Uma menina chamada Mari, 01/10

Um conto erótico de Pequeno Anjo
Categoria: Heterossexual
Data: 22/09/2011 21:41:36

FOI ASSIM QUE CONHECI MARI

Meu nome é Francisco, sou solteiro por convicção, tenho uma namorada fixa há quase dois anos e uma pequena chácara no interior. O que passo a contar aconteceu em janeiro de 2009 quando em minhas férias resolvi passar uma semana na chácara.

Luzmaria, minha namorada, não conseguiu folga e, mesmo que conseguisse, por certo não iria comigo, pois estávamos brigados.

Sair da cidade era tudo o que eu mais desejava naquele momento, pois precisava repor minhas forças para retomar a vida aperreada do dia-a-dia na empresa em que trabalho.

Cheguei na chácara em uma sexta-feira e encontrei a casa quase que completamente limpa, soube então que tinha sido um achado dos céus ter combinado com Conceição – moradora vizinha – que fizesse limpeza na casa e tratasse da pequena criação de aves que mantinha no quintal. Na realidade foi Luzmaria quem combinou e todo mês eu depositava os quinhentos reais acertado.

Conceição é uma mulher jovem casada com um paraibano com quem tinham uma filha chamada Maria Joana com que tinha feito amizade na última vez que lá estive. Mari, como a chamei desde que a conheci, é uma menina sapeca como muitas por aí a fora que parecia ser mais madura que a pouca idade e vivia em minha casa ora brincando com minha namorada, ora comigo ou atazanando os pobres patos no quintal.

Naquele dia eu estava com tanto tesão que quando a filha da vizinha veio me visitar logo fiquei de pau duro e, como toda vez que íamos para lá ela praticamente se mudava de sua casa.

— Oi tio! – correu para me abraçar – Faz tempo que tu não vem aqui...

Era uma menina que adorava conversar. Perguntei sobre seus pais e sobre sua escola e ela respondia na lata sem titubear.

— O papai tá pro norte... – sentou no sofá – A mamãe disse que ele foi visitar os parentes... – sentou no sofá ao meu lado – Cadê a tia, ela não veio?

Ela estava com um vestido super curto e meio transparente.

— Essa roupinha deixa a gente ver tudo – falei brincando.

— Tem nada não, não tenho vergonha de ti – riu e começou a me fazer cócegas – Ma tu não pode me olhar assim não tio...

Era uma garota que sabia se fazer presente e, como ela adora fazer cócegas, comecei a tocá-la também, de re-pente a coloquei sentada no meu colo como ela não ficava quieta, meu pau ficou duro e começou a querer sai fora do meu short. Eu estava na lama há quase uma semana.

— Que é isso aqui debaixo de minha bunda tio? – deu um pulinho – Tu tá com saliência, tio...

Não estava conseguindo me segurar, Mari não parava, parecia elétrica naquele dia e se mexia como se estivesse nervosa.

— Você parece uma cabritinha... – tirei-a do colo – Assim você me machuca...

Ela riu e deitou com a cabeça no meu colo.

— É que eu gosto muito de ti... – começou passar a mão em minha barriga.

— Também gosto de você – fiz carinho em seus cabelos – Sua mãe não fica preocupada com você fora de casa?

Não sei por que falei aquilo, talvez por eu estar carente e preocupado com o que sua mãe pudesse pensar por eu não ter levado minha companheira.

— Fica não tio, ela sabe que eu vim pra cá – sua mão macia não ajudava me fazer esquecer o tesão que sentia – Sabe tio... – parou e levantou a cabeça e me olhou nos olhos – Tu jura que não conta pra ela que eu vou falar?

— Falar o que Mari?

Ela estava séria, nem parecia a menina alegre que tinha chegado e brincado comigo.

— Ela também gosta de ti... – riu – Ela diz que confia que tu vai cuidar direitinho de mim... Tu cuida de mim tio?

Não sabia o que pensar ou no que falar, só sabia que aquela situação estava me tirando do sério e já estava louco pra gozar, mas não era maluco de querer fazer sexo com Mari. Meu pau parecia que ia estourar e não tinha notado que a cabeça estava aparecendo.

— Seu safadinho... – a menina me olhou – O que é isso tio?

