Preciso Dizer Que Te Amo - CAPÍTULO 37

Um conto erótico de Quim
Categoria: Gay
Data: 01/06/2020 00:48:02
Nota 10.00

Gente antes de tudo, eu quero agradecer imensamente, de coração. Esse carinho de vocês torna tudo muito especial, sério! Me faz querer contar tudo nos mínimos detalhes! Olha eu postando “cedo” outra vez kkkkkk, espero que gostem do capítulo! 💙💙💙💙💙💙💙💙💙💙

Eu dava vários socos nele, ele me empurrou e ia correr pra dentro de casa, eu o alcancei e o joguei no chão outra vez, continuei batendo nele. Naquele momento eu juntei toda a força e a raiva que eu sentia. Ele me deu mais um empurrão e ficou de pé, eu peguei ele pelo pescoço e o joguei em alguns sacos de lixo que tinham ali. A mãe dele e o pai vieram se meter, o Gui veio também. Em pouco tempo já tinha bastante gente na rua vendo aquilo.

- Por mais desgraçado que eu sei que você é eu nunca achei que você fosse fazer isso! - eu dizia gritando pra ele. - você quase matou uma pessoa Diogo! Você quase matou! - eu gritava com mais força.

- Pelo amor de Deus Quim, larga meu filho! - a mãe dele gritava.

Eu não dava ouvidos, eu naquele momento queria ver ele apanhar tanto quanto o Marcelo apanhou. Continuei desferindo socos nele. O pai dele interviu nos separando. O Guilherme me segurou, pq a minha raiva era muito grande mesmo.

- O quê que tá acontecendo?! - o pai dele perguntou gritando.

- Tá acontecendo que foi ele que mandou aqueles bandidinhos baterem em mim e no Marcelo.. foi ele! - eu respondi na mesma altura.

- Vocês apanharam pq tavam de sem-vergonhice na rua! - ele disse.

- Diz pra eles Diogo. Diz pq você mandou baterem na gente! Diz! - eu gritei.

Ele abaixou a cabeça. Como se assumisse a culpa.

- Você fez isso Diogo? - a mãe dele perguntou.

- Responde sua mãe! - o pai dele ordenou.

Ele só ficou de cabeça baixa.

- Porque você fez isso? - ele perguntou.

- Porque eles também tinham me batido daquelas vezes... - ele disse com a voz baixa.

- Não foi só por isso né? - o pai dele perguntou.

- Foi por isso que a polícia veio aqui procurar ele - eu falei.

- A polícia esteve aqui? - o pai dele perguntou chocado.

A mãe do Diogo sempre encobriu tudo o que ele fazia. Eu nunca julguei, muitas mães sempre fazem isso. O fato é que ela era uma boa pessoa, justa, mais tinha esse defeito: ela não queria enxergar o que ele fazia, e tentava esconder tudo do pai do Diogo, pq não queria vê-los brigando, e não queria a desarmonia dentro de casa. Então quando a polícia esteve procurando o Diogo, pq eu tinha contado o que tinha acontecido, ela ficou com medo de descobrirem o que ele andava fazendo de errado, e disse que não sabia onde o filho tava. Desde então ela passou a escondê-lo dentro de casa, isso tudo sem contar pro pai dele.

Acabou que fomos parar na delegacia. Mais uma vez nada ligava o Diogo ao tal Wesley, e muito menos encontraram nada com ele. O que não nos impediu de ficarmos um bom tempo ali. Ele tava sentado do meu lado, a uma cadeira de distância. A minha vontade ainda era esmurrar ele mais e mais, nem que eu afundasse a cara dele pra dentro. Eu pedi pro Gui ir até o hospital e enrolar o Marcelo um pouco, que depois eu mesmo falaria com ele. Se ele soubesse do que tinha acontecido através do Gui ele levantava daquela cama mesmo não podendo e viria atrás de mim. Depois de tudo resolvido, o delegado disse que ia investigar a ligação do Diogo com a turminha dele, e como ele era réu primário não podiam fazer nada. No meu caso eu levei uma advertência por não brigar mais em público. O que também não impediu do Diogo de querer prestar queixa de mim. Quem não deixou foi a mãe dele.

