que estava visivelmente excitada:

- Vi que você ficou de pau duro quando viu minha amiga Lia lá, caída no chão. Eu também fiquei com vontade de repetir aquela nossa foda...

Mostrei-me desinteressado, apesar de que ainda estava excitado. Dei a desculpa de que poderiam voltar a me procurar para prestar depoimento e eu não queria ser encontrado fodendo. Ela insistiu. Convenceu-me a ir para o seu apartamento, já que ninguém da polícia sabia ainda que ela morava por perto.

Nem bem entramos no apê, ela arrancou-me as roupas com urgência. Confessou que tinha uma louca morbidez por cadáver e o da amiga, apesar do crime tê-la deixado pesarosa, também a tinha atiçado seu tesão. Eu devia sofrer da mesma doença, pois também ficara doido pra trepar.

Quando ela abocanhou meu pau, quase gozo. seu hálito quente me deu mais tesão ainda. E ela chupava bem que era uma beleza. Apesar de cansado, me deu vontade de ejacular. Prendi meu leitinho com dificuldades. Ela, bem dizer, me derrubou no chão, acabando de tirar minhas roupas. Montou sobre mim e implorou meu esperma. Sua vulva estava apertadíssima, mas seu néctar derramava-se sobre minha púbis. Os gemidos sensuais dela também me levavam à loucura. Mas, como o cadáver da coroa havia sido deixado de bunda pra cima, imaginei-me metendo naquele rabo farto. Imediatamente, virei a magrela de costas e lambuzei o cu dela com cuspe. Ela quase gozou quando minha trolha invadiu seu ânus urgente, até com um pouco de violência. No entanto, ao invés de reclamar, ela abriu as nádegas com as próprias mãos, para mim. Porém, cagou meu pau quando este a invadiu de vez, até tocar com os bagos nas suas pregas. Lançou fora um líquido espesso, e eu pensei que se mijava de dor. Mas ela tinha um sorriso feliz no rosto e gemia alto. Aí, o seu corpo exalou um forte cheiro de sexo. Era como se há tempos ela não usasse perfume. Era um odor natural de fêmea no cio. Não mais consegui me prender. Porém, o ínfimo jato de porra que depositei em seu rabo me deixou deveras satisfeito.

Fim da décima parte.


Este conto recebeu 3 estrelas.
Incentive Ehros Tomasini a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.


foda-se que ele é meu irmão 4xnxx batendo uma para o marido coletâneacontos eroticos real incesto tio orgamosXVídeos mãe escutando a filha f**** com negãovideos pornos mulher que fala brasileiro dando o cú e gritando fode minhas pregas até estorarxvideos comi e fis ela caga no meu paucontos eiroticos leilapornseios eróticosmae foi na missa e ilha toco siririca pornômulhe toma uma ponbada na buseta que não tava nem esperandocontos eróticos eu novinha fui comiida por meu paiXvideo novinhas cubavasencoisto nuonibuxividio vo come teu cu bem devagaficamos ilhados no sítio eu e minha irmã contosENCOCHEI MINHA SOGRA NO METRÔ contos erotico chantagem e submissão de casal novinhoCenta na pica sem camisinha,e perigosmenina brincando de esconde-esconde dando seu cuzinhoshortinhos de jogadoras lycra lycra gigante gostosohostorinha emquadrio porno mai tranza com seu filhoxvidio empesacontos eiroticos leilapornCapítulo 2 segunda temporada contos erótico sempre te quisnítido comendo o c* de lingeriemai taradachupa a bucetimha gostosa da filhaxvideos novinhos gemende na bucetaxnxx esposa manda corno ficar quetinho olhado o pauzao entrareu, minha namorada, minha namorada e meu tiofiz boquete e dei o rabo contos de sogra crentecasada coroa casera do buctaocontos erótico menininha dama de honrar esperma na virgem xxividios levo muitas gosadas xvidioguri cagano na pica dnegaonao tinha dinheiro eacaba dando pro montador xvideoxvideosdificil pra vc lukagero xxvibeovendo tia ea mae de shortinho fodeu o rabo das duasporno gratis moça sendo agarrada apód sair do banhovideo porno transando mexendo se esfregando fazendo coceira dentroX padrasto fraga enteada gostosa se consolando com pena de Borracha grande Ta vai da uma chupada na minha piroca que eu te devolvo gay xvideosgaranhao erra a buceta e enfia o pau no cu da egua e ela se rasteja de dor"noivo me liberou"porno pai brincando de fazer cocegas na filhabaizar ponografia cheirou a calcinha na casa d banhopai passa mao na buceta video doidocontover videios de movonhas verzermeu vizinho esfolava minha bucetinhanovinha com sabonete batendo uma no chuveiropra um homemvideos pornò homem chupando gostosòvidematexvideocontos gay viadinho aproveitando do molequecontos eroticos gays o principe roludo"cheiro de cu de macho"contos eróticos incesto brincaderinha com mamãe parte 4vidros prno insetos fodendo mae emprensada coroas do sapsapo negão bem dotado comendo minha mãe contosvideos decavalo con medo asua dona ate gosamuitocontos eroticos corno desde a lua de mel contos eroticos de mulheres falando de pau pequeno e finopornodoido dia de sol chostinhos curtosporno brasileiro cunhada vai na chacara com cunhado acaba trazzado com elepornô doido corno Deixou o cara comer sua esposa e seu cuzinho na sequênciaxvideo negrinha fudendo no meio das pilha de lenha com pauzuVamp19-Contos O Doce Nas Suas Veiascontos eroticos de damon salvatoreconto eroticoencoxada pelo meu filhovizitou a. amiga levou foi rola x videosxvideos tarado olhando a enpregada so de calcinhacontos eiroticos leilapornfudendo o cuzao dapropria mae incesto real com caralhudoxvidios travestis na punhetas novingascontos eroticos pes da primacontos erotico pegando a mulher no flagranamorado dormiu, foi transar com o cunhadoconto erotico tia bucetuda e sobrinho pausudo de sungaporno gey contos eroticos ferias c coleguinhaflaguei a filhinha do caseiro fazendo coisa errada e chantagiei ela contostravesti lesbica contos eroticosXvideos as panteras ligou pro marido pra falar q ia dar pra outrocontos eróticos amadores traiçãodei minha esposa santinha a um comedorbatando o joelhinho na mesa xvideostransei com meu paicastigando o amigo contos gayscontos eroticos de mulher fazendeiracorno que xupar buseta melada scvídeo de pouno estupos virgam miganhaporno loiras xiri gigante anal picas trinta centímetros