MEU PRIMEIRO ORGASMO

Um conto erótico de
Categoria: Heterossexual
Data: 11/02/2006 15:53:20
Nota -
Assuntos: Heterossexual

MEU PRIMEIRO ORGASMO

Minha vida corria normalmente. Como sempre era vazia e sem emoção.

Meu marido, Celso, é um belo homem, forte, bonito, trabalhador, é metalúrgico.

Nossa vida é muito chata, estamos casados há 10 anos. Ele sai a 6:00H e volta lá pelas 19:00H.

Chega toma banho, janta, assiste um pouco de TV e vai pra cama, me chama e me possui sem nenhum sentimento, simplesmente abaixa um pouco a cueca coloca o pinto duro pra fora, nem tira minha calcinha, apenas puxa para o lado e me penetra, sem nem um carinho, nenhuma preparação, isso ocorre todo dia, sábado e domingo ele acorda e “trepa” comigo, depois lava o carro, vai para o bar com os amigos, joga bola, e a noite novamente me possui sem cerimônia, e eu detesto o ato sexual, ele me penetra com minha vagina seca, ela não lubrifica nem como defesa do organismo para não me machucar, fico seca e sinto dores com a penetração, enquanto ele soca seu pinto com força, parece que estou cheia de areia por dentro me ferindo, me rasgando. Por isso não gosto de sexo.

Eu tenho 30 anos, sei que sou bonita de rosto e de corpo, embora minha beleza esteja muito apagada, da mesma maneira que minha vida. Fui criada pelo método antigo, guardei minha virgindade para o meu marido, estudei e me formei no magistério, porem nunca lecionei, aprendi a cozinhar, lavar roupa, cuidar da casa, coisas que meus pais achavam que seria o essencial para uma mulher de família.

Celso, meu marido, e calado, quase não conversa comigo, então minha vida vai assim, tenho amizade com varias vizinhas, mas as melhores amigas são Dona Carminha, uma senhora de 60 anos, muito alegre, sempre rindo, sempre feliz, e Maria Eduarda, uma mulata lindíssima, casada, com um filho e situação financeira muito boa. Ela causa inveja em qualquer mulher, esta de bem com a vida, vai ao clube 3 vezes por semana, num dia joga vôlei, noutro pratica natação e no outro freqüenta a academia do clube, por isso tem aquele corpo maravilhoso e firme.

Meus “passeios” são feitos por idas ao Supermercado, Feira, açougue, etc. quase sempre vou com a Dona Carminha e com Maria Eduarda.

Nos reunimos na rua e conversamos sobre coisas do lar, mas invariavelmente a conversa termina em sexo. Todas elas se dizem felizes, tem orgasmos normalmente, até dona Carminha com seus 60 anos diz que transa e goza pelo menos 2 vezes por semana, eu acho tudo isso mentira, eu não sei o que seja um orgasmo.

Certo dia, numa quinta-feira, Maria Eduarda foi prestar um concurso para ingressar em um Órgão do Governo Estadual, passou o dia fora, e por isso pediu-me para ficar com Junior, seu filho de 8 anos que estava com febre, como não tenho filhos e meu marido fica fora o dia todo, fui para a casa dela e cuidei do Junior e do almoço.

No horário do almoço Seu Alberto, marido da Maria Eduarda, chegou para almoçar.

Ele tem um escritório de contabilidade, é um homem de pouco mais de 50 anos, é branco, não é bonito, não tem um corpo atlético, ao contrario tem uma barriguinha bem saliente, mas é muito simpático, charmoso, se veste bem, atencioso, educado, o que faz dele uma pessoa atraente.

Almoçamos juntos com conversas amenas. Quando terminamos fui fazer café e nas minhas idas e vindas pela cozinha sabia estar sendo observada pelo olhar atento de Seu Alberto, até que em determinado momento ele diz:

-Sabe Claudia, você é muito bonita.

Meu rosto se afogueou, tenho certeza que fiquei vermelha, mas respondi:

-Obrigada, mas linda mesmo é a Maria Eduarda.

-É verdade. Vocês têm belezas distintas, ela é mulata e você é branquinha, o corpo dela é bem feito e firme e o seu também é bem feito, mas deve ser bem macio.

Como ele podia saber de meu corpo se eu me vestia sempre com roupas largas devido ao ciúme de meu marido?

Parece que ele leu meus pensamentos, pois disse:

-Pelos seus movimentos suas roupas colam ora num lugar, ora noutro de seu corpo, e com a ajuda de minha imaginação eu consigo delinear seus contornos bem feitos.