Antes de sairmos ele se aproximou de mim.

- Isso não acabou! - ele disse em tom de ameaça pra mim.

- Quer partir pra cima? Vamos aproveitar que a gente já tá aqui mesmo! - eu disse levantando e encarando ele.

O pai dele levou ele embora, a mãe dele veio até mim.

- Filho... desculpa, mesmo! Eu.. eu não sei o que tá acontecendo com meu Diogo.. eleela ia dizendo algo mais eu a interrompi.

- A senhora sabe exatamente o que tá acontecendo com seu filho tia! A senhora não tá querendo enxergar. Uma hora ou ele vai fazer mal pra alguém, ou vão fazer mal pra ele.. e eu tou falando tia, se ele aprontar pra mim, ou pro Marcelo outra vez, eu vou me acertar com ele.. e vai ser pior que hoje! - eu disse.

- Desculpa mesmo filho.. - ela disse e saiu.

Antes de ir embora minha mãe, meu pai e a Celeste vieram me ver, eles falaram comigo. Eu tentei evitar no nome do Diogo, mais não tinha explicação pra tar ali, então contei tudo. Meu pai ficou revoltado, a Celeste queria ir até a casa do Diogo e dar na cara dele.

- Eu já fiz isso Celeste! - eu disse tentando quebrar aquele clima pesado.

Fui liberado com a condição de não arrumar mais confusão, nem briga na rua. Voltamos pro hospital e assim que entrei no quarto do Marcelo ele já começou falando.

- Lá vem o esquentadinho... - ele dizia de uma forma tão fofa que eu tinha esquecido tudo o que tinha acontecido já.

- Você contou pra ele? - eu perguntei olhando pro Gui.

- Em minha defesa eu tentei enrolar ele.. - ele dizia.

- Mais ele é horrível pra mentir. - o Marcelo disse rindo. - ele chegou aqui sem você e não sabia o que inventar.. - ele disse.

- E o Marcelo ameaçou sair andando só com o camisolão do hospital! Você tem que me agradecer, senão uma hora dessas todo mundo tava vendo a bunda do seu namorado! - o Gui disse.

Depois os pais dele conversaram comigo um pouco. Eles também não saíram daquele hospital por nada. Ele insistiu pra eles irem pq segundo ele eu era o melhor enfermeiro do mundo e ia cuidar dele com amei e carinho. O que era verdade absoluta Kkkkkk. Por fim eu contei tudo o que tinha acontecido. O Marcelo ficou mais preocupado ainda comigo, mais eu acalmei ele.

Dali alguns dias ele foi liberado, e ficou um dengo só. Eu confesso que amei cuidar dele todo esse tempo. Qualquer coisa ele fazia manha kkkkkk, foi assim por alguns dias, até que já não tinha ferida nenhuma e também não sentiu mais dor interna. Nos dois primeiros dias ele sentia muita dor ainda. Ele ficou bom, quer dizer 90% bom pouco antes do aniversário dele. O Diogo também tinha sumido, e estávamos pelo menos por um tempo em paz. Estávamos em casa, ele me vendo cozinhar algo.

- O que você quer de presente meu amor? - eu perguntei.

- Você peladinho na nossa cama! Kkkkk - ele disse me fazendo rir.

A gente não fazia nenhuma safadeza desde quando ele tinha voltado, eu tinha medo dele sentir dor, e eu também sentia algumas dores as vezes, e por recomendação médica ele não podia fazer força kkkkk.

- Tou falando sério! - eu disse.

- Eu também.. amor eu tou ficando louco de vontade de você.. - ele disse levantando e me abraçando por trás, onde eu consegui sentir seu volume dentro do moletom.

