VICIADA EM PORRA - a escrava do Senhor Reffuart. (Enviado por Escrava Pati)

Um conto erótico de Senhor Reffuart
Categoria: Grupal
Data: 24/04/2015 18:14:02
Nota 10.00
Assuntos: Grupal

Conto enviado por Escrava Pati

Depois que meu porteiro descobriu meu segredinho, bem provável que todos no meu prédio saibam, tive que me mudar. Por sorte, a época, meu marido trabalhava em outra cidade, passávamos os finais de semana juntos, na verdade ele chegava quinta a noite e ia embora à segunda e nunca desconfiou de nada, antes que desse merda, convenci meu marido que estava cansada do meu trabalho e pedi transferência. Fui recomeçar a vida na cidade onde ele trabalhava. Disse pro meu marido que havia perdido meu celular e o joguei fora. Uns meses se passaram, eu já estava trabalhando, nossa vida seguia normalmente. Uma vida renovada. Emprego novo. Tudo bem no meu casamento, meu marido feliz. Eis que outro dia estava na empresa onde trabalho. Quando ouvi meu whatsapp. Era um arquivo. Cancelei. O mesmo arquivo outra vez. Cancelei. Então uma mensagem de texto veio

- “Pati, você pode preferir receber esse arquivo ou velo circulando nos e-mails dos seus colegas de trabalho e do seu marido. não cancele novamente”.

Com medo recebi os arquivos. Congelei! Meu passado voltava para me assombrar. Eram fotos da orgia onde eu fui à vadia de vários homens. Estava eu lá, de quatro numa foto sendo comida por uma pessoa e chupando o pau de outra. Eu vestia um lingerie preto. Fui abrindo outras fotos. As fotos iam contando minha história. Algumas eram fotos dos machos gozando na minha bunda. Outras fotos de dupla penetração. Outras de picas gozando na minha cara. Basicamente tudo que fiz naquele dia. Chegou outra mensagem.

- “Presumo que você tenha visto as imagens, se você não quer que isso se torne público, encontre-nos em uma hora no Hotel Eldorado, no centro, quarto 1012”.

Tentei conversar de volta. Mas a pessoa que estava me chantageando não respondeu. Fiquei desesperada e sem saber o que fazer. Ou ia ao hotel. Ou meu segredo seria revelado para todos. Só me restava saber o que essa pessoa queria. Peguei meu carro e fui para o hotel. Na recepção fui informada que tinha uma mala para mim e uma carta. A carta dizia:

“PEGUE ESTA MALA, VÁ ATÉ O DÉCIMO ANDAR, ENTRE NO BANHEIRO E SIGA AS INSTRUÇÕES, VOCÊ TEM 15 MINUTOS”.

Subi de elevador e segui as instruções. Entrei no banheiro e abri a maleta. Era algo estranho aquilo. Tinha um comprimido e uma garrafa d’água. Outra carta que dizia:

“LIGUE PARA SEU MARIDO E AVISE QUE VOCÊ TEVE QUE VIAJAR A TRABALHO E SÓ VOLTARÁ NA SEXTA FEIRA, NÃO DEIXE DE TOMAR O COMPRIMIDO. PS: NÃO TENTE FUGIR DO SCRIPT, ESTAMOS TE VENDO E OUVINDO”.

Não tinha outro jeito. Fiz do jeito que mandaram. Liguei pro meu marido que ficou chateado, mas disse que entendia. Desliguei o celular e tomei o comprimido. Essa foi à última coisa que me lembro. Quando acordei. Não sabia quanto tempo tinha passado. Nem onde eu estava. Parecia um galpão. Era bem escuro.

Exceto por alguns raios de luz que passavam pelas frestas. Olhei pra mim. Estava vestida com luvas longas de cetim branco. Um mini vestido branco todo justo. Meias 7/8 da mesma cor. E de salto alto. Ouvi barulho de vozes e o galpão foi iluminado. Era um galpão enorme, abandonado. Uma espécie de celeiro vazio com uma cama. Não demorou muito até a porta ser aberta e entrar um homem. Era Senhor Reffuart, o Presidente do Clube da Orgia, uma dos caras que participou da minha orgia fotografada. Atrás dele entrou outra pessoa que reconheci, era o Henrique. Ele falou:

- PATI, VOCÊ SUMIU E ESSA FOI A ÚNICA MANEIRA DE TE TRAZER DE VOLTA, AFINAL, TÍNHAMOS UM ACORDO, LEMBRA?

Lembrei-me do acordo que havia assinado durante a orgia. Eles não podiam ter levado aquele acordo a sério. O acordo era que um membro só podia deixar o grupo de orgia se os líderes permitissem. Senhor Reffuart falou:

- VOCÊ NÃO RECEBEU AUTORIZAÇÃO MINHA, NEM DE NINGUÉM PRA SAIR DO CLUBE DA ORGIA.

Eu disse:

- ME DEIXEM IR! EU MUDEI DE CIDADE E DE VIDA, NÃO QUERO MAIS NADA COM ISSO!

Senhor Reffuart respondeu:

- AS COISAS NÃO FUNCIONAM ASSIM PATI, VOCÊ SABE DISSO, MAS FAREMOS O SEGUINTE, UM TESTE COM VOCÊ.

E continuou falando:

- SE VOCÊ PASSAR NO TESTE ESTÁ LIVRE, SE NÃO PASSAR TA FODIDA, SE BEM QUE DUVIDO QUE VOCÊ QUEIRA SAIR DAQUI DE VERDADE.

Senhor Reffuart veio em minha direção e levantou a saia do meu vestido. Por baixo eu estava com uma calcinha cavada e cinta-liga, tudo branco. Eles tinham me produzido com atenção nos detalhes. Percebi que no galpão tinham espelhos posicionados para que eu pudesse me observar de todos os lados. Senhor Reffuart começou a enfiar seu dedo dentro do meu cuzinho, e rindo falou:

- QUEM DIRIA PATI, VOCÊ TÁ APERTADINHA.

Senhor Reffuart tirou o dedo, ajeitou minha calcinha e arrumou meu vestido e falou:

- JÁ VOLTAREMOS.

Os dois saíram pela mesma porta que entraram. Comecei a relaxar. Comecei a me masturbar. Entendi o que Senhor Reffuart quis dizer com eu não querer sair dali. Ele estava certo. Eu seria vadia de novo. Os dois voltaram. Senhor Reffuart veio até mim. Levantou o vestido e constatou que eu estava começando a ficar com a calcinha melada. Ele passou sua mão por cima da minha calcinha esfregando minha bucetinha. Estremeci e não consegui segurar o gemido, já tinha entregado o ouro. Ele chegou minha calcinha pro lado e começou a bolinar meu clitóris. Ele disse me olhando os olhos:

- PATI, VOCÊ ESTÁ MOLHADINHA.

Ele continuou me dedando e disse:

- VAMOS VER QUANTO TEMPO VOCÊ AGUENTA.

