ESSE FOGO QUE ME ENLOUQUECE

Um conto erótico de Ehros Tomasini
Categoria: Heterossexual
Data: 16/10/2015 08:03:43
Última revisão: 16/10/2015 08:05:46
Assuntos: Heterossexual, Anal, Oral

MONA ESTÁ DE VOLTA - Parte I

Abriu as pálpebras lentamente. Mesmo assim, a fraca luz do ambiente feria-lhe os olhos. Sentia o corpo todo dolorido. Tentou mover os braços, mas pesavam-lhe toneladas. As pernas também quase não lhe respondiam ao comando do cérebro que estava enuviado, como se estivesse dopada. Movimentou os dedos das mãos com esforço. Os dos pés também se moveram com dificuldade, além do formigamento que se alastrava por toda a perna direita. A esquerda parecia paralisada. Temeu que tivesse sido amputada. Deu-lhe um medo repentino, pois não se lembrava como havia ido parar ali. Mas não. Conseguiu erguer um pouco a cabeça e viu o volume de ambas as pernas sob o cobertor. Parecia estar num quarto de hospital. Talvez uma clínica...

Sim, era uma clínica. Estava escrito o nome no lençol que lhe cobria as pernas e boa parte do tronco: CLÍNICA DE REPOUSO MARIA POMPEU. Não lembrava que tivesse procurado alguma clínica para repouso ou qualquer coisa que seja. Mexeu penosamente a cabeça e conseguiu olhar em volta. Estava sozinha num quarto parcamente iluminado. Tentou se levantar, mas o silêncio do aposento foi quebrado por passos vindos do corredor, talvez em sua direção. Aquietou-se e fechou os olhos. Tentou normalizar a respiração, um tanto ofegante pelo esforço desprendido. Pouco depois, alguém adentrava o quarto e acendia a luz. Permaneceu imóvel, como se estivesse ainda desacordada.

- Como vai a minha putinha gostosa? - perguntou uma voz feminina, assim que abriu a porta do quarto, antes mesmo de pressionar o interruptor perto da entrada. Sem esperar resposta, retirou o lençol de cima da paciente, deixando-a totalmente descoberta e nua.

- Continua dormindo, minha putinha favorita, ou está apenas fingindo? Vai ver que estava ansiosa por minha volta, não é?

- Vamos lavar essa bucetinha que adoro. Hoje não haverá perigo de sermos incomodadas: foi transferida para uma ala onde só existe você de paciente, e quem está cuidando dessa minha princesa hoje sou apenas eu.

Duas mãos delicadas abriram as pernas da paciente e começaram a lavar toda a área púbica. Mona - lembrava-se que este era o seu nome - retesou quase imperceptivelmente o corpo ao sentir uma lâmina roçar a sua púbis peluda. A mão parou por um momento. Depois, lambuzada de creme de barbear, forçou as pálpebras de Mona, abrindo um de seus olhos. Ela continuou fingindo estar desacordada. Mesmo assim, conseguiu vislumbrar, por um rápido instante, a enfermeira que lhe raspava a vagina.

- Oh, por um momento achei que estava desperta, minha putinha safada. Mas parece que foi apenas um espasmo voluntário da sua bucetinha - disse a loira com cara de lésbica.

- Será que ela responderia aos estímulos que pretendo fazer-lhe, assim que terminar de deixá-la raspadinha e perfumada?

Disse isso enxugando os excessos de creme, com uma toalha limpa, assim que terminou de retirar os pelos púbicos da paciente, com cuidado e eficiência. Então Mona sentiu um beijo estalado de surpresa, bem nos lábios da sua xana recém higienizada. Quase se trai novamente, estremecendo um pouco. Também quase fechou as pernas quando presentiu que a loira ia meter a boca novamente ali. Esta abriu com cuidado seus lábios vaginais e lambeu seu clitóris com a língua estranhamente áspera e quente. Mona conteve novo movimento com muito esforço, mas voltou a ficar ofegante. Aquela língua voltou a lamber-lhe o grelo e depois passeou por todos os cantos da sua vulva, deixando-a molhada de saliva e de desejo.

Mona não conseguiu reprimir a vontade de ser chupada. Parecia que havia séculos que alguém não lhe dava este prazer. Então, relaxou o corpo e esperou aquela boca ser mais afoita. Não demorou a sentir-se invadida por uma língua quente e tremulante, às vezes em seu ânus, mais vezes no grelo. Começou a sentir um calorão desprender-se de suas entranhas. Já não lhe importava mais que fosse descoberto que acordara. O gozo já aflorava-lhe do âmago. Com um esforço tremendo, moveu ambos os braços na ânsia de puxar aquela boca mais para perto do seu sexo. Mas terminou desabando com eles nos dois lados do corpo.

A enfermeira ergueu-se dentre as suas pernas de um pulo. Mona tinha os olhos bem abertos, sofrendo por haver tido o coito interrompido.

Putaquepariuminhasogra! - disse a enfermeira em entredentes - a putinha acordou. Tô fudida!