- Amanhã nós vamos de novo no médico e se ele liberar a gente recupera o tempo perdido tá bom? - eu perguntei.

- Jura? - ele perguntou com aquela carinha de criança que eu sempre amei.

- Juro! - eu disse dando um beijo nele.

No outro dia fomos mesmo ao médico que fez mais alguns exames nele que constataram que ela estava bem. Na verdade o Marcelo teve muita, muita sorte MESMO o risco de um traumatismo craniano era imenso, e também tinha o fato dele poder ter sequelas pro resto da vida. Mais graças a Deus isso não aconteceu. Mais de fato por alguns meses ele passou a ter mais dores de cabeça, e de vez em quando ele sentiria o local onde levou a pancada com a madeira mais dolorido. Teríamos que continuar indo ao médico pra ele fazer exames por algum tempo. Mais isso levando em consideração o quanto bateram nele não era nenhum esforço.

- Já pode viver uma vida normal meu filho! - o médico disse com animação.

- Normal, normal, normal?? - o Marcelo perguntou, e eu já fui ficando vermelho.

- Normal meu filho, já pode voltar pro trabalho, já pode fazer tudo o que você fazia antes.. - o médico disse.

- Atéele não sabia terminar a frase kkkk e eu ia me afundando cada vez mais na cadeira. - enfim doutor, digamos... exercícios físicos... - ele queria pq queria que o médico entendesse.

- Sim, é até bom pra você... agora se você está falando de sexo é melhor ser mais claro. - o médico disse.

Eu acho que eu nunca tinha visto o Marcelo tão vermelho na minha vida.

- É... pois é... eu posso? - ele perguntou enfim.

- Pode sim meu filho, se possível tenta não se exaustar muito, e tá tudo bem! - o médico disse pra ele.

Eu não sabia onde enfiar a cara kkkkk, o Marcelo saiu todo feliz. No carro ele me beijou. Agora ele podia voltar até a dirigir.

- Viu? O médico liberou! - ele disse todo animado.

- Eu não sabia onde enfiar minha cara Seu Marcelinho.. - eu dizia rindo pra ele.

Ainda íamos passar em alguns lugares antes de ir pra casa, ele tava todo assanhado pra cima de mim, ficou passando a mão na minha perna o tempo todo.

- Mal foi liberado e já tá de fogo Marcelo? - eu disse rindo pra ele.

- Amor eu tou subindo pelas paredes! - ele disse.

Eu reparei enquanto ele tava passando a mão em mim ele foi ficando excitado. Eu não me contive e fiquei olhando. Ele percebeu e olhou pra mim com aquela cara de safado que quase me fazia agarrar ele.

- Tá manjando aí rapaz! Kkkk - ele disse rindo pra mim.

- Não tinha como não reparar né? - eu disse.

Ele ficou ali me provocando. Chegamos ao shopping e ele teve que enrolar uns minutos dentro do carro pra ereção abaixar kkkkk. Fizemos o que tínhamos que fazer e voltamos pra casa já a noite. A gente mal entrou e ele já veio me agarrando. Eu também tava morrendo de saudade de fazer amor com ele, minha fome por ele tava quase incontrolável. A gente ficou se pegando no sofá mesmo, só que o Tonico tentava pular no colo dele, então fomos pro quarto.