Disse abaixando o zíper e colocando seu membro para fora da calça. Ele ficou na minha frente. Batendo a pica no meu rosto e passando perto dos meus lábios. Era demais para mim. Aquele cheiro de pau vindo ao meu nariz. Aquilo foi aumentando meu apetite. Eu tinha minha buceta sendo tocada por Senhor Reffuart e seu membro masturbando-se em minha cara. Não resisti e abocanhei aquela rola gostosa. Chupei com muito gosto e ele meteu a pica na minha goela fazendo movimentos de profundidade. Henrique veio também ser chupado. Fiquei alternando a rola dos dois. Alias os dois ficaram dividindo a minha boca. Henrique já estava bem duro, saiu da minha frente e deixou apenas Senhor Reffuart metendo na minha boca. Henrique veio por trás de mim e foi colocando a sua pica na entrada do meu cuzinho, sem nem mesmo, tirar minha calcinha. Empurrou a cabeça para dentro até me preencher. Estava eu sendo uma putinha submissa. Um pau na boca. Outro no cu. Eu era o brinquedinho sexual dos dois. Eles metiam gostoso em mim. Sentia um membro grosso e gostoso na boca. E outro me completando o cuzinho. Não tinha mais o que fazer. Eu era aquela puta mesmo. Estava escondendo isso de quem? Falei:

- EU GOSTO DE CARALHO ALARGANDO MEU RABO E ROLA ENCHENDO MINHA BOCA DE PORRA.

E isso já ia acontecer. Senhor Reffuart anunciou que ia gozar. O filho da puta enfiou seu membro na minha garganta e começou a gozar. Engasguei com sua porra que não parava de sair daquele membro pulsando na minha boca. A porra começou a escorrer pela minha boca até o pescoço, era muita coisa, grande parte foi direto para meu estômago enquanto o resto ficou no meu rosto e pescoço. Ele disse:

- VOCÊ FICA LINDA ASSIM COM PORRA ESCORRENDO POR SEU ROSTO.

Henrique que comia meu cu falou:

- MAS SAIBA, PUTINHA CASADA QUE GOSTA DE DAR PRA DOIS AO MESMO TEMPO, SÓ LEVA PAU NO CU E NA BOCA, A BOCETA PODE FICAR PRO CORNO DO MARIDO.

Amei o comentário. Henrique sabe mesmo agradar uma vadiazinha. Henrique estava próximo de gozar. Eu gritei:

- QUERO A SUA PORRA NA MINHA BOCA MEU MACHO.

Henrique tirou aquela tora do meu rabo. Senti um vazio no cu. Mas era por um bom motivo. Henrique enfiou a rola na minha boca. Comecei a chupar. Ele foi mais bonzinho e deixou que eu saboreasse seu esperma. Gozou na frente da minha boca. Pude conter tudo sem engolir.

Quando ele tirou seu membro. Abri a boca e mostrei para os dois tudo que tinha lá. Depois engoli fazendo cara de safada. Falei:

- QUERO MAIS PORRA E MAIS PINTO.

Nessa hora. Algo que não esperava aconteceu.

10 homens entraram no galpão. Dois carregavam uma televisão. Não entendi o motivo até reparar que um deles tinha uma câmera com tripé e tudo mais. Colocaram a TV na minha frente para poder assistir tudo e começaram a filmar. Senhor Reffuart falou:

- NOSSO GRUPO DE ORGIA CRESCEU BASTANTE, ESSES RAPAZES ADORAM UMA BOCETINHA CHEIROSA COMO A SUA, MAS FALEI PRA ELES QUE EM VAGABUNDA IGUAL VOCÊ, SÓ METEMOS NA BOQUINHA E NO CUZINHO, A BUCETINHA DEIXAMOS POR CORNO COMER.

Henrique falou pra todos:

- É PROIBIDO GOZAR DENTRO DO CU DELA, APENAS NA BOCA.

Senhor Reffuart falou pra mim:

- PATI VOCÊ NÃO PODE ENGOLIR.

E me mostrou um jarro enquanto continuava falando:

- O JARRO É PARA ENCHERMOS DE PORRA, GOZEM NA BOCA DESSA VADIA QUE ELA VAI ENCHER O JARRO CUSPINDO A NOSSA PORRA TODINHA NELE E COM TODO O PRAZER, NÃO VAI, PATI?

Concordei com tudo e disse:

- SIM, VOU DAR PRAZER PRA TODO MUNDO, COM A BOCA, COM O CU E COM AS MÃOS, PENA QUE VOCÊS NÃO QUEREM METER NA MINHA BUCETINHA.

Todos riram. Eles vieram formando uma roda em torno de mim. Senhor Reffuart e Henrique apenas observavam descansando do orgasmo que tiveram. Um cara filmava tudo. Todos se punhetavam ao meu redor. Eu não tinha ideia por onde começar. Peguei em um e comecei a punhetá-lo. Outro já veio colocando na minha boca. Ficava chupando e punhetando. Variando em cada pau que eu via perto de mim. Um macho me pegou por trás, beijando minha nuca enquanto apertava meus peitos. Eu estava arrepiada e excitada. Sentia o seu pau apertando contra minha bunda, só separado do meu cuzinho, pelo vestido, e pela calcinha. Mas isso mudou. Rasgaram o vestido me deixando apenas de lingerie. Pude me ver na televisão rodeada por paus. Vestida igual uma vadiazinha, louca de tesão. Gritei:

- METE NO MEU CU, RÁPIDO!

Pedido atendido. Meu macho me penetrou gostoso. Sentia seu membro me preenchendo por dentro enquanto chupava um caralho gostoso. Os outros ficavam ao redor só na punheta. Esperando a vez. Minha boca e meu cu eram fodidos na mesma intensidade. Não demorou muito até o rapaz que fodia minha boca encher ela de porra. A vontade de engolir era enorme. Mas sabia que não podia. Eles tinham um plano criativo pra toda aquela porra. Cuspi a porra no jarro. O que fodia meu rabo abriu espaço para outro. Um homem veio foder minha boca. A espessura do que comia minha bunda era perfeita. Eu não deixava a desejar no que estava mamando. Ele derramou seu leite em minha boca, chupei até a última gota deixando ele bem limpinho. Mais porra para o jarro. E assim o rodízio acontecia. O que fodia meu cu, vinha para eu mamar dando espaço para mais gente me foder. Eu ali de quatro chupando uma pica, masturbando outras e levando rola no cu. Na TV eu via a minha bunda engolindo um caralho grosso. Falei:

- HUMMM QUE DELÍCIA.

Todos aqueles machos iam gozar por minha causa. Pela quinta vez no dia minha boca enchia de porra. Nem deu tempo de cuspir a porra no jarro, e o outro que fodia meu rabo veio e gozou na minha boca também. Acumulei toda a porra sem perder uma gota e cuspi tudo no jarro fazendo cara de vagabunda. Um de meus homens veio me penetrar. Eu gritei:

- EU QUERO QUE DOIS COMAM MEU CU AO MESMO TEMPO.

Fui atendida e logo outro veio meter também. Eu estava de quatro. Então uma pica se posicionou embaixo de mim e a outro em cima. Sentir os dois me comendo ao mesmo tempo foi o auge. Comecei a berrar:

- FODAM-ME DIREITO! ARROMBEM-ME! QUERO A PORRA DE VOCÊS TODOS.

