Coroa Gostoso - O tenente e o mulatinho

Um conto erótico de Verde x maDURO
Categoria: Homossexual
Data: 01/02/2013 22:49:10
Última revisão: 11/02/2013 19:03:53
Nota 9.67

Caros leitores,

Como todos que lêem meus contos já sabem, os relatos que tenho feito são pelo menos até agora, histórias vividas e vivenciadas por colegas que, como eu, adoram se relacionar com homens mais velhos, coroas, de preferência, peludos.

Porem, o que vou escrever-lhes hoje, como sempre, me passando pelo protagonista, ao invés de ser o passivo serei o ativo, partindo do principio de que o descrito me foi confidenciado pelo Tenente Camilo, num intervalo para descanso entre uma foda e outra, que estava me dando.

O tenente é um belo homem de face larga, cabelos grisalhos curtos e lisos, maçãs do rosto salientes, olhos miúdos e argutos, mas dócil e pacato, um sorriso amplo num rosto tranqüilo. Seus movimentos são sempre pausados, um ar tristonho que o deixa ainda mais sedutor. A virilidade excepcional com freqüência se projeta nas feições de militar. Um macho de dote invejável!

Mas vamos ao conto. Espero que leiam com carinho, façam comentários e dêem nota.

Desde muito jovem descobri que as mulheres seriam presas fáceis para meu apetite sexual. Comi mulheres maravilhosas, brancas, negras, altas, baixas, magras manequins e fofas que beiravam a obesidade.

Me casei logo depois de ingressar na carreira militar, tenho duas filhas, hoje, muito bem formadas, mas, só agora, aos quarenta e nove anos, me descobri verdadeiramente, descobri a plenitude de um homem. Por conta desse motivo me separei e estou aqui contando minha maravilhosa iniciação.

Tal descobrimento se deu, quando, por um capricho do destino, conheci Martin, o filho de um vizinho do apartamento em frente ao meu.

Desde a primeira vez que o vi percebi que era diferente. Seu jeito de olhar atraia meu olhar, o sorriso de dentes brancos ornava lindamente com sua boca larga de lábios grossos.

Martin tinha dezoito anos, mas tinha um corpo que, pela primeira vez me deixou imaginando a possibilidade de possuir alguém do meu sexo. Era um mulatinho de cabelo bem curto e ombros largos, a cintura afilada se delineava sob a camiseta apertada, depois cedia e alargava quando chegava ao quadril e formava uma bela e grande bunda, que me deixou enlouquecido de imediato.

Antes eu sabia que, com um simples estalar de dedos, poderia dispor de qualquer mulher que quisesse, mas naquele momento eu desejei o Martin.

Fiz um tudo para levá-lo ao meu apartamento, e quando isso se deu fiquei totalmente sem ação ou iniciativa.

Mas Martin já sabia quais eram minhas intenções e me surpreendeu com sua desenvoltura.

O garoto me pegou pela mão e juntos sentamos no sofá, ele se aproximou e colocou a mão sobre minha coxa e a acariciou levemente. Depois olhou-me nos olhos e nossas bocas se colaram. O beijo quente me deixou alucinado. Sua língua procurava minha língua, enquanto nossas mãos percorriam nossos corpos. Ele segurou meu rosto de maneira firme e começou a beijar meu pescoço, depois virou-se me oferecendo sua nuca.

Enquanto eu gemia de prazer, sentia suas mãos me apertando contra suas costas.

Eu o abraçava por trás fazendo com que meus beijos viajassem pelo seu pescoço e ombros.

Martin virou-se e tirou minha camisa, suas mãos roçaram meu peito, meus pelos. Fechei os olhos para sentir ao máximo aquele momento.

O senti me beijando, sugando meus mamilos e meu peito, me excitando como nunca tinha sentido.

Aos poucos e lentamente, sempre acariciando minha pélvis, Martin descia com seus lábios e língua, até alcançar meu pau, que já latejava dentro da calça apertada.

Logo vi quando o menino. que me deixava doido, desabotoar minha calça, abaixando o zíper e apalpou o membro que pulsava sob minha sunga.

Alucinado vi aquele viadinho gostoso se ajoelhando à minha frente, mordendo minha rola, que pedia para sair de dentro da sunga.