Tomamos banho, quer dizer tentamos né pena gente mais se pegou que tomou banho mesmo, depois eu fui beijando ele e o conduzindo até a cama. Ele se jogou olhando pra mim mordendo o lábio, ele tinha se enrolado na toalha, onde se via o volume que denunciava que ele não aguentava mais de tanto desejo. Eu tirei a toalha dele, e fui beijando seu peito, sua barriga, virilha, sempre descendo e ele gemendo. Quando peguei no pau dele ele fechou os olhos e mordia ainda mais forte o lábio, aos poucos fui colocando na boca e ele gemia rouco. Coloquei todo na boca e chupei ele com a mesma vontade que ele sentia por mim. Tirei e masturbei ele de leve, ele já tava todo suado, coloquei outra vez e ele colocou a mão na minha cabeça, ele é quem passou a controlar meus movimentos, fiquei ali até que ele começasse a gemer desesperado e parei, fui subindo beijando e lambendo ele, passando pela barriga e novamente no peito dele, beijava seu pescoço sua orelha, mordi seu queixo, e ele gemia mais e mais. Ele me beijou apertando minha bunda e me colando nele. Me deitou e começou a chupar meu peito, eu gemia manhoso pra ele que sorria a cada toque que dava em mim, foi descendo, passando a língua em mim e beijando. Sem nenhuma cerimônia colocou meu membro na boca e me chupava como se estivesse há anos com aquela vontade, eu passava a mão no cabelo dele, ele segurou minhas mãos na cama, uma de cada lado pra que eu não pudesse me mexer, e controlava ele mesmo a velocidade dele, horas ia mais devagar, horas mais rápido, eu comecei a gemer alto e ele então me virou de costas, beijou meu pescoço e lambeu minha orelha, fez uma trilha de beijos e mordidas nas minhas costas inteira. Ele deitou por cima de mim e me beijava. Seu membro já tava encostado na minha entrada.

- Como faz um tempinho que a gente não faz isso, eu vou com calma tá? Se doer você me diz por favor Quinzinho! - ele pediu no meu ouvido.

- Tá bom.. - eu disse manhoso.

Ele não parava de me beijar, e aos poucos fui sentindo ele entrar em mim, centímetro por centímetro, quando doía demais eu falava pra ele, e ele parava até que eu me acostumasse. Foi assim até eu sentir ele todo em mim.

- Tou todinho dentro do meu amor - ele disse sorrindo e me beijando. - eu tava morrendo de saudades meu amor! - ele disse.

- Eu também meu amor. - eu disse gemendo pra ele.

Depois de um tempo ele se mexia dentro de mim com mais velocidade, e começou a gemer no meu ouvido. Em pouco tempo ele já não encontrava resistência nenhuma e me fodia com vontade mesmo, ele deitou de barriga pra cima e eu cavalguei nele por minutos. Ele sorria, me beijava e sussurrava que me amava mais que tudo. Fizemos amor de todas as formas que sabíamos, até que não aguentávamos mais, ele me virou pra ele e estocava no fundo, com força, até que gemeu alto, e eu senti o gozo dele me invadir, gozando praticamente junto com ele, melando o meu peito. Ele deitou na cama e me puxou pra ele, novamente me deitando em seu peito. Ele respirava ofegante e eu também. Ficamos ali até nós recuperarmos por completo.

- Isso pq o médico disse pro senhor não ficar exausto né? - eu disse abraçando ele.

- O quê que eu posso fazer se meu namorado tem um fogo que só eu posso apagar? - ele disse rindo.

- Você que é o safado aqui! - eu disse dando um soquinho no ombro dele, e beijando logo em seguida.

- Olha não me agride senão eu corro pro médico kkkk - ele disse e me beijou.

Ficamos mais um tempo ali e depois fomos tomar outro banho. Tanto eu quanto ele estávamos com preguiça de cozinhar então pedimos pizza. Na hora de dormir, ele deitou com a cabeça no meu peito e eu fiquei fazendo carinho no cabelo dele até apagar também.

