Meu Primo A.C. e eu

Um conto erótico de valtinho
Categoria: Homossexual
Data: 22/07/2008 17:33:34
Nota 7.00
Assuntos: Homossexual, Gay, gays

MEU PRIMO A.C. E EU

Dizem que na puberdade a sexualidade está incerta, dividida; o garoto fica na dúvida se é homem ou mulher, se é macho ou fêmea, se é ativo ou passivo. Eu nunca tive essas dúvidas; meu negócio era dar a bunda. Adorava sentir o pau dos outros garotos pressionando o meu cuzinho, apertar com as nádegas aqueles paus quentes, duros, loucos por um gozo, um carinho, uma punheta; adorava masturbar seus paus, ver o jato de esperma, a respiração ofegante, o coração aos saltos, as palavras sem sentido, o líquido branco perfumado escorrendo pela minha mão.

Eu era muito disputado; bunda redonda, firme, coxas grossas ideais para agasalhar os paus, e tirar-lhes o gozo. Meu pau também era desejado; grosso, duro, cabeça vermelho vivo, gozo farto; os troca-trocas eram quase que diários; mas eu preferia mesmo era dar a bunda e o meu parceiro preferido era o meu primo A.C. O seu pau não era muito grosso, mas rígido e quando duro apontava para a frente, na horizontal; tinha uma característica inesquecível: era de cor escura, a cabeça parecia uma jaboticaba brilhante; já o seu esperma era branco leite, que contrastava com a cor do pau. Mas era uma delícia; a sua altura permitia que encaixasse o seu pau bem na porta do meu cuzinho e eu o apertava com a bunda com bastante força e carinho; para cada aperto era aquela sensação maravilhosa, que também me fazia gozar. Nunca dei o cuzinho, mas a bunda foi muito comida.

O tempo passou e a fase da responsabilidade chegou; escola, trabalho, faculdade; eu arrumei emprego numa empresa no distrito industrial da minha cidade; o meu primo também trabalhava nesse distrito industrial, mas raramente nos víamos pois os horários de trabalho não coincidiam.

Tempos depois ao sair bastante atrasado por força de acúmulo de trabalho, tomei um ônibus de carreira quase lotado; qual não foi a minha surpresa quando alguns pontos adiante vi o meu primo subindo no ônibus; ele também me viu e imediatamente veio perto de mim, cumprimentou e postou-se logo atrás me encoxando; firmei as pernas, empinei a bunda e ofereci-lhe; ele veio saudoso, o seu pau já duro buscou a sua casinha; que delicia, que saudades; o chacoalhar do ônibus levou-nos à loucura. Foram momentos sublimes mas que não duraram muito, pois o ônibus chegou ao meu ponto. Desci, me preparei e fui à escola; não conseguia me concentrar nas aulas, pois vinham-me à lembrança aqueles momentos deliciosos do início da puberdade. No intervalo fui embora; quando passei pela casa da minha avó para uma visita rápida, surpresa ! Meu primo também a estava visitando; saímos de imediato e fomos a uma rua sem saída e pouco iluminada; aproveitamos uma camionete velha que estava estacionada para nos escondermos ainda mais; de imediato ele me encoxou; ao sentir aquele maravilhoso pau não hesitei; soltei a cinta, a calça, a cueca; ofereci-lhe a bunda desejosa por aquele pau; essa bunda estava esperando há alguns anos ser novamente possuída; aquele pau escuro fez o serviço direitinho; empurrou o meu cuzinho, apertei-lhe, a mão esquerda do meu primo acariciou o meu pau e em poucos momentos fomos ao gozo. Anos depois éramos novamente um casal satisfeito.

Por algum tempo aquela rua escura e deserta foi o nosso ponto de encontro; atrás dessa camionete fiz-lhe as minhas primeiras gulosas; abocanhei aquele maravilhoso pau, chupei-lhe as bolas, acariciei-lhe o rego enquanto o chupava; passava a língua em volta da glande, derrubava bastante saliva para lhe punhetar enquanto chupava; o seu gozo vinha forte, perfumado, em jatos que se perdiam na noite.