Só fui calada quando um pau preencheu minha boca. Eram três dentro de mim ao mesmo tempo. Era muito tesão. Não aguentei e acabei gozando. Pouco depois de gozar senti um mar de porra na boca, cuspi tudo no jarro. O câmera pediu para que eu brincasse com a porra do jarro. Fiz uma cara de safada e com os dedos fiquei mexendo a porra no jarro. Levava os dedos à boca e ficava chupando a porra. Não demorou muito e veio mais um caralho pra chupar. Os dois ainda metiam no meu rabo. Estavam demorando mais que o normal. Foi quando senti um pau pulsando dentro de mim. Pouco tempo depois outro. Os dois gozaram no meu cu. Viva a dupla penetração anal. Senhor Reffuart ficou revoltado com minha desobediência e falou que isso teria punição. Eu não queria perder aquela porra. Coloquei o jarro embaixo de mim e deixei escorrer porra do meu cu. Os dois gozaram muita porra. Meu cu não parava de pingar a porra deles no jarro. Falei:

- AGORA EU ACHO QUE JÁ PODEM GOZAR NO MEU CU.

Tomei uma tapa na cara do Senhor Reffuart. Henrique veio por trás, enquanto eu chupava o rapaz moreno. Seu membro entrava e saia com facilidade. Eu tentava falar de boca cheia:

- HUMMM QUE DELÍCIA.

Mais um gozou na minha boca. Outros dois que se punhetavam vieram e gozaram também. Cuspi uma grande quantidade de porra branca e grossa no jarro. Henrique também me deu sua porra. Assim que Henrique saiu do meu rabo, Senhor Reffuart enfiou sua tora no buraco largo do meu cu aberto. Novamente voltei a punhetar outros caralhos. Senhor Reffuart comia meu cu e me masturbava o clitóris. De repente! Todos pararam para observar a cena. Eu sendo comida pelo líder e tocada ao mesmo tempo. Com todos aqueles olhares em mim, não aguentei e gozei de novo. A câmera focou meu rosto nessa hora. Não demorou muito e Senhor Reffuart urrou e me encheu com seu leite na bunda. Ele era o chefe. Se ele gozou na minha bunda, devia estar liberado mesmo. Não perdi tempo e peguei o jarro. Deixei toda a porra escorrer do meu rabo pro jarro. Quando estava sendo fodida por Senhor Reffuart, dois outros membros não se aguentaram assistindo a cena e gozaram diretamente no jarro. Mais três machos vieram. Um gozou no meu cu. Outros dois na minha boca. Todos já tinham se divertido. Menos um. O câmera. Enfim ele veio e me deu sua rola pra eu chupar. Quando ele ia gozar. Tirou e gozou no meu rosto filmando tudo. Ele deveria ser o único que podia fazer isso, pois ninguém reclamou. Apesar de um pouco cansada, minha buceta latejava. Os estímulos. A vibração. Tudo me deixava louca. Foi ai que o Senhor Reffuart me surpreendeu. Ordenou que um homem com uma máscara de látex, só com a boca livre, chupasse minha bucetinha. O mascarado veio mais que depressa, abaixou-se e começou a me chupar. Gozei na hora! O mascarado enfiou dois dedos na minha buceta pra me estimular mais. Gozei de novo! Eu rebolava nos dedos do mascarado. Segurava sua cabeça. Mexia minha buceta em sua boca. Até que atingi um orgasmo muito forte. Uma gozada longa. Fiquei bamba. O mascarado veio e me beijou na boca. Um beijo apaixonado. Eu já ia me levantar. Outro macho não deixou. Esse outro macho me de uma tapa na cara e enfiou seu membro na minha boca. Ele fodeu com raiva minha boca até gozar. Mandou cuspir tudo no jarro. Obedeci. Senhor Reffuart falou:

- ACABOU A ORGIA POR HOJE.

Henrique falou:

- VOCÊ É NOSSA PUTA ATÉ SEXTA À NOITE E SERÁ OBEDIENTE E DEVASSA.

Senhor Reffuart falou:

- O JARRO DE HOJE SERÁ GUARDADO, AMANHÃ SERÁ UMA OCASIÃO ESPECIAL.

E continuou falando:

- VOU DORMIR E QUEM QUISER PODE VIR DAR ALIMENTO PARA MINHA ESCRAVA, MAS ELA SÓ PODE SE ALIMENTAR DE PORRA.

Todos riram e saíram me deixando sozinha e jogada no chão. Comecei a me masturbar com uma mão, a outra eu passava nos restos de porra do meu corpo. Eu esfregava o dedo no clitóris, e chupava os outros dedos sujos da porra que escorria pelo meu corpo. Gozei desse jeito. Ali. Sozinha. Eu e meus pensamentos lascivos. Ainda tinha muita porra pelo meu corpo, eu poderia brincar muito enquanto estivesse só. Sou uma puta faminta por porra e não posso mais me enganar. Dormi desse jeito. Exausta. Imunda. E satisfeita. Durante a noite. Aleatoriamente. Vinha um membro ou outro da orgia se aliviar comigo. Comiam meu cuzinho. Davam-me a pica pra mamar. Mas nunca me davam o leite para beber. Quando iam gozar, gozavam em um copo e levavam embora. Sem deixar uma gota pra mim. Só uma vez que vieram cinco e gozaram na minha boca falando que aquele era o meu jantar. Foram embora e eu apaguei.

NO DIA SEGUINTE EU TIVE UMA SURPRESA.

Eu acordei sem saber onde estava. Eu não estava mais no galpão. Estava numa sala bem grande. O chão tinha sido forrado com uma lona preta enorme. Havia poucos móveis. Mais havia quatro câmeras. Notei que eles tinham trocado minhas roupas de novo. Reconheci na hora aquele lingerie que estava usando. Meia 7/8. Cinta-liga. Corpete. Luvas pretas de cetim de cano longo. Tudo era preto! Era a mesma roupa das fotos que recebi. De quando fui fodida da outra vez. Senti-me um pouco mal. Por causa disso tinha me mudado, mudado de emprego, enganado meu marido. Mesmo assim. Senti minha buceta úmida. Meu clitóris estava durinho. Meu cu piscando. Minha boca salivava. Pensei. Como conseguiram pegar minhas roupas? Teriam ido até a minha casa? Claro que sim! Porque eu nunca tive coragem de jogar essas roupas fora? Não sei. Sei que as havia escondido tão bem. Mas meus machos encontraram minhas roupas. E por algum motivo fiquei orgulhosa do meu dono. Fiquei pensando excitada até que a porta abriu e Senhor Reffuart entrou falando:

- PATI, QUE BOM QUE VOCÊ ACORDOU!

Ele me perguntou rindo?

- PATI, VOCÊ ACHA QUE 50 ROLAS SÃO MUITAS PRA VOCÊ?

Henrique entrou logo depois dele, passou por mim e falou:

- PATI SERÁ QUE VOCÊ DA CONTA DE 50 CARALHOS?

Enquanto ele falava isso à sala foi enchendo de homens. Todos foram ficando ao meu redor. Eu respondi bem alto pra todos ouvirem:

- EU DOU CONTA DE 50 ROLAS FÁCIL, ACHO QUE DOU CONTA DE MUITAS MAIS.