No dia do aniversário dele ele queria fazer uma tatuagem, então eu disse que daria como presente, o fato é que a mãe dele sempre, sempre teve ódio de tatuagem, e mesmo morando sozinho já há anos ele nunca tinha tido coragem de fazer uma, mais agora ele queria. Já tinha até o desenho, que ele mesmo fez. Procuramos um estúdio bem bacana que ele já conhecia o trabalho. Marcamos pro dia do aniversário dele mesmo. Eu consultei com o médico dele se ele podia fazer e ele deixou, eu não era nem doido. Foi o dia de príncipe dele. Eu acordei ele com uma cesta cheia de coisas que ele gostava. E era um sábado onde o sol fazia questão de aparecer. A tarde fomos pro estúdio. Era um lugar bem legal, cheio de desenhos, fotos de tatuagens, uma decoração cheia de referências a bandas de rock metal. Tocava System Of A Down, inclusive o tatuador era a cara do vocalista da banda, sério. O desenho que o Marcelo fez era os planetas do sistema solar todos alinhados, eram todos feitos em forma geométrica, ele tinha escolhido fazer no ante-braço. O grande detalhe é que além de aranhas, ele morria de medo de agulhas também, mais curiosamente pra tatuagem ele não teve nenhum problema kkkkk. O sorriso que ele tava ao ser tatuado era a coisa mais fofa do mundo. Ele parecia criança com a tatuagem dele. Compramos a pomada pra passar e ele fazia questão de exibi-la kkkk. No final do dia encontramos o Gui e a Cris e fomos pra um karaokê, só o Gui bebeu, pq a Cris ia dirigir. E o Marcelo não tava bebendo, e eu também não tava com vontade. O Gui ficou apaixonado na tatuagem do Marcelo, a Cris também. A ideia do karaokê foi justamente do Marcelo. Era um lugar bem legal, o pessoal super atendia a gente bem. O pessoal que cantava se esforçava ao máximo kkkkk, até o Gui entrou na onda. Ele cantou com a Cris, com o Marcelo e com outro cara que surgiu do nada lá.

- Eu vou cantar uma pra você agora! - o Marcelo disse e já foi levantando.

Todo mundo aplaudiu ele. Ele subiu no palco, e agradeceu. Todo sorridente.

- Eu queria falar que hoje é meu aniversário, e é um dos aniversários mais felizes da minha vida! Por isso eu vou cantar uma música que tem muito significado pra mim, pra gente né? - ele disse olhando pra mim. - Quinzinho eu já disse que você é a melhor coisa que aconteceu na minha vida, e eu torno a repetir aqui!

Eu tava mega vermelho por que sou tímido mesmo, mais ver ele todo feliz me fazia a pessoa mais feliz do mundo.

- Essa é pra você meu amor, pra gente..!

Muuuuuiito obrigado por estarem lendo e gostando tanto, eu tou escrevendo com muito carinho, e vocês são maravilhosos. Até o próximo capítulo. Beijão.💙💙💙💙💙💙💙💙💙💙


Este conto recebeu 42 estrelas.
Incentive Quim a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
07/06/2020 09:00:24
Desculpa não ter me manifestado antes mais a história de vcs é maravilhosa não consigo parar de ler a cada capítulo fico mais apaixonada parabens
06/06/2020 08:11:18
Pena essa ameaça do Diogo. Isso quer dizer q ele ainda vai infernizar muito
02/06/2020 07:25:16
02/06/2020 00:19:25
Casalzão da porra
01/06/2020 18:58:07
esse amor
01/06/2020 11:20:34
Ooohhh meu Deus Q Tô sem palavras
01/06/2020 10:24:14
Muito lindo
01/06/2020 07:25:30
Que bom que passou a fase ruim
01/06/2020 07:02:15
Esse Diogo ainda vai aprontar.. amo o amor de vcs
01/06/2020 05:55:15
Justamente valtersó. Acho que faltou escancarar esse detalhe né?!
01/06/2020 01:18:42
ALGUÉM JÁ DISSE PRO PAI DO DIOGO QUE ELE É GAY??? TALVEZ ASSIM TUDO SE RESOLVA. ESPERO QUE O PAI DO DIOGO PEÇA EXPLICAÇÕES PRA ESPOSA E PRO FILHO. ELE PRECISA SABER.