Então, correu até uma bandeja cirúrgica que havia trazido junto com a valise de asseio e preparou uma seringa. Mona tentou dizer algo, mas foi interrompida pela dor no ombro esquerdo. A loira acabara de enfiar, sem cuidado algum, uma agulha em seu braço. Verteu todo o líquido da seringa de uma vez, sem se preocupar com o risco de deixar o braço da paciente paralisado.

Mona sentiu a consciência abandonando-a quase que imediatamente. A enfermeira, nervosa, apagou a luz do quarto, para não ser reconhecida. Virou-se de costas para Mona e acendeu um cigarro, sem dar a mínima de estar numa sala hospitalar. Ao notar o clarão provocado pelo isqueiro acendendo o tabaco, Mona sentiu um quenturão invadindo todo o seu corpo. Deu-lhe uma vontade de fuder daquelas que acreditava nunca ter sentido antes. Ainda tentou abrir a boca para falar alguma coisa, mas sucumbiu numa escuridão profunda.

Fim da primeira parte


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Ehros Tomasini a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
23/10/2015 07:19:14
Nobre amigo, parabéns por esse início de uma nova saga. Pelo começo levas um 10 com louvor. Tenho acompanhado todo seu trabalho aqui e no Recanto. Já baixei todos de lá, se tiveres mais por favor me manda.
18/10/2015 04:54:33
Ehros! Gostei do início do conto! Parabéns... tem mistérios por aí... ansioso pelas partes seguintes... Vou ler "AS CRÔNICAS ERÓTICAS DE MONA"...
16/10/2015 21:33:48
Esse conto não é hétero...
16/10/2015 08:24:56
Inicia-se mais uma série de minha autoria, desta vez com a personagem Mona, continuação do livro AS CRÔNICAS ERÓTICAS DE MONA, já publicado neste site.


Contos mendiga pornominha mulher fodemdo com e olhando para mim com cara de safada gemendo gritando e chamando dizendo ta bom corno corninho ta vendo tua mulher semdo comida fudidafilme porno "labios encharcados"contos de velho fudendo empregada casadaa vida de um mauricinho apaixonadomae beba fas fiho chupa putariabrasileiracontos eroticos com senhoras da igreja testemunha de Jeováxvideos. sexo. estoria. encardinhocontos eroticos gays com internatocomeu o cu da filha do patrão novinha de17 pornodoidonovinha vai troca de roupa e pega rapaz bateno pulhetvideo de velho tarado depois de tomar unas azulzinhasxvidio mulhe casada coroa fudeno na hora do futibol brasilerosogra vai vzitar genro entra na pirocsxvideo picadinha de leve no cusinho apertadocontos eiroticos leilaporncontaminando a dona de casa nova premera parte contosentilhada nao resti opadasto tomano banho di pau duro I trazol comelexxvideos mulher com pigelo em nomerperereca da ebteada contosContos eroticos minha mulher e minha irma dividiram a piroca enormecomi minha filhinhaprima novinha sarra a bunda na rola do primo e a feridacontos eiroticos leilaporncontos eiroticos leilapornviolentada na escola contoconto erotico gay com padrasto velho coroa grisalhorapasjovem pao grande groso gozandoconto erotico gay macho dominador gosta de maltratar viadoVampiros-Casa Dos Contos zdorovsreda.rubucetao da mae fazendo muito barulho quando o pauzao entra dentro do seu bucetao cabeludo videoporno doido faxineira obedientepeguei meu irmao gay e minha irma virgem fudendo nao aguemtei cumi os doisvideo chapeleta cogumelo penis molexxvideos tetano fuder a coroar brasirerarolas grossacontos eróticos brincando de dar bundada no irmãoPedreiros Estupranno Dona de Casa Xvideocontos eroticos de 2017 dia 20 de abrilSó vendo pra crer que essa pica entrou tudo na bucetaminhas calcinhas conto eroticoele a enrabala e ela a cagar.se pornogaranhão paquerou a minha mulher e levou para o motel vídeo pornô cornos[email protected]Vou contar mecomeram na frente do meu maridoIniciando uma bixinhaconto erotico perdi aposta e tive que deixar meu ermao gozar dentro da minha buseContos Eróticos Crentes Gordas Submissãoconto erotico puteiroclimax contos eroticos abacinho rompido por um cavalofilme porno fazemdeira dando pro piao dotadosou adepta a zoofilia virei cadelamamando o peitinhoduro dafilhax pono de bundas arotando galaconto eurotico casal pescano com amigo beldoconto erotico gay viado submisso vira femea do negaocontos de peidopornodoido minha sogra gostosa esta no quarto rapando a buceta com tesaoContos Eróticos Abusada na escola na vam escolar e em casacontos eroticos primeira vez depois de velhocasadocasal bi levando pau mega grosso de 30 cm e tapa na caratentando encaixar a pica no uteroconto erotico gay com padrasto velho coroa grisalhocontos porno scat lesbicoe'ncoxada no metrosexo gostoso carinho nabucetinhaviagemmenina inocente brincado com titioclitoris lindinho numa ciririca linfa videosxvidioporno correu da rolacomendo a sobrinha de 13 aninho conto eroticosConto con foto comi uma guriazinha novinha e gozei dentro dela