A gritaria foi geral. Alguns homens começaram a colocar a mão dentro das calças. Um cara entre todos os presentes era o mascarado. O mascarado me deu seu pau pra eu chupar. Os outros se punhetavam vendo a cena. O mascarado gozou muito rápido em minha boca. Quando eu procurei a jarra pra cuspir a porra, ouvi Senhor Reffuart dizendo.

- PATI, ESSA PORRA VOCÊ PODE ENGOLIR, SÓ ESSA, E SÓ DESTA VEZ.

Eu engoli na hora. Adoro porra. Henrique então falou:

- PATI, VOCÊ QUER VER O ROSTO DO MASCARADO DE QUEM VOCÊ MAMOU PORRA TODINHA, QUER?

Eu respondi:

- EU SÓ FAÇO O QUE VOCÊS MANDAREM.

Henrique mandou o mascarado tirar a mascara.

O mascarado misterioso que eu acabara de sorver a porra era... O MEU MARIDO. Fiquei pálida. Meu marido perguntou-me olhando-me os olhos:

- TA SURPRESA MEU AMOR?

Fiquei surpresa e sem fala. Com vergonha mesmo. Não sabia o que falar. Meu marido continuou falando:

– SEUS AMANTES VIERAM ATÉ MIM E ME CONTARAM O SEU PASSADO.

Continuei muda. Não conseguia olhar pra ele. Meu marido então me perguntou:

- COMO VOCÊ ACHA QUE ME SENTI SABENDO QUE MINHA ESPOSA É UMA PUTA?

Eu estava perplexa. Congelada. Todos me olhavam. Eu queria desaparecer. Meu marido continuou falando:

- NO COMEÇO FIQUEI TRISTE, DECEPCIONADO, MAS QUANDO O SENHOR REFFUART ME MOSTROU AS FOTOS E EU TE VI TÃO VADIA E COMPLETA... NA MESMA HORA EU FIQUEI DE PAU DURO.

Olhei incrédula pra meu marido. Ele continuou falando:

- PASSEI ALGUNS MESES PENSANDO NO QUE FAZER, MAS SEMPRE QUE VIA AS FOTOS QUE SENHOR REFFUART ME MOSTROU, EU ACABAVA BATENDO PUNHETA.

Não sei por que. Mas ouvindo as palavras de meu marido. Fui de perplexa a puta da vida em um segundo. Pensei. Como assim o meu marido bateu punheta vendo as fotos? Mas quem tá na chuva é pra se molhar. Então olhando meu marido nos olhos perguntei em tom imperativo:

- ENTÃO VOCÊ É UM CORNO?

Nessa hora foi meu marido que se calou e baixou a cabeça. Eu continuei falando:

- JÁ QUE VOCÊ GOSTA DE VER SUA ESPOSA LEVANDO ROLA DE QUALQUER UM, HOJE VOCÊ VAI VER QUEM É MAIOR PUTINHA DE TODAS SEU CORNO.

Todos começaram a rir da cara do meu marido e gritar.

- CORNO! CORNO! CORNO!

Eu pensei. Se é isso que meu marido quer. Ficar de pau duro com outros comendo sua esposinha. Então ele vai ver só. Continuei falando pra ele:

- A PROPÓSITO, ISSO QUE VOCÊ TEM ENTRE AS PERNAS NÃO FAZ NEM CÓCEGAS COMPARANDO COM OS MEMBROS DOS MEUS MACHOS AQUI.

Meu marido ficou sem graça. Não parei de falar:

- SIM! JÁ FODI MUITO COM ELES CORNINHO, E DE HOJE EM DIANTE VOU CHUPAR TODO MUNDO, SEUS AMIGOS, ATÉ SEU PAI, QUALQUER UM.

Meu marido respondeu:

- MEU PAI NÃO, POR FAVOR, NÃO.

Mandei-o calar a boca. Nisso Senhor Reffuart veio e enfiou sua rola na minha boca. Meu marido podia ver o caralho de Senhor Reffuart entrando e saindo da minha boca. Senhor Henrique veio e enfiou sua rola na minha boca também. Eu estava sendo fodida na frente do meu marido. Como se não bastasse. Meus machos o chamavam de corno. Senhor Reffuart enquanto socava em minha boca falou pro meu marido:

- NÃO FALEI QUE TUA MULHER É UMA PUTA, MAS PIOR É VOCÊ, QUE É UM CORNO E BATE PUNHETA PRA ISSO, MAS SAIBA SEU CORNO OTÁRIO, QUE ESSA FOI A ÚNICA VEZ QUE VOCÊ PODE GOZAR, SÓ DEIXEI VOCÊ GOZAR NA SUA MULHER, PRA ELA TER CERTEZA QUE VOCÊ FICA DE PAU DURO VENDO ELA NA RODA, VOCÊ É UM CORNO E SUA MULHER É UMA PUTA.

Gargalhada geral. Nessa hora caprichei na mamada, e olhando pro meu corninho eu disse de boca cheia.

- AMOR, EU SOU A PUTINHA DELES, A VADIA DELES.

Os dois ficaram fodendo minha boca na frente do meu marido que começou a alisar seu pau.

Eu com a boca bem cheia de rola, falei entre uma golfada e outra pro meu marido:

- TE PROÍBO DE SE TOCAR, SE QUISER BATER PUNHETA, VAI PRO BANHEIRO, TODOS PODEM GOZAR, MENOS VOCÊ SEU CORNO, TA CLARO?

E voltei a chupar com gosto os meus caralhos. Eu pensava chupando as picas. Primeiro me senti humilhada. Depois tive raiva do meu marido. Mas na verdade eu estava muito excitada com aquilo tudo. Senhor Reffuart estava prestes a gozar. Tirou da minha boca e punhetou seu membro até gozar na minha cara. Meu marido olhava tudo atento e falou:

- PATI MEU AMOR, VOCÊ FICA MUITO MAIS BONITA ASSIM!

Todos se masturbavam e riam. Henrique também saiu da minha boca e gozou na minha cara. A porra pingava na lona. Perguntei:

- SENHOR REFFUART, CADÊ MINHA JARRA?

Tomei mais uma tapa na cara e o Senhor Reffuart falou:

- PODE FICAR TRANQÜILA VADIA, CALA BOCA E CHUPA AS ROLAS.

Então esse ia ser o roteiro do dia. Encher minha cara de porra rindo do meu marido. Então dois machos me pegaram e posicionaram-me de quatro. O objetivo era que meu cu ficasse exposto para quem quisesse meter e meu rosto para quem quisesse gozar.

Senhor Reffuart então falou:

- NÃO PENSE EM BEBER UMA GOTA DE PORRA DE NINGUÉM PATI, E SAIBA QUE TODOS OS VÍDEOS E IMAGENS FEITOS AQUI SERÃO PUBLICADOS NA INTERNET, COM SEU NOME E O DO SEU MARIDO, POR QUE PUTA E CORNO TEM QUE SER TRATADOS ASSIM, QUE NEM LIXO.