Online porn video at mobile phone


comadre milhadinha dando pra ocumpadre pornoconto erotico gay na pescariawww.xxvideo calvolga na anacondaxnxxCalsinha molhada virgemwaposa gostosa de mini saia arretando amigo do marido so de sainhaconto cumenndo o cu da sogra afosaXVídeos Marianinha homens tomando banhocontoseroticos/comadre rabudaTraveti bhv meninas 14aos 17 anus perdeno avirgindademeu enteado me engravidou contosLuciana meu pinguelo assadoConto erotico velho taradogay sexo no meio do mato novinho transando com 5 homens no Mato levando pica no c* no mato na favela e Leo apartamento pela primeira vez na beira do marcarolzinhabaixinhatrepanogranfina xvidiiscontos eroticos rapidinha com sobrinhosobrinho. segura. a. escada. pra. tia. gostosa. subir. de. saia/texto/201012191madrasta brasileira faz vídeo dando a b******** para o enterro de sua filhinha junto em casaquero abri uma janela parA o porno baiano com bucetasenteada madura mamou rola do padrasto contosroludas veudas xvideocontos eroticos ele esfolou meu rabinhocontoseroticos m vadia mamae nao solbe o que fazer quando viu e quis chupaVela sendo ciolentada por negao pauzudocontos eiroticos leilapornvideos porno a namorada trail ele e ele estrupou ela com forcaconfesso chantagiei minha irmãzinha pra ela me masturbaContos inversao como castigo pornoxvidio atolo a sobrinhaContos ai meu cu na infanciasó a cabecinha conto eróticocontos eroticos diaristaconto erótico meu pai abuso de mim quando eu tinha cincoanostirado avingendade com negao safadesa sexocontos eiroticos leilaporncontos eróticos minhas amiguinhas de infanciamaio gozada de mulheres fumando cigarro asseste videocontos eiroticos leilapornkomendo kuvirgensfilho da pica informo fudendo a buceta da mãe gostosaliteralmente engatada com dogwwwxxvideo novinha cu devoradorsafadeza o homem usava camisinha para botar dentro do priquito da mulherfodendo a cunhada grávida contos eróticos amoxoxota gtaxxx bunda grandeconto em familiaalfaiata xvídiovideos para.baixar novinha dando pro cachorro ficou colado na bucetona delamtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1porno negra Eunice gostosasexo anal violento montros comtoscontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgehonem colica cachorto pra chupar suas bolas porniMeu cão ralf me comeu contocontos eiroticos leilapornminha irman adora pagar cofrinho xvideox videos mulher lammbendo o cusinho do homem e ele gosaPegou o pai de pinto duro quiz no cuCasadoscontos.com Lins55contos erótico minha irmãzinha de babey dool anal icestomorena.brasileira.dando.cu.e.dizendo.putari.mecoma.me.rasguetalam e pene trAsandonovinhos chinêses comendo cadela zoofiliaconi o cuzinho da minha filha magrela contosvideos mulher dorme homem pintudo metendo nela de conchinhaFernanda,vasconcello,zap,xvideosCasa dos contos eroticos.lambendo.escondidabaixar jogos de Ferrari deixando o rapaz tirar o sutiã dela para mamar nos peitoscontos. de. sogra. sendo .flagrada com. dotadocontos meu filho estrupo,meu cu finju dormivídeos de porno com vovôsinhoscomo fazersrxo pinto vibradorbusetão pardo bem abertoContos eroticos cozinheiroslevantou as saias curtas e fuderaobucetinha ns os primero pelinho nvcasada fudenu com doizQuero trsnsar com o Adinlson mContos eroticos elacareca peladaRapais fudendo aeguaquero ver zoofilia cachorro comendo a coroa cabeluda bem gostoso organiza que tesãoConto.erotico sogra tatoadamaridinho chupou minha bucetatextos. contos menunas estrupadas dulpa penetracao gozadas boquinhadei minha buceta com 10 contos eroticos