Ele esfregava o rosto com vontade naquele pedaço de pano, fazendo com que a cabeça da pica, aos poucos, aparecesse na abertura da sunga, como se quisesse a boca de Martin.

O mulatinho se levantou e livrou-se da sua camiseta e ajoelhou-se novamente, abaixou minha calça junto com minha cueca, deixando-as nos meus pés.

Vi quando o gostosinho ficou só observando minha geba como se fosse sua primeira rola: “Nossa, que pau lindo o senhor tem tenente!”

Ficou admirando e beijando a ponta da minha pica, que latejava muito dura. Depois, segurou firme meu cacete, lambeu a cabeça e sua língua fez aparecer um fio do meu sêmen retirado da glande melada.

Com uma das mãos ele me masturbava com a cabeça entre seus lábios com a outra massageava meus ovos, se deliciando com meu pau.

Não demorou muito e sua boca quente envolvia cada milímetro do meu pau, seus lábios percorriam minha vara, da cabeça até o saco.

As mãos pequenas roçavam minha barriga e acariciavam minhas coxas.

Martin levantou-se e nossos corpos e nossas bocas se colaram, novamente, num beijo demorado e úmido.

Senti o hálito quente do garoto, que, olhando nos meus olhos, sussurrou apaixonado: “Me come, tenente!”

Fiquei meio desconsertado com o pedido e apenas fiquei com o pau na mão, enquanto Martin se virava me mostrando a bunda deliciosa.

Ele se posicionou de quatro sobre o sofá: “Vem gostoso!”

Como por instinto eu cuspi na minha pica, segurei firmemente e a posicionei na entradinha daquele cuzinho.

Martin abriu os glúteos e eu pude ver a beleza do orifício roxinho envolto por preguinhas tensas e nervosas. O cuzinho piscava esperando a invasão da minha rola.

Forcei a penetração no renitente anel e vi a glande da minha rola perder-se o aperto do orifício. Empurrei mais um pouco e Martin gemeu segurando meu quadril. “Espera, tá doendo!”

Depois de alguns segundos o garoto pediu e eu enfiei mais alguns centímetros.

Senti o calor daquele cuzinho entorno da minha vara e empurrei mais e mais. O penetrei bem devagar, sentindo meu pau abrindo caminho como se o rasgasse.

Aos poucos, fui metendo cada vez mais fundo. Não demorou muito para meu pau entrar inteiro naquele rabinho quente. Seu cuzinho apertava minha rola e aquilo me dava mais prazer.

O segurei pela cintura e meti com vontade!

As vezes fodia devagar, para sentir cada centímetro do meu cacete deslizando nas paredes mornas do reto. Depois acelerava mais forte na apertada gruta daquele mulatinho delicioso. O barulho de nossas coxas se encontrando e nossos sacos batendo um contra o outro nos deixavam mais excitados.

A partir desse momento não me contive mais. Descontrolado, comecei a bombar no cuzinho de Martin. Meu cacete queria ir cada vez mais fundo a cada enfiada. O cheiro de macho, de suor e sexo, tomou conta do meu quarto.

Martin fechava os olhos e apertava meu pau com força e me pedia mais. Eu já estava a ponto de gozar.

Fodia aquele rabo de um jeito enlouquecedor. Sentia a pele do rabinho apertar o tronco do meu pau, que latejou e intumesceu e eu gozei desvairado no fundo, enchendo as entranhas quentes do meu nulato passivinho.

Ofegante, deitei-me ao seu lado. Ele recostou a cabeça sobre o meu peito e me abraçou. Ficamos ali juntos, nos olhando.