Novamente meu rosto afogueou-se. Aquela conversa não deveria estar acontecendo, afinal eu sou uma mulher fiel e recatada, jamais ouvi isso de um homem, embora saiba que muitos me olham e admiram.

Deveria sair correndo dali, porem, no meu íntimo uma batalha se travava, não devia, mas queria ver aonde aquilo iria dar.

Seu Alberto me convidou para tomarmos café na sala, quando lá chegamos passei a xícara de café para ele que segurou minha mão gentilmente, olhou-me nos olhos e disse:

-Claudia eu não deveria fazer isto, mas não sei o que esta acontecendo comigo.

Puxou-me e abraçou-me carinhosamente. Eu deveria correr dali, ficar muito brava, mas ao contrario, aquele toque aquele abraço, fez algo ocorrer com meu corpo. Uma corrente elétrica percorreu minha espinha, minhas mãos começaram a suar frio, fiquei ofegante e o coração disparou, comecei a sentir umas sensações diferentes, gostosas no meio de minhas pernas, minha vagina começou a ter contrações involuntárias, tive vontade de apertar ainda mais aquele coroa, tive vontade de beijá-lo, minhas coxas se apertavam uma contra a outra, apertando assim minha vagina, que parecia ter vida própria, mas a mulher honesta de reputação ilibada falou mais alto, e assim afastei-me daquela tentação.

Ele educadamente pediu-me desculpas e despediu-se ofereci meu rosto para um beijo, mas ele rapidamente deu-me um “selinho”.

Quando ele saiu, corri ao banheiro, parecia que eu queria fazer xixi, era um “comichão” gostoso que eu estava sentindo, abaixei minha calcinha e toquei meu sexo, notei meu clitóris estava duro e tinha aumentado seu volume, quando o toquei novamente a corrente elétrica agora percorreu todo meu corpo, desci mais os dedos e vi com surpresa que minha vagina estava molhada, ou melhor, encharcada. Sai daquele banheiro cheia de culpa.

Passei a tarde num torpor, não parava de pensar no ocorrido e na vontade que estava de fazer sexo. Quando Maria Eduarda chegou, mal pude olhar seus olhos de vergonha e culpa.

A noite esperei ansiosamente que meu marido me procurasse, mas como sempre com sua brutalidade nada ocorreu comigo, só as más sensações de sempre.

No dia seguinte Maria Eduarda me disse:

-Claudia você falou para o Alberto que gostaria de trabalhar e ele falou pra você passar lá no escritório dele ainda hoje à tarde.

Eu não tinha falado nada daquilo, mas entendi o recado.

Naquela manhã foi travada uma terrível batalha interior entre a mulher fiel, dedicada e honesta, contra a enorme vontade de fazer amor com aquele coroa.

Minha cabeça me dizia que não, minha vagina gritava que sim.

Antes das 14:00H estava eu lá no escritório sendo festivamente recebida pelo Seu Alberto. Ele tinha uma sala fechada e para lá nos dirigimos. Antes mesmo da porta se fechar ele me abraçou fortemente e me beijou, um beijo ardente, molhado, quente, um beijo cheio de promessas.

Ele me disse que não conseguia me esquecer, que ele tinha necessidade extrema e urgente de me possuir, que era algo que ele nunca tinha sentido, ao que eu também confessei meu desejo incontrolável por ele.

Parecíamos sincronizados em tudo saímos apressados, já sabendo de antemão o estava por acontecer. Sem maiores detalhes, chegamos ao Motel.

Um quarto refinado, com cama redonda, espelhos no teto, banheira de hidromassagem, TV, som, enfim algo com que sempre sonhei.

Entre beijos longos, bebíamos a saliva um do outro, nossas línguas sôfregas se roçavam, se apertavam. Nosso abraço forte nos unia numa ânsia quase insana do desejo que nos atraia. Ele me despiu rapidamente querendo desvendar aquilo que seus olhos não puderam ver até este momento, e para conferir se sua imaginação havia acertado quanto aos meus contornos.

Olhou-me com admiração como quem contempla alguma coisa de raro esplendor.

Pediu para que eu o despisse, também como ele não tive paciência, não curti o momento, só queria vê-lo nu. Ele não tinha a beleza que atrai fisicamente, mas algo nele despertava meus mais íntimos desejos, minha buceta novamente estava se manifestando com contrações seguidas, agora já podia sentir-me molhada, muito molhada.