Fiquei envergonhado e ia colocar novamente para dentro quando ela passou o dedo na cabeça do meu pau, o-lhei para ela e ela parecia estar alheia a tudo.

— Ele tá apertado tio... – puxou o elástico da cintura da bermuda – Assim pode doer...

— Você quer que eu tire ele?

Ela me olhou com um sorriso safado no rosto.

— Se tu quiser pode tirar... – puxou minha bermuda e meu pau pulou livre – Porque ele tá assim tio?

Tentei explicar que eu estava com muito tesão.

— O que é tesão?

Não soube como dizer para aquela garotinha o que era tesão, só falei que era vontade de meter.

— E tu tá querendo meter ele aonde?

— É coisa de gente grande Mari... – segurei sua mão e tirei do meu pau – Quando o homem está com muita vontade de fazer sexo fica assim...

— Ah! Já sei... Tu tá querendo meter na periquita não é tio?

— É isso Mari... Tua tia não está querendo deixar eu meter nela – continuei sem ter certeza de que ela entenderia.

— Se tu quiser pode meter ne mim, tu quer?

— Não pode Mari... – sorri – Você é muito novinha pra essas coisas.

— Eu já vi o padrinho meter na mamãe... – levantou e ficou parada – Mas o papai não sabe disso viu?

Já tinha quase certeza de que Conceição, a mãe de Mari, andava de caso com o compadre por algumas vezes que os vi junto.

— E como foi que ele meteu?

— Mas tu tem de jurar que não conta nada pra mãe e nem pro pai, viu?

Apenas sorri e ela levantou o vestido e tirou a calcinha, a xoxotinha careca parecia inchada e aquela pequena língua reluzente mostrava que Mari sabia muito bem o que estava fazendo.

— Passa a mão tio... – pegou minha mão e colocou entre suas pernas – É gostosinho...

Deixei que ela conduzisse, queria ver até onde iria e se realmente sabia o que estava acontecendo, Ela pegou meu dedo e passou na abertura da xoxotinha e senti que estava úmida.

— Passa o dedo assim tio... – abriu as pernas – É gostosinho...

Eu já estava quase gozando na sua mão que não largava meu pênis, não resisti e comecei a passar os dedos na sua vagina. Ela apertou meu pau quando meti o dedo e comecei a bolinar naquele canalzinho melado e morno.

— Tá doendo Mari?

— Tá não tio, tá é gostoso...

Continuei mexendo o dedo dentro dela e meti outro, ela suspirou e fechou os olhos parecendo estar gostando. Não largou meu pau um minuto sequer, ficava apertando com carinho.

— Tio será que teu pau cabe dentro de mim?

Não acreditava que aquela menina tinha esse tipo de desejo, nunca tinha pensado em fazer qualquer coisa com ela até aquele dia.

— Sei não Mari – tirei os dedos – Sou muito grosso e...

— Tu quer ver se cabe? – olhou para mim sorrindo – Se tu quiser eu deixo, tu quer?

— Pode doer Mari...

— Se doer tu tira... – subiu em meu colo – Mas tira mesmo tio!

Nem sei porque deixei que continuasse. Ela sentou de pernas abertas e guiou meu pau para sua fenda vermelha, foi aí que vi que nunca iria entrar.

— Faz isso... – levantou e ficou me olhando – Tu bota no lugar e eu sento, tá?

Olhei novamente para a pequena xoxota e desconfiei que ela não iria agüentar, mas fiz como ela pediu e fiquei segurando meu pau apontado para cima. Ela começou a sentar e parou quando a cabeça encostou na xoxota.

— Tá no lugar tio?

— Tá Mari, está no lugar...

Ela sentou devagar, senti o pau vergar, mas ela não parou e continuou forçando e, como que um milagre, a ca-beça começou entrar e quase gozei na entrada, mas segurei, meu pênis foi entrando apertado até que entrou tudo.

— Está doendo? – perguntei.

— Tá não tio... – olhou em meus olhos – Parece que é uma tora de lenha... Tu tá gostando?

Eram sensações novas, nunca antes tinha comido uma menina tão novinha quanto Mari e não era só o gostar do gosto de estar comendo uma mulher, era o gosto gostoso do proibido que me tomava os sentidos.