Eu me sentia quase que totalmente satisfeito; faltava apenas ser comido; eu gostava muito do pau na bunda, na porta do cuzinho, adorava chupar-lhe; mas eu me sentia ainda incompleto; após cada encontro ainda ficava faltando alguma coisa.

No início do ano a sorte nos favoreceu; saímos em férias no mesmo período e o meu pai nos pediu para irmos a nossa casa na praia para arrumá-la antes que ele e minha mãe viajassem; cortar a grama, abastecer a geladeira, a dispensa, essas coisas. Fomos voando para lá, antevendo noites inteiras juntos, na mesma cama, no mesmo chuveiro.

Chegamos na hora do almoço; ajeitamos a casa o melhor que pudemos; abrimos portas, janelas, lavamos a cozinha, os banheiros, colocamos os lençóis. Chegou a noite; jantamos rapidamente, tomamos algumas cervejas, relembramos os troca-trocas, as punhetas, as enrabadas, as gulosas que eu fazia. O tesão foi aumentando, aumentando. Fomos ao chuveiro, lavamo-nos; que sensação maravilhosa sentir a água quente, as mãos cheias de espuma de sabonete percorrendo o corpo; as axilas, mamilos, o saco, o pau, a bunda, o rego, o cuzinho, as coxas; encoxadas, pau nas coxas, os paus sendo esfregados um no outro; secamo-nos e fomos à cama; de imediato iniciei uma gulosa, sem pressa; saboreei aquela vara que eu ansiava por tê-la dentro do meu cuzinho virgem, acariciei as bolas, chupei as virilhas, virei-lhe de bruços e mordi a bunda, passei a língua no rego, na porta do seu cuzinho; com uma das mãos sentia a dureza do seu pau, o creme que saía da glande; a nossa tesão estava no auge. Eu havia levado um creme de pele da minha mãe e pedi ao meu primo: -- Me lubrifica e me come. Ele prontamente aceitou; com o dedo médio passou o creme na porta do meu cuzinho, introduziu metade desse seu dedo; apertei-o, que delicia; pedi-lhe dois dedos o indicador e o médio; maravilha das maravilhas; lubrifiquei o seu pau com o creme e pedi-lhe já quase sem voz: -- Me come, me come. Posicionei-me de lado, com os joelhos bem perto do meu peito; ele encaixou o seu pau e forçou uma vez, duas vezes, três vezes, até que senti a sua cabeça passando pelas preguinhas e me invadindo. Eu não era mais virgem. Senti aquela divina sensação que somente quem está sendo enrabado conhece: estar sendo possuído, estar sendo a fêmea de um macho, sentir a respiração desse macho no teu pescoço, nas tuas orelhas, as palavras de carinho misturadas com tesão, com posse; desejo puro, pura tesão. Pedi-lhe que colocasse somente a metade do seu pau e tirasse e colocasse e tirasse e colocasseAlgum tempo depois ele avisou que ia gozar e assim o fez; senti aquele jato forte, quente, me invadindo, o seu coração batendo loucamente; pedi-lhe agora que colocasse tudo; o seu pau foi até o fundo, senti os seus pentelhos na minha bunda, o seu saco batendo no meu; apertei o seu pau com o meu cuzinho, com a minha bunda. Quando a sua respiração voltou ao normal o seu pau naturalmente saiu do meu cuzinho finalmente saciado e abraçamo-nos; encostei a minha cabeça no seu peito e dormi calmamente, agradecido.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive ValtinhoT a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
24/02/2009 02:05:08
Nooooooossa!!!