Gozei ouvindo essas palavras. Meu marido olhava e ouvia tudo atento. Cada vez mais provas da minha vida vadia eram registradas e a coisa só piorava, ou melhorava. Eu gritei pra todos os 50 machos ouvirem:

- VOCÊS VÃO FICAR PARADOS OU VÃO ME DAR ROLA PARA CHUPAR?

Alguns outros homens começaram a me bater na cara. Tapas muito fortes. Três rolas apareceram na minha na cara pra eu chupar. Não perderam tempo. Senti um membro cutucando a entrada do meu cu. Forçou um pouquinho e entrou tudo. Falei:

- HUMMMM QUE GOSTOSO.

Soltei um gemido. Os membros variavam na minha boca. Um cara que se masturbava veio até o meu rosto e gozou muito na minha cara. Seguido por outro. Eu continuava sendo enrabada pelo mesmo macho. Mais uma pessoa veio gozar na minha cara. Eram muitas pica pros meus buracos. Vários machos batiam punheta assistindo a minha orgia. Toda hora vinha um para gozar na minha cara. Finalmente o homem que comia o meu cu, saiu de dentro de mim e gozou na minha cara também. Nessa hora já tinha bastante porra no meu rosto e uma poça de porra sobre a lona. Tive múltiplos orgasmos. Dois rapazes vieram. Um por baixo. Outro por cima. Fizeram-me uma dupla penetração anal. Eu ainda tinha uma rola na boca para chupar, e uma em cada mão pra punhetar. Quando a câmera deu um close em mim pude ver na TV meu rosto cheio de porra. Eu estava igual uma vadia mesmo. Um dos machos que traçava meu cu, saiu de dentro e gozou um jato grosso e branco de porra na minha cara. Acertou meu nariz e testa. O câmera pegou com detalhe e falou:

- O VÍDEO DA PUTA E DO CORNO VAI SER UM SUCESSO NA INTERNET, VOU MANDAR PRO CHEFE DELA TEMBÉM, DAR UMA MORAL PRO CARA, DEPOIS QUE VEREM ESSE VÍDEO NO TRABALHO DELA, ELA VAI MUDAR DE FUNÇÃO, VAI VIRAR O ESGOTO DE PORRA DA EMPRESA.

Todos riam muito. Alguns batiam nas costas do meu marido que não falava mais nada. Nesse ponto eu já tinha perdido a conta de quantos machos já tinham gozado na minha cara. Alguns voltavam pra gozar de novo. Meu marido estava vendo vários homens gozarem na minha cara. O nível da porra chegou a um limite que eu já entrava pelo meu nariz. Eu estava tendo dificuldades de respirar. Continuavam a gozar no meu rosto. A poça de porra na lona erra cada vez maior. Muitos homens já tinham gozado na minha cara. Eu estava sumindo embaixo da porra. O que estava comendo meu cu, parecia não querer sair, estava socando meu rabo a muito tempo.

De repente ele tirou o pau do meu rabo e gozou na minha cara. Muita porra. Muita mesmo. Vários jatos explodiram na minha cara. A lona no chão estava esbranquiçada de tanta porra que escorria do meu rosto. Outro cara me fudeu o cu. Senti aquela rola gigantesca me arrombando. Ele metia em mim como um profissional. Ele me fodia com vontade e raiva.

Pude ouvir meu marido comentar com um cara ao seu lado:

- OLHA ESSE CARA FODENDO A MINHA ESPOSINHA.

O cara respondeu:

- TU É MUITO CORNO MERMO.

E cuspiu na cara do meu marido. Meu marido limpou o rosto sem reclamar. Sem falar nada. Outro cara próximo ao meu marido falou pra ele:

- A ROLA DELE É MUITO MAIOR DO QUE A SUA SEU CORNO DE MERDA.

Meu marido fez que sim com a cabeça. Eu gozei forte ouvindo-os humilhar meu marido. Senti minha buceta inchar. Nisso uma quantidade enorme de porra explodiu na minha cara. Era mais um dos punheteiros me dando porra. Tive outro orgasmo! Múltiplos orgasmos!

Outro gozou na minha cara. Nessa altura todos já tinham gozado no mínimo uma vez. Muitos repetiam. Eis que Senhor Reffuart falou:

- ACABOU POR HOJE.

E depois falou pro meu marido:

- VAI LÁ BEIJAR SUA MULHER SEU OTÁRIO, QUE AQUI NINGUÉM BEIJA VADIA NÃO!

Nisso meu marido veio me beijar. Um beijo apaixonado. Todos riam. Mandaram-me sair de cima da lona. Pegaram a lona do chão com cuidado pra não cair nenhuma gota de porra pra fora. Fizeram uma canaleta com a lona pra não desperdiçarem minha porra. E deixaram escorrer toda a porra da lona por jarro. Quando eu abrir meu os olhos direito, vi no jarro uma enorme quantidade de porra. Tinha porra de ontem e de hoje. Tudo junto no meu jarro de porra. Todos foram embora. Inclusive meu marido. Fiquei sozinha de novo. Eu cheirava a pau, a porra. Alisei-me espalhando a porra pelo meu corpo. Por meu rosto. Por meus cabelos.

Não resisti e masturbei-me. Gozei e adormeci.

QUANDO ACORDEI TINHAM ME MOVIDO DE LUGAR NOVAMENTE.

Eu não fazia ideia de tempo. Eu estava em uma cama. Num quarto escuro. A porta se abriu e por ela entraram Senhor Reffuart e Henrique. A luz foi ligada e pude ver que realmente eram eles. No quarto só tinha uma cama, uma TV, e um aparelho de DVD. Senhor Reffuart falou:

- QUE BOM QUE VOCÊ ACORDOU, QUERÍAMOS CONVERSAR COM VOCÊ, NA VERDADE FAZER UMA PROPOSTA.

E emendou:

- COMO VOCÊ JÁ PERCEBEU, O NOSSO GRUPO CRESCEU BASTANTE DESDE A PRIMEIRA VEZ, ATUALMENTE CONTAMOS COM MAIS DE 200 MEMBROS E, LÓGICO, TODOS OS HOMENS.

Senhor Reffuart continuou:

- VOCÊ É A ESTRELA DO NOSSO SHOW, TODOS OS RAPAZES ADORARAM VER SEU DESEMPENHO, MAS VOCÊ INSISTE EM FUGIR DOS SEUS DESEJOS.

E falou mais sendo bem claro:

- O NEGÓCIO É O SEGUINTE, OU VOCÊ VAI DEDICAR SUA VIDA UNICAMENTE A PUTARIA, OU VAMOS MANDAR ESSE VÍDEO PRA SUA FAMÍLIA, PRO SEU TRABALHO, OU SEJA, OU VOCÊ VIRA NOSSA ESCRAVA PERPÉTUA, OU VAMOS DIVULGAR ESSES VÍDEOS NA INTERNET.

Perguntei:

- O QUE O MEU MARIDO ACHOU DISSO, VOCÊS FALARAM COM ELE?

Senhor Reffuart disse:

- PATI, SEU MARIDO É UM CORNO ASSUMIDO, NÃO SE PREOCUPE COM ELE, VOCÊ VIU COMO ELE FICOU LOUCO TE VENDO EM AÇÃO, ELE JÁ TOPOU.