Seu caralho duro apontava para mim, na direção de minha vagina como que a apontar o objeto de seu tesão. Sem saber o que estava fazendo peguei aquele pinto duro, quente, palpitante, com aparência suculenta, não era grande como de meu marido, devia ter uns 16 cm e grossura mediana. Abaixei-me e comecei a beijar aquele pinto desde o saco até a cabeça, a qual eu tinha que desnudar puxando a pele que a recobria, aí eu o tinha inteiro a minha disposição. Chupei, lambi, mordi levemente.

Alberto levou-me para a cama e fizemos um 69, entreguei-me àquele momento e não me segurei, eu gozei em sua boca, eu chorei porque pela primeira vez soube o que era ter um verdadeiro orgasmo.

Fiquei meio envergonhada quando praticamente esguichei meu gozo no seu rosto, mas quando vi que ele se deliciava, chupando e engolindo todo meu gozo, percebi que aquilo era normal. Agora eu o beijava inteirinho e o agradecia pelo prazer que ele me causara e ele gentilmente me puxou e disse:

-Claudia você merece mais do que isso, e vou lhe dar.

Deitou-me de costas e chupou-me todinha, deteve-se muito em meu mamilos, róseos e pequenos, talvez por não ter tido filhos, lambia com gosto, com barulho, imediatamente fiquei em estado de excitação. Novamente senti as contrações da minha vagina e senti meu liquido viscoso começar a escorrer de dentro de mim.

Ele beijou e lambeu minha barriga, desceu para minhas coxas, beijava e lambia principalmente a parte interna delas o que me arrepiava e me fazia rebolar desordenadamente. Beijava e lambia minhas virilhas. Beijava meu pelos pubianos. Aspirava, cheirava barulhentamente minha vagina para sentir meu cheiro, que devia estar muito forte devido ao meu estado de tesão puro e intenso. Sua língua foi para meu cuzinho, e ali começou a lamber fazendo círculos com sua língua molhada, macia e quente. Dobrava a língua em forme de cone e introduzia a pontinha no meu cuzinho virgem. Aquilo tudo era deliciosamente alucinante. Aí novamente sugou meu clitóris, lambeu e beijou meus grandes e pequenos lábios, enfiava sua língua experiente dentro de meu buraquinho vaginal, e eu gemia e chorava de tanto prazer. Sua língua voltou ao meu anus, com uma das mãos manipulava habilmente meu clitóris, com a outra me penetrava com dois dedos que entravam e saiam me levando a loucura. Não imagina quantos orgasmos eu tive, foram vários, um após o outro, talvez aquilo fosse o que chamavam de “múltiplos orgasmos. Até que ele deitou-se por cima de mim, senti o peso daquele coroa sobre meu corpo e pedi, quase supliquei pela penetração, era “torturante” a expectativa ansiosa da penetração. Ele carinhosamente pincelava seu pênis por toda extensão de minha vagina, até que colocou a cabeça na entrada e ficou ali curtindo aquele momento, parecia querer eternizar aquele instante.

Em seguida foi me penetrando milímetro por milímetro, creio que curtíamos as mesmas sensações, porque agora ambos gemíamos de prazer. Quando todo seu pinto me penetrou eu pude sentir aquele volume que me preenchia e pulsava dentro de mim, me dava prazer, tesão, vontade de mil loucuras, estava quase fora de mim quando começamos o vai e vem do sexo praticado com desejo e paixão. Minha buceta molhadissima, devia estar inchada de desejo, pois parecia ter aumentado de tamanho. O pinto de Alberto, que momentos antes pingava seu liquido de desejo, agora estava dentro de mim misturando nossos líquidos pegajosos. Nossos movimentos eram ritmados, ora rápido ora devagar, seu pênis às vezes saia devido a nossa molhadeira extrema, mas rapidamente ele próprio já reencontrava o caminho e me penetrava de novo. Nós nos contorcíamos de prazer. Nossos corpos freneticamente agitados nos impulsionavam um contra o outro, como uma dança sensual e altamente excitante. Nosso suor se misturava e escorria pelos nossos corpos sedentos de prazer.Aos poucos fomos acelerando nossos movimentos de entra e sai até que senti meu interior como que inchar, ao mesmo tempo em que senti o volume de seu pinto aumentar indicando o gozo imediato, o que ocorreu num frenesi alucinante, gememos, uivamos, choramos, gritamos, ele dizia:

-Vai cadela fode meu pau, goza no meu caralho, sua puta vagabunda, vou te encher de porra. Toma sua putinha.

Eu me excitava com aquilo, estranho não é? Eu sendo chamada por palavrões e me excitando ainda mais.

O momento era tão louco que eu também perdi meu recato e comecei a falar em voz alta:

-Fode meu macho, fode sua vagabunda, me da sua porra toda me inunda com ela, eu vou foder teu caralho velho safado, vou esguichar meu gozo e inundar esse pinto gostoso. Fode, fode mais, maiiiiiisssss!