fudeu a cunhada madura gostosa cherando droga no quarto delabaixar vídeo pornô coroas esfregando na caixaxvideo pornô Mobile pague 2 de mulheres gemendo com o pau atolado até o talo na bucetanovinhas.abrir.buzentapuitnhoendoidando homem com cheiro da bucetaxvideo.ana desfarsado no quarto da novinhaContos gays /fui estrupado por2 na escola e a diretora flagoucachorro fod madamegozaxxvibeo com a calsa apertada fudeno com novinhoconto erotico novinha zeladorniversexoprivat porno encochada no bus coroa poe a mao pra tras passa na pica e cheiracontos eiroticos leilapornnovinha levano caralho de trinta centimetrosxividio cuida e primojapinha colegial dano o cu parra rrola gigantemulheres ficatarada narrua salver penes grandttraveco falano vougosa na punhetaimpressando gostosa na parede porno doido analXVídeos XVídeos fazer XVídeos XVídeos pau de pavêconto erotico amamentando velho negrosafadas brasileiras vantage de muito trepadas porbodoidome tornei amante do meu paicontos de sexo depilando a sograquadrinho erotico carnaval noraE aí irmão como é que você tá lindinho da sua calcinha para mimnovinhobonitinho de quatro pede rola grossano cufui estrupado pelo meu primo doente mental conto erotico gaydona margarida metendo gostosonovinha jorrando porra pelo cu apertadinho q foi arrombado por pirocudoporno gey peando priminho pre. adolesente e jovem tanbem xvidiosconto de mulheres gozandolesbicaconto erotico,podolatria no pet shopVou contar como consegui transar com minha inquilinapornô meu padrasto comendo a casinha e ver meu quarto quando estou dormindo sem Teresaloirinha pesou que ia so fazer chupeta mas tomou muita porraxxxxxxxxxx peitinho da enteadamulheres tocando sirica no trabalho e gosando com seu casuloamor vc deixou ese safado me comer pornodoidocontos eiroticos leilapornputa casadaesquece o Paysandu virgindade da filha bem novinhacu gay rasgando por pau cabessudo e cheio de porrvideos de sexo sogra dando escondido para o namorado da filha e ela goza até esquichaconto erotico de incesto estorei as praga do cuzinho da minha maemulher engatada con cachorro grande conto erotico meu maridinho me deixou fuder na madrugadacontoerotico eu namorada mae e tioxxxporno peguei minha amiga de legue dela e soquei tudoconto gay pai e filhoincochou e gosouContos eroticos de homes da rola grande e grosa que tem tezao em cu de outros homesConto erótico chupa bucetaloira esposa enquanto marido dorme ela fica engatada no dog gigante e goza de dor contos eroticos"mete só um pouquinho"sogra conta em conto erótico como bateu uma punheta no genro de pau grande e grossocontos erdicos gay evangelicosconto erotico rasga minha buceta esfola meu cuzinhocontos de buceta suadacontos eroticos no cinemajogador de basquete fode o gay safado na arquibancada negao xnxxvídeo de moleque pequenininho trancadinho batendo p****** sexoxvideosdificil pra vc luka conto erorico eu era cadela do meu macho ele me fudia segurando minha coleracontos eroticos malv comendo as interesseiraVamp19-Contos O Doce Nas Suas Veias Capitulo 02casado safadoXVídeos gay com truculênciabaixa videos de menina dano abuceta de perna a bertarcomtos eroticos incesto dei minha busetinha ainda sem pelinhos para um velhos muito pausudo e meu irmao descobrio e quis fuder meu cusinhoporno grats novinha beijando e sendo encochada con permiçao do cornorelato meu enteado me comeu gostosovidio porno morena da bucetinha linfacontos eroticos gay o cravo e o espinhoxvideos comendo o cadaver no cemitériovideo d masoquismo sensacao gostosa fortrd caricias q causam dor e leva ao orgasmo video completocontos eroticos minha amiga travestris abuso de mim bebadaxvidios com violadas esturpadastextos mulheres e meninas. viadinho estrupadas dulpa penetracao gozada boquinhaVidio porno de troxudascorno chorao contos eróticoslambida no cucasada bucetuda safada apontando com um negao dentro de casa video dowoads gratiscontos eiroticos leilapornbarriguda trepanfohomem fodenfo uma bezeraqaboca novihaMoto táxi pega passageira gostosa de shortinho curtoporno.socu.epeitos.glande.pinto.enormecontos eroticos de mulheres ricas tendo o cu arrombado pelo borracheirorelatos eroticos hoje vou ser a putinha do meu garotão  na minha cama com o corno sentado assistindo bem mansinho, viu corno”.tadinha chorou pra na da o cu xvidiox cabacoPorno dando rabo pra Nergõessanba porno que espetaculo de vizinha queredo pau vou fude mais eladois hetero trazas tiro pica pra gozarempresario comedor de casadas cssa dos contos eroticosflagrei as jogadoras de volei transando ate gosarxvidei de hmen batendo