Eu meio decepcionada com meu marido falei:

- VOCÊS ACHAM QUE EU QUERO ISSO? ABANDONAR TUDO PARA ISSO? VOCÊS ME TROUXERAM AQUI! EU NÃO PEDI ISSO! EU CURTI? SIM! MAS TUDO TEM LIMITES! CHEGA! EU QUERO IR EMBORA!

Meu marido entrou no quarto. Eu olhei pra ele e disse:

- NÃO QUERO FALAR COM VOCÊ AGORA, VOCÊ É UM BANANA, CONVERSAMOS EM CASA.

Meu marido falou-me mesmo assim:

- AMOR, ELES TEM OS DVDS QUE GRAVARAM, SE ELES MANDAREM ISSO PRO MEU TRABALHO, O QUE VAI SER DA MINHA VIDA PROFISSIONAL. SE ALGUÉM TEM QUE ESTAR PUTO AQUI, ESSE ALGUÉM SOU EU, MAS NÃO, EU ASSUMO QUE GOSTEI DE TE VER FUDENDO COMO LOUCA, ASSUMA QUEM VOCÊ É, E SEREMOS FELIZES.

Respondi:

- FODA-SE QUE ELES VÃO DIVULGAR ESSES VÍDEOS, VOCÊ NÃO GOSTA DE SER CORNO, ENTÃO, QUE SE FODA QUE VÃO SABER NA SUA EMPRESA.

Senhor Reffuart se meteu:

- VAMOS DEIXAR VOCÊS DECIDIREM, VOCÊS TEM DUAS HORAS, ESPERO QUE ESCOLHAM BEM, SEU EU FOSSE VOCÊ, PATI, OUVIRIA SEU MARIDO, VOCÊ ESTA DE CABEÇA QUENTE, MAS SAIBA QUE SE DIVULGARMOS ESSES VÍDEOS, SUA VIDA MUDARÁ PRA SEMPRE.

Senhor Reffuart e Henrique saíram do quarto. Fiquei sentada na cama pensando em tudo que aconteceu naqueles dias, olhava pro meu marido, pensava em nossa vida. Meu marido me deu um beijo suave e disse:

- AMOR, CADA PESSOA TEM PRAZER DE UM MODO DIFERENTE DA OUTRA, EU CURTI MUITO O QUE FIZEMOS HOJE, VOCÊ FAZ PARTE DISSO, SEU TESÃO MOTIVA TODO MUNDO, EU NUNCA TE VI COM TANTO PRAZER, EU TE AMO MAIS QUE TUDO NA VIDA E POR ISSO MESMO QUERO QUE VOCÊ SEJA FELIZ, ACEITE A PROPOSTA DELES.

Eu tentei convencer meu marido que não era nada disso. Mas ele me viu em ação. Eu não tinha como mentir. Meu marido continuou falando.

- VOCÊ FICA MENTINDO PARA VOCÊ MESMA, QUE TAL COMEÇAR A SER SINCERA? VEJA O TANTO QUE VOCÊ APROVEITOU QUANDO FOI SINCERA COM SUA SEXUALIDADE, VOCÊ FOI PLENA COM TODOS AQUELES HOMENS, EU JÁ TE PERDOEI, EU ADOREI TE VER EM AÇÃO, EU TE AMO E NUNCA VOU TE LARGAR, NUNCA!

Ele se calou e ficou comigo no quarto por meia hora, me fazendo carinho, depois me deu um beijo e levantou para sair. Suas ultimas palavras antes de sair do quarto foram:

- VOCÊ É BOBA, CONTINUA SE ENGANANDO! POIS BEM, FAÇA O QUE ACHAR MELHOR, MAS SÓ PARA VOCÊ SABER, EU NUNCA TE VI TÃO FELIZ COMO NO MEIO DAQUELES HOMENS, SE VOCÊ AINDA TEM DÚVIDAS, VEJA VOCÊ NO DVD, EU JÁ ASSUMI QUEM EU SOU, AGORA SÓ FALTA VOCÊ ASSUMIR QUEM VOCÊ É.

Meu marido jogou uma cópia do DVD em cima da cama e foi embora. A curiosidade bateu e quis ver o DVD daquela orgia. Liguei a TV e coloquei o DVD pra rodar. Foi tudo muito bem filmado e editado. Pude ver meu rosto submerso por porra. Comecei a sentir tesão. Desliguei o DVD. Fiquei inquieta. Tentei mudar meus pensamentos. Não conseguia. Um homem abriu a porta e me deu quatro caixas e uma carta. Abria a primeira caixa. Havia um vestido lindo. Abri a segunda caixa. Havia uma coleção de lingeries. Abri a terceira caixa. Havia diversos sapatos. Abri a quarta caixa. Havia um estojo de maquiagem e vários brincos. Enfim abri a carta e a li.

“SABEMOS QUE VOCÊ ESTÁ COM DÚVIDAS, ESPERAMOS QUE OS PRESENTES TE CONVENÇAM A FAZER O QUE VOCÊ REALMENTE QUER, SE DECIDIR FICAR, ESSES PRESENTES SÃO APENAS O COMEÇO. SE DECIDIR FICAR, SAIA DO QUARTO E SIGA PELO CORREDOR ATÉ O BANHEIRO, TOME UM BANHO E VISTA-SE. VOCÊ NÃO SE ARREPENDERÁ!”

Fiquei ali pensando. Liguei o DVD novamente. Dessa vez adiantei a até ver meu marido no vídeo, na parte que ele aparecia, dava pra ver o tesão nos olhos dele. Não quis mais saber de nada, Eu sabia quem eu era. Peguei todas as caixas. Segui pro banheiro. Tomei um banho de princesa. Sai do banho e comecei a me vestir. Vesti a meia-calça. Coloquei o espartilho. Comecei a fechar as presilhas. Prender as meias na cinta me dava muito tesão. Tudo me excitava. Eu estava fora de mim. Maquiei-me. Coloquei o vestido. Calcei os sapatos. Olhei-me no espelho. Eu estava linda! Passei a mão por cima dos meus seios. Saí do banheiro. Desci a escadaria e entrei na porta à esquerda. Uns 200 homens me receberam aplaudindo-me em um grande salão. Vi meu marido ao lado de um telão imenso onde passava o meu vídeo. Pisquei pra ele. Do outro lado, uma mesa com um prato, uma colher e uma taça. Senhor Reffuart falou:

- PATI, EU SABIA QUE VOCÊ NÃO IRIA NOS DEIXAR NA MÃO E DIGO ISSO LITERALMENTE.

Todos riram. Então eu disse pra todos ouvirem.

– ESPERO QUE TENHAM MUITO PORRA RAPAZES, SOU BEM MIMADA.

Todos riram de novo. Senhor Reffuart falou:

- PATI, VOCÊ DEVE ESTAR COM FOME, NÓS JÁ COMEMOS, MAS TEMOS ALGO ESPECIAL PARA VOCÊ, SENTE-SE A MESA.

Sentei-me. Rapidamente vieram os primeiros homens com o pau duro pra eu chupar. Comecei a chupar uma rola gostosa e grossa.