— Estou Mari... – suspirei – E você?

— Ai tio, teu pau é mais grande que o do Paulinho... – mexeu a cintura para melhor agasalhar – Mas é muito mais bom...

Já estava todo dentro dela, custava a crer que tinha me recebido sem ao menos gemer. Segurei forte em sua cintura e levantei.

— Que tu vai fazer tio? – perguntou engatada.

Coloquei ela de quatro no sofá e comecei a estocar naquela bundinha minúscula e branca, mas o tesão falava mais alto, em poucos segundo gozei dentro dela que delicia, demorei a tirar meu pênis de dentro de tanto tesão, parecia que nuca ia parar de gozar, quando finalmente tirei meu pênis fiquei imaginando como aquela bocetinha agüentou uma pênis daquele tamanho.

— Pôxa tio, tu me encheu toda...

Ela levantou uma rio de porra começou a escorrer pelas suas pernas, sua bocetinha careca estava inchada.

— Você gostou Mari?

— Gostei tio, gostei demais da conta... – passou a mão na xoxota – O que é esse negócio que tu botou dentro de mim?

Falei que era minha porra.

— Olha? – sentou e levantou as pernas – Não para de sair... – riu.

— É assim mesmo – abaixei suas pernas – Vamos tomar um banho.

Fomos para o banheiro e tomamos um banho, de novo meu pênis ficou duro querendo mais ela me disse que ia pedir sua mãe para dormir aqui em casa, e foi embora.

Ao anoitecer a vizinha e garota bateram no meu portão e gelei imaginando que ia ter confusão, tomei coragem e fui atender.

— Boa noite seu Francisco – Conceição sorriu – Me desculpe, mas vou precisar de um grande favor seu.

Convidei para entrar, Mari me olhou sorrindo, sentaram no dito sofá onde eu tinha comido a menina.

— Sabe o que é seu Francisco, minha irmã está indo fazer uma cirurgia e eu queria acompanhá-la – olhou para a filha – Será que a Mari poderia ficar aqui... Ela gosta muito do senhor e...

A menina levantou e sentou em meu colo.

— Eu fico com o tio mãe... – segurou minha mão fria – Posso ficar aqui, não posso tio?

— Se o senhor puder me fazer esse favor eu ficaria agradecida – olhou para a filha – Ela está de férias e me prometeu que não irá atrapalhar em nada.

Respondi que seria chegando bom ter companhia e que minha esposa não poderia vir. Conceição me agradeceu e me entregou uma sacola com as roupas de sua filha.

Acompanhei Conceição te o portão, Mari não largou minha mão.

— Olhe lá minha filha... – puxou a filha e lhe beijou a cabeça – Obedeça seu Francisco e não faça nenhuma tra-quinagem viu?

Ficamos olhando Conceição sair e quando entramos em casa a garota não perdeu tempo, enfiou a mão por baixo do short e pegou meu pênis e começou a alisar, levantei-a e a levei para o quarto, tirei toda sua roupa, a minha também, morrendo de tesão comecei a chupar sua bundinha. Depois a virei de frente e enfiei a língua na sua bucetinha e ela disse que estava sentindo muito gostoso, levantei coloquei o meu pênis na sua boca e mandei ela chupar, como não entrava, mandei ela lamber, quando já via que ia gozar logo, coloquei-a de quatro passei um pouco de saliva na entrada da sua bucetinha e mandei ver, meu pênis entrou de uma vez, foi até o seu estomago, comecei a meter devagar e depois rápido, foi mais uma gozada de outro mundo, gozei tanto que meu pênis não queria sair mais, metemos a noite toda, dormi com ela engatado nela, que delicia, depois conto como foram os outro dias...