E gozamos um gozo gostoso, delicioso, sublime, inesquecível para mim.

Na semana seguinte eu estava trabalhando para o “Seu” Alberto, que agora passou a ser o “Meu” Alberto, e fazendo muito sexo, fazendo muito amor, gozando muito com ele.

O machão do meu marido não sabe até hoje.

Depois eu conto de Como Maria Eduarda ficou sabendo... E não ligou.

MAS NÃO SE ESQUEÇAM É APENAS UM SONHO.

QUEM QUIZER CONVERSAR COMIGO É SÓ DEIXAR O COMENTARIO COM E-MAIL QUE EU RESPONDEREI


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
26/04/2008 11:30:36
quer sair comigo klaudia
Comiketo
28/02/2006 12:43:17
Dilicia....dilicia...da pra mim?
KLAUDIA
18/02/2006 11:58:07
Valeu Jessica, afinal os comentarios, e/ou criticas devem ser feitos sobre os contos e não sobre o comportamento das pessoas que os esxcrevem certo. E afinal este conto é puro fruto de minha imaginação.Beijos
drica p/ jessica
16/02/2006 12:07:34
ñ estava estressada,símplesmente dei minha opinião p/claudia,o conto dela é bom,e ela ficou irritada com meu comentário,faze o q ,ñ é?valeu!!!
Jessica
15/02/2006 12:09:02
Agora, comentando o conto, MUITO BOM, Claudia. Parabéns! E pra vc, Drica, muito bom também expressar suas próprias idéias. VIVA A LIBERDADE!
Jessica
15/02/2006 12:07:57
ATENÇÃO, HOMENS DE PLANTÃO! SOCORRAM AS LEITORAS DRICA E CLAUDIA URGENTEMENTE. ELAS ESTÃO PRECISANDO DE MACHO. OLHA O NÍVEL DE ESTRESSE!
dricap/claudia
14/02/2006 17:32:54
nooooooooooossssssssssa,to morrendo de inveja sua,sua ridicula!!
14/02/2006 15:15:55
DRICA VEJA OS COMENTARIOS E MORRA DE CIUME, OU INVEJA
P/DRICA
14/02/2006 15:15:06
Pelo menos voce tem alguma reação, fica nervosinha, ótimo para vc. Pergunta: VOCE JA TEVE ORGASMO?
Xpires2930
13/02/2006 13:18:51
Muito bom vc se quizer pode mandar um email para mim e nós podemos conversar via ele.
drica p/claúdia
13/02/2006 11:06:07
vc deve ser uma vadia e fica dando uma de joão sem braço,mais uma:eu entro nesse site a hora q eu quiser,o computador é meu e vc ñ tem nada a ver com isso.
drica p/ claúdia
13/02/2006 11:03:52
quem tem pena é galinha e se esse é o seu caso ñ posso fazer nada.
loiro 40
12/02/2006 21:06:16
SENSACIONAL, muito bom mesmo, se foi um sonho nao importa,vc deveria contar outros, e vc tem razao, ninguem esta para te julgar, estamos aqui pelo mesmo motivo, diversao e dividir experiencia, mas realmente a DRICA etem razao em um ponto, aproveite sua juventude, bjs
P/DRICA
12/02/2006 20:35:50
Sabe Drica eu tenho pena de voce
MARCELO
12/02/2006 05:50:37
ACHEI MUITO BOMO SEU CONTO, E EU GOSTARIA MUITO DE PODER BATER UM P APO COM VOCÊ, TENHO CERTEZA,, QUE VC VAI ADORAR, FALAR COMIGO, E POR QUE NÃO DIZER, GOZAR MUITO GOSTOSO COMIGO.ENTRE EM CONTATOCOMIGO, VC VAI AMAR FALAR COMIGO; O MEU IMAIL É: LIGA PRA MIM MINHE GOSTOSA, MEU TEZÃO!!!
Joana
12/02/2006 00:02:42
Achei bem legal seu conto, tô na dúvida se foi um sonho ou realidade, pela riqueza de detalhes, mas que bom que fosse verdade, afinal vc merecia viver uma relação sexual satisfatória!! Sem culpas, preconceitos ou traições, afinal o coroa preenche uma carência que seu marido não consegue!
HULK
11/02/2006 19:55:00
SENSACIONAL SEU CONTO.....SE VÇ QUISER SENTIR ISTO NA REALIDADE ME ESCREVA....
drica
11/02/2006 19:04:37
li até o final,mas ñ vou perder meu tempo falando com ignorante!!!
11/02/2006 18:54:26
DRICA, VOCE NÃO LEU ATÉ O FIM ONDE EU DIGO QUE FOI SIMPLESMENTE UM SONHO? COMO VOCE JULGA UM CONTO SEM CHEGAR ATÉ O FIM?
11/02/2006 18:49:58
DRICA NÃO FOI PRA QUALQUER UM NÃO, VOCE NÃO ENTENDEU A HISTORIA, QUER QUE EU TE EXPLIQUE?