Eu observava o sorriso em seu rosto e ele, a minha expressão que parecia não acreditar em tudo aquilo. Não dissemos nada, apenas nos beijamos e ficamos abraçados por longo tempo.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Verde x maDURO a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
07/08/2013 21:00:34
Bem sentido!
02/02/2013 06:36:23
Acho que vc teve as melhores intenções ao escrever este conto, mas a passagem par sexo foi sem bexo e também a transa em si, não foi muito tesuda. Abração.
01/02/2013 23:09:13
Curti duas vezes esse contto. Parabens, as sensaçoes descritas sao incriveis (CORRIGIDO)
01/02/2013 23:06:39
Curti duas vezes esse contto. Parabens, as sensacoes descritas sao escritas
01/02/2013 22:49:47
Muito bom!


meu amante come minha filhanovinha estrangulada com um pal na gargantaGozei na buceta da crente velha contosWww.xvideo homem goza dentro da nininha muito novinhaporno gay mundobicha namorados depois da briga vem a reconciliaçãocontos eiroticos leilaporncomo viciar uma cadela em zoofiliacontos eiroticos leilaporncontos eroticos leitinhocontoeroticosfudenoPapai vio eu de sainha sem calsinha fes eu senta en seu colo pal fora da bermuda semtei gostei dei ate meu cu po meu pai contosestupro esposa contos eroticoso negrodotado contos bimeu gay de onze aninhos adora a minha rola contos eroticoscontos porno olhando o bucetao da sograXvideos gostozura bbw safadabonequinhacontossatisfiz xvideovídeos pornôs pornodoido nao resistiu e fudeu pela primeira vez com namorado fortão e sexymae fodermo com o filhomulher estava fazendo hidrataçao de pele na cara nao percebeu o homem sexo pornoXvídeos idosas dengosa filhinha dengosa do papaicasos amad chama irm pra bate ponheta e gosa favela cariocaPorno Tia comeu o sobrinha atc gozou dentro delaloirinha pesou que ia so fazer chupeta mas tomou muita porraminha esposa putinhavideos porno de pai pegando a norimha nemor deidadexxvideo irma com irmao tatendo.punhetatrazano buceta inchada no buraco do prazer ponodoido travestis iper avantajados bg coki xvideoxxvideo comeu a prima na saladormindopedindo pra fodela bem baixinhonariz estourando a tanga vídeosasxxxxxcmocasa dos contos eroticos senzala esposa. filhachantagiou a mãe para fuder nelacontos eroticos papai me comeu e eu gosteimae e tia na piscina contoscontos minha tia nick 2videos porno tio estrupando a sobrinha no cu er na buceta agoca com seu iaocontos de casais fudendo afilhadoxvidio com mocabiqevodioporno de meninas que nao guento pau no cu.e berocontos eroticos malv comendo as interesseirafedemo com 1minutovideo pornotio acomda sobrinha co rola detro da bucetinhapicudo gosa n cu d casada e tira bostawww.xvideos/fodasse eu empurro com forca mesmoTio brinquinho trazando com sobrinho,negao xnxxsó coro pontudo gozando dentro do cu do piasaotirando a virgindade da minha namoradacontos eróticos minha mãe parte 4encochada no tremContos eroticos esposa amamentando e assistindo filme porno com os sobrinhosXvideo face pornoirado mulheres afoga outra com a bundavideo de prono doido com loiiraasporno. tor. muita careiticontos de mulheres que virao cenas de casais transando e se masturbarao putaria brasileira posicao frango assado pra salvar no celularXVídeo pornô das Panteras trepando só com os irmãos ocupar esse corpinhoem casa todo sujo fedorento pegou a novinha a forçaassistir porno só de irmãde igreja clente das bucetas cabeludasxvideos encavalando na morena de quatro dando o cuzinhoencoxando com. o pau duro. o oo cacetao duro do douglas sampaio videoconto porno me separei por causa da traicao da minha esposamyrtis sendo bolinada dentro do ônibusincesto com meu vô contoscasada fode chamando corno falando obscenidadespromo gostoso me fudeu contos eróticos gayButão bucetimhagozei gostosocontos eróticos meu maridoviado corno na zoofiliaconto nora chupando bucetad sograbuceta cheia de muxiba da sograminha mãe me surpreendeu contos de incestocontos eróticos meninas de 25 anos transando com cachorro Calcinha Preta com lacinho vermelhomulheres loucas de tesão que deixa a melhoria de tesão com a b******* buseta colchão gostosameu pai me fudeuchoupana cuzinho virgem gay xvideosporno gratis cicinha e betosobrinha me provocando só de pijaminha porno brasilcontos eróticos rabudaconto comi minha patroa na igrejave porno co ome cumeno amante e a filha da amanteContos mesmo depois de casada meu primo me enraboucontos eroticos malv comendo as interesseira