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Pequeno Anjo a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
12/06/2015 10:10:02
Lindo é um sonho ter um delicia desta por perto
10/10/2013 20:22:25
muito excitante.
10/10/2013 20:21:44
mui bom!
26/04/2013 16:55:40
Ótimo, me deixou exitado.
30/10/2011 01:10:39
Excelente muito bom...
23/10/2011 01:22:56
ai como eu queria ser essa ninfeta.....
10/10/2011 02:43:30
um conto gostoso e intenso. parabéns.
26/09/2011 22:57:00
excelente...
24/09/2011 10:54:19
ótimo
23/09/2011 09:53:24
hum uma delicia adoro qdo coloca meu kct bm na portinha e elas forcam p entrar e muito gostoso
23/09/2011 01:31:32
Ai sim,gostei,taradão,traçou aninfeta né rsssssssssss. :)


entregafor fundeno a cliente na casa dela sem o marido saber contos eróticosSexo animal cachorro emrola pito na bucetinha da puda taradonahetessexualporbodoido varias enfermeirasCONTOS EROTICOS CASAIS PUTA CORNO PALAVRÕES ESCADALOS XVIDEOSConto erótico eu era menina e era virgim e meu primo me pegou a forca e depois eu gostei.putaria brasileira com esfrega cospida no rosto da amigaxvideo coroa vovó brasileira fazendo fio terra e meia nove e gemendo na picaconto erótico banhoSexoloucoanimalmagrela ficou encavalada na pica do negsonegao que empurrou quarentta sentimetro na magrelaincesto tirando virgindade de garota de oito anos no semáforoclitoris vantajososgay raptou o vizinho para lhe chupar o pauVoltei para casa toda arregaçada e cheia de porraarrombou meu cucomeinha buceta to com tesãocontos de podolatria chulépau perto na particinha xxviolouca por rola padrasto socorrexvideos levei pro matadourobucetaazedinhavedeo estropadoe es tropando molherisxvideo porno irmao abraca a irma quando ela ta lavando aloucaa cadela aguenta meu pau todinho zoofiliabranquinho super big dotado enfiando o seu pinto até o talões no cuzao da novinha arrombadagerusa chupando minha picaacompanhando que Rominho ligouAmo beijar os pezinhos dela principalmente usando rasteirinhas contoscontos eroticos meu filho doente mental me enrabouvídeo de uma mulher é o cara para tirar a virgindade dela pegando ela pulsavelho tarsdaocontos eroticos de mulheres peidado na hora do sexocontos eroticos tiaTaubateanas gostosa xvideoscontos de sexo depilada na praiax video subrinhaolhando o titio roludomulher casada realisando fantasia e da pra dois negao dt porno doidomeninas do volei abaichando chorts e mostrando a bucetacontos eroticos mulher dopada e fudidamunhe deu a buceta po tio comto eroticoConto erótico troninhocontos eroticos feita de cadela pelo pai a forçatia viúva e carente dando para o sobrinho e sendo pega pelo cunhadoNinfeta relata como da o cu conto eroticoWwwxvideo escolhedo pelo buraco.comxxxvide jantar d tio i sobrinha i a maecontosreaispornoGotosas de minisaia provocando xv o porteirpdoce nanda parte cinco contos eroticosConto erótico chupa bucetacontos eroticos com homens tarados por peito com leitenovinha deixa rapaz pincelar sua bucetinha dentro do ônibusvovo do bumdao toma banho com neto do picaocanto erotico comi miha sograContos eróticos fui chantageada pelo meu Director e fiz sexo oral e analai meu cu tira esse pau tá doendo tiroteio loucobaixavidio.pornozoofilia sangrando contos de incesto 05 anoscomo saber se sogro quer me comer?contos tio vc e dotadao aiaiai fotos pornonifetas abundo i cabacunho na telahomens cacetudos de saojosedoscamposNegro comeu gay na roça de salvador conto eroticoporno mulhers efomeadaschutando a bucetinha da cunhada a força contoContos Eróticos De. Fui Ajudar A Dona Veracasa dos contos gay Romance paiXvideos pecaveltia coroa bebeu fico com fogodeu o cu si arenpendeu pornocasadoscontos/encochadas nas crentesassistir porno online o sogro e a nora no celeiromae casa dos contosXvideos mae de santo fodendo no centro de macumbaConto erotico briguei e levei paucontos eiroticos leilapornentilhada nao resti opadasto tomano banho di pau duro I trazol comeleSo video de 5 minutos porno buceta e rolas de 16centimetropapai tirou sangre do cu da filinha peituda ponuxvideo guardondo o pau nacueca