contos mulher encoxada na borrachariaxvideos gay pega medingo na rua e leva p casacontos eroticos aluguelwww xvideos.mulher.de.che.o.marido.dorme.tra.fode.cunhadoContos eroticos de sexo com genropastor roludo conto sexoporno xvideo empregd d bundona grande pratao tarado safado passando a mao na bunda da empregada sem ela deixa/perfil/230213Porno novinha pega rapaz na puetanovinho foi bater uma punheta no fundo do quintau. e ficou passandu o dedu no cuzinho e nao sabia que tinho um cara pauzudu venduXVídeos galeguinha gordurosocomendo o moto taxi no mato contos erodicoscontos na despedida de solteira dei pro negao bem dotadorelatos eroticos soniferosanythingprovoquei e aguentei chorando o negao contos faysdoce nanda parte cinco contos eroticosxvideo mae fica em taladamenor semdo fodida dormimdo x videoboa noite cinderela dando o cuceta e bunda 205 só as gostosasincesto mae ver o cacetao do filho fica passada com tamanhocontos-o padre comendo o czinho da mocinhaconto erotico dei para um estranho na casa de swingconto erotico pau grandeXvideos Quando o homem socou ela até arrepiou quero um filme pornô pai comendo a filha bem gostosa e ela de calcinha fio-dental e mini sainha enfocando dele e gritandogts agaxada mostrando o bucetaocontos confiei que era so a cabecinha analcasadoscontos tio gilson seminarista chupando ate engasga tiajogando videogame no colo do tio conto eroticofui brincar com meu cao e fui enrrabada contohomem casado Rio de Janeiro Baixada Fluminense quer um amante para meter na sua mulher bem gostoso do p*********conto gay "respeitar teu macho"Contos eroticos chupando pezinhos de primasPenis flacido castrar contosbahiano bolinou buceta da intiada dormindopano vidio garotas com bucetas jiganteContos mulheres amamentandosmeninas de baby doll fazendo sexo anal e oral e babando no paulesbicas contando cono ébom chupar e ser chpadawww.porno zoofilia.com/contos dando buceta virgem dois cavalos?ler conto erotico de padre reaissexo surpresa rapaz ch3ga pra conserta a pia e rola chupada na xota hahistorias eroticas a pretinha magrinhacontos eroticos malv comendo as interesseiracontos romanticos gaysporno em desenho popai comendo a olivia sem pedir idadecontos feminizaçãoXvideo xaZinhocontos eroticos namorado de mamãe tem piça ggnovinhas.abrir.buzentacontos eroticos sogracontos eroticos br. meu primo me fudecontos eroticos de negoes e ninfetos forçadocontos com fotos a safadinha da minha entiada queria rola metir nela sem dobunda branca mole cavalgando na minha rrola no 1.xxxGozada na buceta contoxvidios outros purai favoritoscontos eroticos gay bebadotouro arancA calca de pausudomorena casada safadaconto erotico sou tratada como puta pelo meu sogro ele adora me chingarmacumba gigante entrando no xiri da novinhaPorno hd prima da cidade do bunda grande dando para piao nafazendaaluna chupano o piruzao cabecudo do professor debaixo da mesaxxvideos vídeos porno doido entre cunhadaxvideo seu primero anal com dois mo tempoconto erotico sou travesti e vendi meu cuo encanado do hotel se deu bem xixvideoas gasela mas brancas fud com pica bem grande e grutanocasadoscontos incestover homem chamadobucetacontos eróticos carvoeiro sujovideo de mulher gozando esborrifadochupei a rola do pirralho novinho contos eróticoscontos eroticos dona mirtesdoidinha pra meter com velhoreginagozandoContos mendiga pornocontos eróticos menina de 25 anos transando com cachorro Calcinha Preta com lacinho vermelhocontos erótico fumando pedrayahoo dei pro meu sobrinho novinho sou casadacontos eiroticos leilaporncontos eiroticos leilaporncontoerotico eu namorada mae e tioirma urologista contosvideo mendingas sentando na cabeceira