Ele gozou muito rápido. Tirou da minha boca e mirou no prato. Achei ruim ele de não ter gozado na minha boca. Já veio a próxima pica.

Esse também gozou rápido e no prato. Não dava nem para sentir o caldinho direito. Todos gozavam assim. Começavam a foder minha boca. E quando eu começava a gostar. Eles tiravam e gozavam tudo no prato. Todas as mamadas eram muito rápidas. Eu estava um pouco decepcionada. Senhor Reffuart falou:

- PATI, NÃO FIQUE DECEPCIONADA, ENQUANTO VOCÊ PENSAVA SE VINHA OU NÃO VINHA. TODOS AQUI FICARAM SE MASTURBANDO ASSISTINDO SEU VÍDEO!

Meu marido falou:

- AMOR, VOCÊ PODE IMAGINAR ISSO! 200 HOMENS BATENDO PUNHETA PRA VOCÊ POR 2 HORAS SEM GOZAR!

Respondi lânguida:

- NOSSA CORNINHO, DEVEM TER ACUMULADO MUITA PORRA PRA MIM ENTÃO.

Senhor Reffuart mandou meu marido calar a boca e rindo falou:

- ESSE É O SEU JANTAR, LOGO É DE SE ESPERAR QUE GOZEMOS RÁPIDO, NÉ? AFINAL, NÃO PODEMOS DEIXAR NOSSA PUTINHA PASSAR FOME.

Depois de suas deliciosas palavras, Senhor Reffuart, veio foder minha boca e gozar no meu prato. Depois outro. E outro. Mais outro. Um a um. Todos os 200 homens gozaram gostoso no meu prato. Eu tinha ali na minha frente, uma sopa de porra de 200 homens. Um caldo grosso e branco. Um jantar de porra em minha honra. Todos ficaram ao redor para me ver comer. Claro que tudo era gravado pelo câmera man. Comecei a saborear meu prato. Peguei uma colher, mergulhei naquele líquido e levei até a minha boca. Engoli e disse:

- HUMMM... ESTÁ UMA DELICIA ESSA SOPA DE PORRA DE MACHO, DO JEITO QUE EU GOSTO.

Peguei outra colher. Dessa vez enchi bem a boca de esperma. Abri a boca, mostrei pra eles e cuspi de volta no prato. Depois levei meus lábios até o prato e chupei um bocado. A porra derramava em volta dos meus lábios. Lambi os beiços passando língua em meus lábios melados de porra. Olhei nos olhos do meu marido. Ele estava em transe. Olhei pra todos os outros machos também. Eles estavam adorando aquela brincadeira. Coloquei mais um pouco de porra na boca e fiquei borbulhando. Voltei a pegar a porra com a colher. De colherada em colherada eu comi toda minha sopinha de porra. Raspei o prato. Engoli tudo. Depois lambi o prato. Passei os dedos e chupei cada gota. Um homem veio e enfiou sua rola na minha boca e gozou. Mostrei pra todos e engoli falando:

- HUMMM FRESQUINHO DIRETO DA FONTE... ADORO!

Olhei pra minha taça e ela estava vazia. Perguntei:

- E O QUE VOU BEBER? TO COM SEDE!

Henrique veio e gozou dentro da taça. Depois outro macho gozou nela também. Depois outro.

Outro. Quando fui beber, Senhor Reffuart segurou minha mão e disse:

- ESPERA AÍ VAGABUNDA, EU TENHO UM DRINK ESPECIAL PARA VOCÊ.

Ele pegou a taça da minha mão e começou a mijar dentro dela e então disse me devolvendo a taça cheia de mijo.

- PATI, VOCÊ NÃO VAI DESPREZAR UM DRINK ESPECIAL, VAI?

Eu peguei a taça e virei de uma vez. Era um gosto misturado de mijo com porra. Senhor Reffuart me tirou da cadeira e me botou de quatro. Deu-me sua rola pingando a mijo pra eu chupar até ficar limpinha. A rola ficou limpa e dura. Ele enfiou tudo de uma vez no meu cu. Senhor Reffuart levantou a saia do meu vestido, chegou a calcinha pro lado, e começou a bombar. Me fodeu com a saia levantada até a cintura. Seu saco batia com força contra mim. Seu pau preenchia meu cu. Meu corpo suava. Varias rolas apareceram pra eu mamar. Comecei a chupar uma rola gostosa enquanto era enrabada. Picas apareciam pra eu punhetar. Eu punhetava uma pica e mamava em outra. Senhor Reffuart socava em meu cu com raiva. Vários batiam punheta pra mim. Senti um líquido voando em mim. Parei de chupar por um segundo. Estavam todos gozando em mim. Sujando meu vestido. Senhor Reffuart não demorou e encheu minha bunda de porra. Eu gozei junto quando senti seu calor me encher. Estava louca. Muitos outros ainda vieram gozar e comer meu cu. Eu estava toda esporrada. Meu corpo. Meu rosto. Eu exalava o cheiro de porra fétida. Continuei de quatro. De repente. Muitos machos começaram a mijar em mim. Outros gozavam em mim. 200 homens mijando e gozando em mim. Comecei a gozar como nunca antes havia gozado. Comecei a tremer. Eu estava descontrolada. Fiquei ali de quatro tendo a cara, os cabelos. Enfim. Meu corpo todo era mijado e gozado simultaneamente. Abria a boca para agradá-los, os deixando mijar nela. Quando todos acabaram. Eu borbulhava mijo e porra na boca e mostrava meu gargarejo pra eles. Bebi tudo. Eles adoraram isso. Eu, a putinha deles, coberta de mijo e porra. Toda linda e vestida. Eu era o esgoto de mijo e porra daqueles machos. Então Senhor Reffuart gritou com meu marido:

- CORNO, TRAGA A JARRA DE PORRA QUE A NOSSA VADIA AQUI VAI BEBER TUDINHO, SEU OTÁRIO.

Gozei ouvindo isso. Meu marido trouxe a jarra e uma taça. Serviu minha primeira dose. Uns dois dedos de porra na taça. Dei um gole naquela porra. Brinquei com ele na boca. Eu fazia bolhas. Bebi todo o resto daquela porra Meu marido me serviu outra dose. Um copo cheio. Que delicia! Dei um gole com tanto desejo que a porra escorreu pelos meus lábios.

Ficou pingando da minha boca. Olhei todos nos olhos. Nisso um macho veio e botou a pica na minha boca e disse:

- VOCÊ TEM UMA BOCA DELICIOSA SUA PUTINHA, VOU ENCHER ELA DE PORRA.

Eu o chupei e o punhetei. Olhando pro meu marido eu falei:

- MAL POSSO ESPERAR PRA TER ESSE SÊMEN EM MIM, QUE PAU GOSTOSO. FICA OLHANDO CORNINHO, OLHA ESSE MACHO ME SUBJUGANDO NA SUA FRENTE. OLHA CORNO!

Eu chupava a pica. A punhetava com uma mão. Com a outra dei outro gole na minha dose de porra. Dei uma parada na mamada. Bebi minha taça de porra massageando as bolas do cara. Olhava pra todos. Voltei a chupar a rola. Aumentei a velocidade e a força da chupada. Chupei como se fosse o último pau da minha vida. Sem ele anunciar. Senti seu membro pulsando e seu esperma enchendo minha boca. Começou a escorrer porra pela minha boca. Pelo pescoço. Se juntando às outras manchas de porra. Tirei o membro da boca. Fui atingida no rosto por um jato. Ele me deu uma tapa na cara e se foi. Meu marido me serviu outra dose de porra. Dei um gole. Abri a boca e gargarejei porra. Engoli tudo e abri a boca pra mostrar a eles. Meu marido me serviu outra dose. Percebi que um pouco tinha escorrido pela lateral da taça. Levantei a taça e lambi toda sua lateral. Agradeci:

- OBRIGADO CORNINHO, A PORRA DOS MACHOS TÁ UMA DELICIA.

Depois bebi tudo num gole só. Estendi a taça na direção da jarra e falei:

- VOU BEBER TUDO, TODA PORRA, MENOS A SUA MEU CORNINHO.

Minhas palavras excitaram meus machos. Três machos sem avisar vieram e gozaram na minha cara simultaneamente. Enquanto isso meu marido me servia mais uma dose. Voltei a chupar e punhetar vários caralhos que apareceram na minha frente. Entre uma mamada e outra eu parava e saboreava minha taça de porra. Muitas picas gozavam na minha cara. No meu cabelo. No meu corpo todo. Era uma sensação fantástica. Estar completamente exposta. Meio sem poder reagir. Dominada por vários membros. Restos de porra iam caindo no chão. Um dos caras que se masturbava pegou minha mão e jorrou sua porra na minha taça. Dei um gole com gosto e fiquei lambendo a taça por dentro. Gozei. Meu marido então serviu minha ultima dose de porra. Chegou a transbordar. Não cabia mais nada na taça. Lambi de novo a lateral da taça. Não queria perder nada daquele líquido turvo com formas grossas e brancas. Peguei a taça e comecei a beber minha ultima dose. Resolvi beber tudo de uma vez. De glut... glut... Depois passei os dedos dentro do copo e lambi tudo com uma cara de safada. Fui aplaudida por todos. Senhor Reffuart veio até mim e me deu um tapa na cara dizendo:

- VAZA DAQUI SUA PUTA, SOME, QUANDO QUISER TE LIGAMOS.

Ele olhou pro meu marido e disse:

- VAI JUNTO SEU CORNO OTÁRIO, SOME TAMBÉM.

Levantei e fui ao banheiro seguida por meu marido. Tirei a roupa. Meu marido pediu pra me lavar. Deixei. Meu marido disse que me amava muito e nunca ia esquecer esses dias. Eu nada falei. Mal podia esperar pelas outras festas.

por Escrava Pati


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Senhor Reffuart a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
25/04/2015 14:51:05
Perfeito o conto. Gostaria de saber se é verídico? Se sim, como faço para entrar em contato com o Senhor? Sou corno e minha noiva é uma puta assumida. Somos de SP.


conto erotico onibus lotadoconto erótico mão amiga primosespiritual com.net padrasto contos eróticoshomem arretando novinha no bejoeu, minha namorada, mae e tio contoeroticominha chorrou na bengala do negraõ xvdeos.comcontos eróticos primeiras lições do vovô relatos eroticos tirei os cabacinhos dos dois visdinho novnhos como choro pau grandeeu quero um vídeo acaba transando com a mulher postergando ela na cama dormindo a força e ela gritando ele comendo elarelatos eroticos Elen Reginabeijo o conhado e deu o cuzinho pra elemenina já com a priquitinha na calcinha na picinacontos eróticos menina no esconde escontepenis estrondoso de grande comendo cu xvideominha irma deixou um bigodinho na xana so pra fuder comigoZoofilia franco e belinhakidebengala jorrandoporradentrofazendo o bumbum de colçhão e torada.xnnconto erotico de casado o perigo mora ao ladoContos eroticos de podolatria com fotos desejando chupar os pes de primas provocandoQuadrinhos eroticos de pai comendo a filha escodido de sua mãecontos eroticos malv comendo as interesseiraapanhar de chinelo pai contoMeninos batendo bogueti marido chupa abuceta da mulher depos de amando emchei ela de porravídeo pornô caseiro rapariga tira camisinha do r$ 500vídeos pornôs pornodoido nao resistiu e fudeu pela primeira vez com namorado fortão e sexyIsac -Hugo |Contos Eroticos zdorovsreda.rupornodoido desde muito peguena escolares japonesas escolares desde cedo fudendo gostosonovinha dando a buceta e depois o cú ao motorista da pirua que levava ela pra escolaxvidos sexo nonviha gozanoconto erotico/gay asistindo percy jacksonxvidio baxinha gozou enfiando o dedo bem ligeiro na bucetacontos eroticoflagrei esposa com garotos de progamacunhada safada e a mulher alisando o cunhado caralhudo ,contos e relatos eroticosquero ver vidio de homen caralhudo se depilando o sacocontos eiroticos leilapornconto erotico chantageando filha prostitutapornodoido.com.novinha.masageano.pica.grosafotos de vestidos colados que acentue a bundaviadinho bundinha linda arrebitando pra mim na cachoeira...xvideosEbcoxei o menino no bsao - conto haysexo oline depiladora não aguentaou ver o cliente de pau duro e caiu de bocadeflorador de gatinhas taradaswww xvideos negão com penis 59cm comer. quatro mulher bucetuda.comchupalano o cu da mulhercontos eiroticos leilapornconto erótico se masturbando com calca legeContos eróticos procurando aventura no clube de campovídeo caseiro com mamãezinha só de casa dela com os peitinho durocontos de sexo depilando a sogramuitei em cima da minha espoza na cama vidio pornokid bengala buraco na paredexxxxmenina mostra sua boceta pelo shortinhogostosa infia bolinha explovisa na buceta e vai treparcontos eroticos A Dama e o Bruto morena linda tampa a boca do irmao e senta em sua rola enlouquecidaxvidio confusão em família pai gosou dentro da buceta dabuceta das gostosa da novela das 9:00aspanteras tio comendo sobrinha bem novinha escondidi da maecontos chupei o grelinho da enteadinha a forçacasa dos contos estrupada por pivetescontos eiroticos leilaporndançarino de funk transando de frango assadocontos eiroticos leilapornanordestina nao gostou porque gozou dentrosobrou muita pica pra fora da xavasca da crioulaVoltei arrombada e cheia de porra mostrei para o cornoviado de saia fudenomenina nvh fidendo cm doisnasauna corroas inseistoincesto com meu vô contostrasei com a mae de meu amigo videoquero ver vídeo pornô as duas sobrinha novinha insistindo para o tio comendo o c****** virgem da lapaMansinho shortinho atolado bunda corno contopeladas passando margarina uma na outroflaguei cheirando minha calçinhacontos eroticos minha namorada medindo o pau do dotadocrente safada contosvídeo de mulher vídeo de mulher grande e bonito botou no abrigo da calça do homem botando o pênis pequeno dentro para fora e masturbando até gozar